Blueberry

Blueberry (Mirtilo) Emagrece? O Que é, Benefícios e Dicas

Uma fruta muito consumida no exterior, especialmente nos Estados Unidos, tem ganhado fãs também no Brasil, o blueberry. Sua cor é um roxo intenso e tem grande versatilidade de usos e um sabor agradável. Pode também trazer inúmero benefícios à saúde e ajudar no emagrecimento.

Neste texto conheceremos um pouco mais sobre a fruta, saber se o blueberry emagrece (mirtilo), o que é exatamente, e ainda algumas dicas.

O que é o Blueberry?

O blueberry, em português mirtilo, é um fruto silvestre muito comum nos Estados Unidos e na Europa, até por ser nativo desses locais. Trata-se de uma baga (espécie de fruto pequeno, carnoso e com várias sementes), achatada, com uma coroa de cinco pontas na sua porção superior (lóbulos do cálice), revestido por uma cera chamada pruína, de sabor agridoce (uma mistura de ácido e doce) e coloração azul escura. O fruto tem em média de 1 a 2,5 cm de diâmetro e de 1,5 a 4 g de peso. A planta é do tipo caducifólia, ou seja, típica de clima temperado, e pode apresentar porte arbustivo ou rasteiro.

No Brasil, o cultivo de blueberry foi introduzido pela Embrapa, mais precisamente na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, ainda na década de 1980. Por ser mais fria, a região sul é o local ideal para o seu plantio.

O blueberry pode ser comido fresco ou processado, na forma de geleias, compotas, chás, etc.

Classificação do blueberry

O blueberry/mirtilo é o nome genérico de várias espécies pertencentes à família Ericaceae. As principais espécies de blueberry, isto é, as mais comercializadas, são agrupadas segundo os seguintes critérios: genótipo, hábito de crescimento, tipo de fruto dentre outros. Vejamos agora quais são estes grupos:

  • “Highbush” /mirtilo gigante: engloba espécies tetraploides e naturais do oeste da América do Norte. São considerados os melhores mirtilos, tanto pelo sabor como pelo tamanho. O principal representante deste grupo é o Vaccinium corymbosum L.
  • “Rabbiteye”: grupo das espécies hexaploides (como por exemplo, a Vaccinium ashei Reade). Procedentes do sul da América do Norte, tais variantes estão habituadas a temperaturas mais altas e a pouca disponibilidade de água. Apesar de estas plantas darem mais frutos e estes possuírem uma maior durabilidade, eles são menores e de qualidade inferior em comparação aos do grupo “Highbush”. De acordo com a Embrapa, a espécie Vaccinium ashei é a mais favorável para ser cultivada em solo brasileiro.
  • “Lowbush”: espécies diploides, geralmente rasteiras, que fornecem pequenos frutos (muito usados para processamento).

Propriedades e aspectos nutricionais do Blueberry

O blueberry é considerado um dos alimentos com maiores propriedades antioxidantes. Sua atividade anti-inflamatória também merece destaque.

Ele apresenta antocianinas (responsável pela sua coloração); flavonóis como o quenferol, quercetina e a miricetina (principalmente na casca); catequinas; taninos e ácidos fenólicos (derivados dos ácidos hidroxicinâmico e hidroxibenzóico). Contém ainda outros compostos fenólicos, como o resveratrol e o pterostilbeno.

O blueberry é também uma ótima fonte de vitaminas C e K, manganês, cobre e fibras.

É um fruto pouco calórico; 100 g fornecem 57 calorias.

Benefícios do blueberry

Veremos a seguir para que serve a blueberry e mais detalhes sobre suas propriedades para a saúde e boa forma. Inclusive, veremos se blueberry emagrece mesmo.

1) O blueberry previne doenças cardíacas

As propriedades antioxidantes do mirtilo são excelentes para a manutenção da saúde do sistema cardiovascular.

Um estudo mostrou que a ingestão diária de 1 a 2 xícaras de blueberry, ao longo de 3 meses promoveu a redução dos níveis de colesterol total e triglicérides no sangue, bem como aumentou a quantidade de colesterol bom, o HDL. Além disso, outra pesquisa mostrou que, após um período de 8 semanas, o consumo diário de 50 g de blueberry por pacientes obesos foi capaz de diminuir a taxa de oxidação do colesterol ruim, LDL, em 27%. A dislipidemia e a oxidação do LDL são importantes fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardíacas.

