Ácido Azelaico – Para Que Serve, Antes e Depois, Gel, Bula, Manipulado e Como Usar

O ácido azelaico é um composto que pode ser usado para tratar diversas condições na pele. Ele promete apresentar efeitos anti-inflamatórios, antibacterianos e propriedades antioxidantes, que juntos, promovem a saúde da pele através da diminuição da oleosidade, estímulo à produção de colágeno e redução do envelhecimento precoce.

Abaixo, vamos explicar para que serve o ácido azelaico, quais são as suas formas disponíveis e dar dicas de como usar o produto.

Ácido azelaico – O que é?

O ácido azelaico é uma substância natural extraída de produtos como grãos integrais e também produzida por micro-organismos presentes na pele. Qualquer produto contendo ácido azelaico em sua composição deve ter um pH adequado em torno 4,9 (pH próximo ao da pele), que é o pH ideal em que as propriedades do ácido azelaico têm efeito.

Para que serve

O ácido azelácio geralmente é usado para tratamento de problemas de pele como acne, melasma, rosácea e em alguns casos de psoríase. Diversos estudos indicam que o uso de ácido azelaico para tratar essas condições é mais eficaz do que outras substâncias disponíveis no mercado, como peróxido de benzoíla, ácido salicílico e tretinoína, por exemplo.

– Tratamento de acne

O ácido azelaico é considerado um medicamento para o tratamento de acne leve a moderada. Ele pertence a uma classe de medicamentos chamada de ácidos dicarboxílicos. Ele age eliminando as bactérias causadoras de acne e também atua diminuindo a produção de queratina, que torna o ambiente propício para a proliferação bacteriana.

No tratamento de acne, o ácido azelaico age como um produto antibacteriano, anti-inflamatório e antiqueratinizante (ele evita a produção demasiada de queratina, reduzindo o acúmulo de pele morta na região e impedindo o entupimento dos poros).

O ácido azelaico também reduz a quantidade de ácidos graxos livres na pele, tornando a pele um ambiente impróprio para o crescimento excessivo de bactérias e fungos. Dessa forma, ele também é eficaz em casos de acne fúngica ou no tratamento de condições como dermatite seborreica, foliculite, caspa, eczema e psoríase.

De acordo com uma pesquisa científica, os níveis de ácidos graxos livres na pele são reduzidos de 10,5% a 15,9% após apenas um mês de uso do ácido azelaico.

– Tratamento de melasma

O melasma é uma condição da pele causada pela superprodução de melanina, que resulta em descolorações marrons na pele. O melasma costuma ser agravado pela exposição sem proteção ao sol. Estudos indicam que o uso de ácido azelaico no tratamento de melasma é mais eficaz do que o uso de hidroquinona, que é um tratamento padrão para casos de hiperpigmentação relacionados com a maior produção de melanina pela pele.

Por ser um inibidor da substância tirosinase (envolvida no metabolismo da melanina), o ácido azelaico é capaz de reduzir a síntese de melanina, ajudando em casos de melasma e hiperpigmentação pós-inflamatória. Além disso, o uso de ácido azelaico não causa efeitos colaterais significativos.

– Tratamento de rosácea

A rosácea é uma condição crônica na pele caracterizada por eritema ou capilares dilatados que são uma aparência de vermelhidão constante na pele. Existem até quatro tipos de manifestação da doença, mas os mais comuns são os subtipos 1 e 2. O subtipo 1 causa apenas vermelhidão facial superficial, enquanto que o tipo 2 inclui também a presença de espinhas na pele rosada.

A FDA (órgão que regulamenta os alimentos e fármacos nos EUA) aprovou o uso de ácido azelaico para o tratamento de rosácea. Em um estudo científico, o ácido azelaico na forma de gel foi usado para controlar a rosácea do tipo 2 durante um estudo de 6 meses, diminuindo de forma significativa o eritema e as lesões na pele. Ao usar antibióticos em combinação com o ácido azelaico, a eficácia do tratamento aumenta.

Provavelmente, as propriedades antibacterianas, antioxidantes e anti-inflamatórias do ácido azelaico são as responsáveis pela melhora em casos de rosácea.

