Publicidade

 

Acetilcolina

Acetilcolina – O Que é, Alimentos, Função, Suplemento e Efeitos Colaterais

Você já ouviu falar da acetilcolina? Ela tem uma função importantíssima para o funcionamento do nosso corpo, principalmente no que diz respeito ao sistema cognitivo.

Publicidade

Isso quer dizer que a acetilcolina é importante para melhorar a memória e o aprendizado, mas pode também ajudar em outras funções do cérebro, melhorando as sinapses nervosas como um todo, colaborando até para uma noite de sono melhor.

A falta deste tipo de neurotransmissor pode causar problemas como transtorno de déficit de atenção, hiperatividade, mal de Alzheimer, entre outras doenças, além de poder influenciar negativamente no sistema respiratório e cardiovascular.

Vamos falar abaixo um pouco mais sobre o papel da acetilcolina no nosso organismo, ou seja, sua função e quais são as formas de colaborar com a produção destes neurotransmissores, seja através da alimentação ou de suplemento alimentar.

Acetilcolina: o que é?

A acetilcolina é um neurotransmissor presente principalmente no sistema nervoso central, mas também está em outras partes do cérebro, já que é o neurotransmissor mais abundante do nosso sistema.

Um neurotransmissor é um tipo de mensageiro químico que leva sinais através das sinapses nervosas. Isso quer dizer que eles são responsáveis por levar as mensagens de um neurônio para outro.

Alguns neurônios, os chamados colinérgicos, precisam da acetilcolina para exercer sua função no nosso sistema nervoso. É através das sinapses que eles se comunicam.

Publicidade

Qual é a sua função no nosso organismo?

A acetilcolina atua principalmente no sistema nervoso central, com a função de memória, aprendizagem e neuroplasticidade. No sistema nervoso periférico, a acetilcolina pode auxiliar nas contrações cardíacas e nos músculos.

Além disso, ela pode ajudar nas funções sensoriais, como nos movimentos do corpo, na movimentação dos olhos durante o sono e também ao manter o foco. A falta deste composto pode causar uma doença autoimune rara e muito séria chamada miastenia gravis, que causa fraqueza nos músculos e fadiga crônica.

É por isso que muitas pessoas que têm tendência a ter doenças cognitivas como o mal de Alzheimer e o mal de Parkinson recorrem a suplementos que prometem aumentar a produção e funcionalidade da acetilcolina no nosso organismo, já que ela ajuda na cognição a curto e longo prazo, ajudando a manter e melhorar a saúde do cérebro.

Como a acetilcolina é produzida?

O nosso organismo é capaz de produzir a acetilcolina naturalmente a partir de uma substância chamada colina. A colina ingerida através da alimentação será sintetizada por uma enzima neural que vai produzir a acetilcolina no nosso cérebro.

Alguns especialistas indicam que adultos precisam consumir pelo menos 550 miligramas de colina diariamente para conseguir manter os níveis de acetilcolina e garantir as suas funções.

Publicidade

Fontes de colina

A colina, substância que vai gerar a produção de acetilcolina no nosso cérebro, pode ser encontrada em alguns tipos de alimentos e também na forma de suplementos alimentares. Colocamos aqui uma lista dos alimentos mais abundantes nesta substância para você aproveitar em sua dieta.

1. Ovos

Os ovos são uma das principais fontes naturais de colina. Em um ovo grande, encontramos 147 miligramas de colina, o que já oferece 27% da dose recomendada por dia para homens e 35% para mulheres. A maior parte da colina que existe no ovo está na gema, mais de 90%.

2. Laticínios

Também podemos encontrar colina, ainda que em pequenas quantidades, nos laticínios. Por exemplo, em um copo de leite, você consome 43 miligramas de colina, enquanto em uma porção de 170 gramas de iogurte estão 28 miligramas.

Outros tipos de queijo também podem ser fontes de colina, mas em menores quantidades.