Outro fator de risco bastante significativo é a hipertensão arterial e o mirtilo consegue amenizar este problema. Uma pesquisa revelou que o extrato de uma espécie de blueberry, a Vaccinium myrtillus, consegue inibir a atividade da ECA (enzima conversora de angiotensina, responsável pela síntese de angiotensina II, potente vasoconstritor que participa da fisiologia renal). Outros estudos apontam que efeito hipotensor do blueberry se deve ao fato dele estimular a síntese de óxido nítrico, substância vasodilatadora produzida pelo nosso organismo.

E finalmente, os flavonoides do blueberry previnem a formação de coágulos, efeito observado tanto in vitro como in vivo, já que eles conseguem inibir a atividade da enzima cicloxigenase (ou COX), que participa do processo de coagulação sanguínea.

2) O blueberry ajuda a controlar o diabetes

O mirtilo pode ser considerado um alimento de baixo índice glicêmico, ou seja, sua ingestão não eleva de forma abrupta os níveis de glicose no sangue.

Uma dieta rica em fibras é fundamental para pacientes diabéticos, sejam eles do tipo 1 ou 2, pois ajuda a controlar a glicemia, e o blueberry é uma boa fonte: uma xícara fornece aproximadamente 3,6 g de fibras.

Um estudo feito com ratos, que receberam uma dieta rica em gorduras e o Vaccinium corymbosum, revelou uma diminuição do quadro de resistência à insulina nessas cobaias, condição clássica para o desenvolvimento do diabetes do tipo 2.

Tal benefício também tem sido observado em humanos: pesquisadores afirmam que o consumo diário dessa mesma espécie de mirtilo, o Vaccinium corymbosum, por pessoas que tem maiores chances de terem diabetes do tipo 2, melhora este quadro de sensibilidade à insulina. Estudos indicam que este efeito se deve às antocianinas encontradas no blueberry.

3) O blueberry ajuda no combate ao câncer

A atividade antioxidante do blueberry auxilia na prevenção e no tratamento de vários tipos de câncer, como o de boca, esôfago, faringe, pulmão, mama, pâncreas, cólon, endométrio e próstata. O estresse oxidativo pode induzir mutações no DNA, que levam a um crescimento desenfreado e anormal das células.

Estudo publicado no Journal of Agricutural and Food Chemistry relata que os compostos fenólicos do mirtilo são eficazes contra o câncer de cólon, pois impede proliferação dessas células cancerígenas e instiga a ocorrência da morte celular programada (apoptose).

Pesquisa publicada no Journal of Biochemical and Molecular Toxicology mostrou que um derivado ácido hidroxibenzóico, o ácido gálico, presente no mirtilo tem efeitos sobre o câncer de mama: ele pode tanto retardar como “destruir” este câncer que leva tantas mulheres a óbito.

4) O blueberry é bom para o cérebro.

Os neurônios são muito sensíveis aos danos oxidativos. A ação antioxidante do mirtilo também confere proteção a estas células.

Em uma pesquisa, ratos com 19 meses de idade foram divididos em dois grupos: grupo dos que receberam blueberry na dieta (2%) e grupo controle, ao longo de 8 a 10 semanas. Os animais foram testados no labirinto aquático de Morris, ensaio que permite uma avaliação da memória e da aprendizagem espacial. Foram realizadas análises do tipo LC-MS (isto é, cromatografia líquida acoplada com espectrômetro de massas) para investigar a presença das antocianinas do mirtilo na dieta e no cérebro de todas as cobaias. Os resultados permitiram concluir que as antocianinas conseguem atravessar a barreira hematoencefálica e que elas tendem a se localizar em regiões cerebrais envolvidas com a memória e a capacidade de aprendizagem. Houve ainda uma correspondência entre a quantidade de antocianina encontrada no córtex dos animais que ingeriram blueberry e suas performances no teste do labirinto aquático de Morris.

Uma pesquisa envolvendo humanos, com idade média de 76 anos, revelou que o consumo diário de blueberry, por 12 semanas, promove uma evolução da função cognitiva, como da memória (os resultados mostraram uma melhora da pontuação em dois testes que avaliam a cognição).

5) O blueberry é bom para os olhos.