Bula

De acordo com informações na bula do ácido azelaico usado tanto na forma de gel quanto na forma de creme, o uso do produto deve ser através de aplicação tópica na pele. O contato com olhos e mucosa deve ser evitado, e se ocorrer, é necessário lavar a região abundantemente com água.

Efeitos colaterais

O uso de ácido azelaico costuma ser bastante seguro. Porém, alguns efeitos adversos podem ser observados, tais como ardor ou queimação após a aplicação e ressecamento da pele. A principal vantagem do uso de ácido azelaico em relação a outros produtos disponíveis no mercado está no fato de que ele não provoca sensibilidade à exposição solar como a maioria dos produtos.

Após aberto, o ácido azelaico tem validade de 6 meses. O uso de medicamento vencido é completamente desaconselhado.

O ácido azelaico não é indicado para uso na gravidez porque ainda não existem estudos suficientes para garantir a segurança do produto para o feto.

– Manipulado

O ácido azelaico em sua versão manipulada pode apresentar maior concentração do ácido em si no produto, geralmente em torno de 15 a 20% do ácido na composição do creme ou gel. Porém, sua obtenção só é feita com uma receita médica prescrita pelo dermatologista.

Isso porque quanto maior a concentração de ácido no produto, maiores são as chances de ocorrer irritação e danos na pele. Assim, a supervisão de um profissional é essencial.

Como usar

A primeira dica é testar o produto em uma pequena porção da pele e observar por alguns minutos se houve algum tipo de reação alérgica. Se houver, é possível proteger a pele com o uso de uma substância hidratante neutra que não prejudica a absorção do ácido azelaico.

A pele deve estar totalmente limpa e seca antes da aplicação.

  • Creme: O uso do creme é bastante simples. Na pele limpa e seca, aplique uma porção de cerca de 2,5 centímetros de creme e espalhe por todo o rosto, massageando a pele para melhorar a absorção. Espere o produto secar antes de passar qualquer tipo de maquiagem ou hidratante no rosto.
  • Gel: O indicado é usar o ácido azelaico na ponta dos dedos e aplicá-lo topicamente sobre o rosto previamente limpo massageando cuidadosamente a região. O produto pode ser aplicado até 2 vezes ao dia. No caso do gel, também só é recomendado passar outro produto no rosto após total secagem. O gel de ácido azelaico promove melhores resultados em relação ao creme. Isso porque a absorção do gel pela pele é mais eficaz.
  • Manipulado: A aplicação de ácido azelaico 20% uma vez ao dia é o suficiente para tratar a pele. Porém, por ser mais concentrado e às vezes ser combinado com outras substâncias, o uso do ácido azelaico manipulado deve ser feito exclusivamente na dosagem indicada pelo dermatologista.

Eficácia

Em um estudo de duração de um ano envolvendo 1200 pacientes com acne, cerca de 81,9% dos indivíduos notaram uma melhora na acne após apenas 35 dias de tratamento com ácido azelaico 15%. Após 73 dias, esse número aumentou para 93,9%. No fim do tratamento, mais de 80% das pessoas envolvidas no estudo disseram que estavam satisfeitas com os resultados obtidos.

Na maioria dos casos, é observada uma melhora significativa em apenas 4 semanas de tratamento.

Antes e depois

A seguir, separamos algumas imagens de pessoas que se submeteram ao tratamento com ácido azelaico e obtiveram ótimos resultados na pele.

Preço

O ácido azelaico pode ser encontrado em qualquer farmácia. A versão mais facilmente encontrada apresenta o nome comercial de Azelan em creme e contém 15% de ácido azelaico em sua composição. O preço médio de um creme de 30 gramas é de R$ 50,00.

Apesar do investimento, dermatologistas garantem que os resultados obtidos com o tratamento com ácido azelaico valem a pena, principalmente devido à sua origem natural e à quase total ausência de efeitos adversos e aos benefícios da substância que deixam sua pele bonita e saudável.

Referências adicionais:

Você já utilizou algum produto de ácido azelaico na pele para tratamento de uma das condições listadas acima? Teve bons resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*