3. Proteína animal

Outras fontes mais abundantes em colina são as carnes, principalmente dos órgãos, como o fígado e o coração. Em 100 gramas de fígado bovino estão 425 miligramas de colina, enquanto na mesma porção de fígado de frango há 290 miligramas deste nutriente.

Se você não come estes tipos de alimento, as carnes vermelhas também são fontes de colina. Em uma porção de 85 gramas de carne vermelha, há cerca de 115 miligramas desta substância.

Já o peito de frango vai oferecer um pouco menos, mas também pode ser uma boa fonte de colina, já que em uma porção de 85 gramas encontramos cerca de 99 miligramas.

4. Frutos do mar

Outras boas fontes de colina são os frutos do mar, como o camarão, que contém 115 miligramas da substância em uma porção de 85 gramas. O salmão também é uma boa opção para consumir colina naturalmente, já que em 85 gramas estão 96 miligramas do nutriente.

Se você quer consumir colina de forma muito elegante, em apenas 30 gramas de caviar, estão cerca de 140 miligramas de colina. Já os mariscos possuem cerca de 80 miligramas de colina por porção.

5. Fontes vegetais

Para quem é vegetariano, as fontes de colina vão estar principalmente em grãos, castanhas e sementes, ainda que em menores quantidades. Duas colheres de pasta de amendoim vão oferecer cerca de 20 miligramas, o mesmo que uma porção de 30 gramas de pistache, castanha de caju, amêndoas ou sementes de girassol.

Outra boa fonte de colina é a soja. Em 30 gramas de de tofu, alimento feito a partir dos grãos de soja, você vai adquirir cerca de 30 miligramas de colina.

Suplementos para aumentar a acetilcolina

Não existe um suplemento que vá oferecer diretamente a acetilcolina para o nosso organismo, já que ela deve ser produzida por ele através de enzimas neurais responsáveis por sintetizar a colina no nosso cérebro.

Se você sente que os alimentos citados acima não vão te fornecer a dose diária recomendada de colina para manter a produção de acetilcolina, você pode recorrer a um suplemento que ajude a aumentar esta produção.

Todo suplemento deve ser recomendado por um médico ou nutricionista, principalmente porque existem marcas pouco confiáveis de suplementos alimentares que prometem resultados que não cumprem.

De qualquer forma, suplementos que tenham em sua composição citicolina, bitartarato de colina e fosfatidilcolina vão fornecer ao cérebro doses maiores de colina do que alguns alimentos e vão ajudar na produção de acetilcolina.

Grande parte da suplementação de substâncias para aumentar a produção de acetilcolina serve para a prevenção de doenças ou até mesmo para o tratamento de enfermidades como o mal de Alzheimer e mal de Parkinson.

Efeitos colaterais

Não há informações pertinentes sobre possíveis efeitos colaterais no consumo excessivo de substâncias que produzem a acetilcolina. No entanto, no caso de consumir suplementos, é muito importante se consultar antes com um médico para obter todas as informações pertinentes antes de começar o tratamento.

Referências adicionais:

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

  • Purves, D., Augustine, G.J., & Fitzpatrick, D., et al., Eds. ​Neuroscience. Fifth Edition. Sunderland, MA: Sinauer Associates. 2012.
  • USDA National Nutrient Database: Nutrient Lists: Choline
  • Siegal A. & Sapru H.N​. Essential Neuroscience. Third Edition. Philadelphia: Lippincott, Williams & Wilkins. 2014.
  • The Franklin Institute: The Human Brain: Nourish – Proteins
  • Vallés AS, Borroni MV, Barrantes FJ. Targeting brain ?7 nicotinic acetylcholine receptors in Alzheimer’s disease: rationale and current status. CNS Drugs. 2014
  • Deutsch SI, Burket JA, Benson AD. Targeting the ?7 nicotinic acetylcholine receptor to prevent progressive dementia and improve cognition in adults with Down’s syndrome. Prog Neuropsychopharmacol Biol Psychiatry. 2014

Você já conhecia o que é a acetilcolina e sua função em nosso organismo? Acha que precisa melhorar sua ingestão de alimentos ricos na substância? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

×