A retina também é muito sensível ao estresse oxidativo. Estudos indicam que as antocianinas do blueberry são capazes de proteger este tecido tão importante para nossa visão.

O blueberry pode ajudar a prevenir ou controlar problemas de visão comuns com o envelhecimento, como a secura dos olhos, algumas infecções, miopia e hipermetropia, degeneração macular e catarata.

Um estudo publicado no Archives of Ophthalmology aponta que consumir diariamente 3 ou mais porções de blueberry reduz em 36% as chances de ocorrência da degeneração macular associada com a idade, comparado com aqueles que comem menos de 1,5 porção de fruto por dia.

6) O Blueberry é bom para a pele.

A pele, maior órgão do corpo humano, também se beneficia com a ingestão de mirtilo.

Os agentes antioxidantes do blueberry controlam a atuação de radicais livres, que poderiam prejudicar as células da pele. A ingestão deste fruto deixa a pele mais suave e jovial.

A vitamina C presente no mirtilo ajuda a tonificar os vasos sanguíneos da derme, evitando assim a ocorrência dos famosos “vasinhos” (ruptura dos capilares sanguíneos).

As fibras do fruto, de forma indireta, também ajudam a manter a pele saudável. Elas impedem a constipação intestinal, o que promove uma maior eliminação de resíduos e toxinas do organismo. Esta “desintoxicação” se reflete positivamente na pele.

7) O blueberry evita infecções de urina

A cistite, ou infecção de urina, é uma doença muito prevalente em mulheres. O mirtilo parece conter propriedades anti-adesivas, que conseguem barrar a ligação de bactérias à parede da bexiga (como é o caso da Escherichia coli, principal micro-organismo relacionado a esta doença).

Mas afinal, o blueberry emagrece?

Para entender se o mirtilo emagrece, primeiramente é preciso lembrar que não existe alimento ou fórmula milagrosa que, por si só, promova a perda de peso. O emagrecimento é um processo que envolve a reeducação alimentar associada com a prática de atividades físicas. Em outras palavras, o blueberry/mirtilo não emagrece, mas sim ajuda a emagrecer! Ele é um fruto pouco calórico e nutritivo, não é gorduroso nem contém sódio, uma opção excelente para aqueles que desejam e/ou precisam emagrecer, de forma natural e com saúde.

Por que o blueberry ajuda a emagrecer?

O fato de o mirtilo ser um alimento de baixo índice glicêmico, de seus carboidratos alcançarem a corrente sanguínea de forma mais lenta/gradual, retarda a sinalização da informação “de que se está com fome” para o cérebro.

Como já foi dito, suas fibras auxiliam a digestão, pois regulam o trânsito intestinal, eliminado assim todos os excessos e resíduos da nossa dieta. Além disso, as fibras também proporcionam uma sensação de saciedade.

O manganês presente no blueberry também ajuda na queima de carboidratos e gorduras.

Pesquisadores da University of Michigan Cardiovascular Center relatam que o blueberry auxilia na perda de gordura abdominal, outro importante fator de risco para as doenças cardíacas. No estudo, um pó enriquecido de blueberry fora adicionado à dieta de ratos, que podia ser de dois tipos: rica ou pobre em gorduras. Passados 90 dias, as cobaias que ingeriam a dieta gordurosa associada com o mirtilo tiveram uma redução da gordura abdominal e uma diminuição dos níveis de colesterol, triglicérides e glicemia de jejum. Além disso, foi observado uma melhora da sensibilidade das células com relação à insulina. Os resultados foram ainda mais satisfatórios no grupo de animais que consumiram uma dieta pobre em gorduras: eles apresentaram menores peso corporal, massa total de gorduras e uma redução do tamanho do fígado.

E, por fim, outro estudo, feito com 10 mulheres atletas, mostrou que a ingestão de blueberry promoveu uma recuperação muscular mais rápida após a prática exaustiva de exercícios para as pernas. A fadiga muscular nada mais é do que um processo inflamatório associado com danos oxidativos. Nada melhor do que o consumo de mirtilo para otimizar os treinos e consequentemente perder mais gordura: ele é um ótimo antioxidante e anti-inflamatório.

Precauções

  • Apesar do blueberry não conferir riscos para a grande maioria das pessoas, consuma-o com moderação, assim como qualquer tipo de alimento.
  • Evite fazer o uso oral de suas folhas, já que não há dados que comprovem a segurança de seu consumo.
  • Como vimos, os benefícios medicinais do blueberry geralmente são observados com a ingestão de quantidades significativas do fruto. É aconselhável que grávidas e lactantes não façam este maior consumo pela ausência de evidências seguras quanto a isso.
  • Pacientes diabéticos devem informar seus médicos sobre o consumo de mirtilo, para que eles possam fazer um ajuste na dosagem de seus medicamentos convencionais. O uso concomitante dessas drogas com o blueberry pode levar a quadros de hipoglicemia.
  • Pelo fato do blueberry interferir nos níveis de glicemia, não como os frutos por ao menos duas semanas antes de qualquer procedimento cirúrgico.

Dica

Congele os mirtilos frescos para poder comê-los ao longo do ano. Uma pesquisa mostrou que o congelamento do blueberry não prejudica suas atividades antioxidantes. Por um período entre 3 e 6 meses, os frutos foram congelados a temperaturas de 0º F (-17º C) ou mais baixas. Foi constatado que não houve uma diminuição relevante das suas propriedades antioxidantes nem da quantidade de antocianinas.

Referências Adicionais:

  • Adams LS, Phung S, Yee N et al.Blueberry Phytochemicals Inhibit Growth and Metastatic Potential of MDA-MB-231 Breast Cancer Cells Through Modulation of the Phosphatidylinositol 3-Kinase Pathway.Cancer Res.2010 May 1;70(9): 3594-3605.Published online 2010 April 13. doi: 10.1158/0008-5472.CAN-09-3565. 2010.
  • Ahmet I, Spangler E, Shukitt-Hale B et al.Blueberry-Enriched Diet Protects Rat Heart from Ischemic Damage.PLoS ONE. 2009;4(6): e5954.Published online 2009 June 18. doi: 10.1371/journal.pone.0005954. 2009.
  • Basu A, Du M, Leyva MJ et al.Blueberries Decrease Cardiovascular Risk Factors in Obese Men and Women with Metabolic Syndrome.The Journal of Nutrition.Bethesda: Sep 2010. Vol.140, Iss. 9; p.1582-1587. 2010.
  • Basu A, Rhone M and Lyons TJ.Berries: emerging impact on cardiovascular health.Nutr Rev. 2010 Mar;68(3):168-77. Review. 2010.
  • DeFuria J, Bennett G, Strissel KJ et al.Dietary .Dietary Blueberry Attenuates Whole-Body Insulin Resistance in High Fat-Fed Mice by Reducing Adipocyte Death and Its Inflammatory Sequelae.J Nutr.2009 August;139(8): 1510-1516.doi: 10.3945/jn.109.105155. 2009.
  • Grace MH, Ribnicky DM, Kuhn P et al.Hypoglycemic activity of a novel Anthocyanin-rich formulation from Lowbush Blueberry, Vaccinium angustifolium.Phytomedicine.2009 May;16(5): 406-415. 2009.
  • Hurst RD, Wells RW, Hurst SM et al.Blueberry fruit polyphenolics suppress oxidative stress-induced skeletal muscle cell damage in vitro.Mol Nutr Food Res.2010 Mar;54(3):353-63. 2010.
  • Jenkins DJA, Ssrichaikul K, Kendall CWC et al.The relation of low glycaemic index fruit consumption to glycaemic control and risk factors for coronary heart disease in type 2 diabetes.Diabetologia.2011 February;54(2): 271-279. 2011.
  • Krikorian R, Shidler MD, Nash TA et al.Blueberry Supplementation Improves Memory in Older Adults. J Agric Food Chem.2010 April 14;58(7): 3996-4000. 2010.
  • Lohachoompol V, Srzednicki G, and Craske J. The Change of Total Anthocyanins in Blueberries and Their Antioxidant Effect After Drying and Freezing.J Biomed Biotechnol.2004 December 1;2004(5): 248-252. 2004.
  • Center for Disease Control and Prevention: Berries
  • Florida Blueberry Growers Association: Florida Berry Facts

Você já sabia que comer blueberry emagrece? Consegue encontrar mirtilos sendo comercializados em sua cidade? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (10 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

3 comentários

  1. Gostaria d saber como consumo o blueberry

  2. Qual a dose diária recomendada?

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*