Cinarizina

Cinarizina Engorda? Para Que Serve, Posologia e Indicação

Cinarizina é um medicamento que pode ser utilizado para a prevenção e o tratamento dos sintomas de espasmo vascular cerebral e arteriosclerose como tontura, zumbido no ouvido, cefaleia (dor de cabeça) vascular, falta de sociabilidade, irritabilidade, cansaço, distúrbios do sono como o despertar precoce, depressão de involução, perda de memória, falta de concentração, incontinência e outros distúrbios associados à idade.

O remédio também pode ser usado em outros casos de distúrbios circulatórios cerebrais, como sequelas de traumas crânio-encefálicos, sequelas funcionais pós-aplopéticas e enxaqueca. Sua indicação refere-se ainda à prevenção e ao tratamento de sintomas que acompanham distúrbios circulatórios periféricos (arteriosclerose, tromboangeite obliterante, moléstia de Raynaud, diabete, acrocianose, entre outros).

Esses sintomas incluem: claudicação intermitente (fluxo sanguíneo insuficiente durante a caminhada), distúrbios tróficos, pré-gangrena (estágio anterior à morte de um tecido do corpo pela insuficiência de irrigação sanguínea), úlceras varicosas, parestesia (sensações cutâneas), cãibra noturna e extremidades frias.

A Cinarizina serve ainda para a prevenção e o tratamento de sintomas de distúrbios de equilíbrio (arteriosclerose labiríntica, irritabilidade do labirinto, síndrome de Menière) como vertigem, tontura, zumbido, náuseas, vômito e nistagmo – que são oscilações rítmicas, repetidas e involuntários em um ou nos dois olhos.

Além disso, o medicamento pode ser usado para prevenir os distúrbios do movimento. Sua comercialização é permitida somente com a apresentação da receita médica. As informações são da bula de Cinarizina.

É verdade que Cinarizina engorda? 

Para descobrirmos isso, precisamos checar o que bula do remédio nos informa. E, de acordo com o documento, é possível afirmar que Cinarizina engorda em alguns casos, mas não é provável que isso ocorra.

Isso porque na sessão que apresenta as reações adversas associadas ao medicamento, a bula informa que o aumento de peso foi um efeito experimentado por 2,1% dos pacientes tratados com o remédio em seis estudos clínicos de comparação e 13 estudos abertos.

Ou seja, é possível que a pessoa que toma o remédio venha a engordar. Porém, não podemos afirmar que trata-se de um efeito que atinge todas as pessoas, visto que ele foi observado em uma pequena porcentagem, ainda que ela exista.

Assim, caso você perceba que a Cinarizina engorda durante o seu tratamento, avise ao seu médico a respeito desse problema para saber se ele realmente ocorreu por conta do medicamento e o que você deve fazer para revertê-lo. Não suspenda a medicação sem a orientação do médico, porque isso pode fazer mal para a sua saúde.

Efeitos colaterais de Cinarizina

Já vimos para que serve o medicamento e analisamos se a Cinarizina engorda. Agora, chegou a vez de conhecermos os efeitos colaterais que podem ser provocados pelo remédio, conforme informações da sua bula:

  • Desconforto estomacal;
  • Sonolência, especialmente no início do tratamento;
  • Náuseas;
  • Hipersonia – distúrbio do sono em que a pessoa acorda cansada e mantém-se com fadiga o dia todo;
  • Letargia;
  • Vômito;
  • Dor abdominal superior;
  • Dispepsia – indigestão;
  • Hiperidrose – suor excessivo;
  • Fadiga;
  • Discinesia – movimentos involuntários;
  • Síndrome extrapiramidal – associada à coordenação e ao controle dos movimentos;
  • Parkinsonismo;
  • Tremor;
  • Ceratose liquenoide – lesão cutânea;
  • Líquen plano – doença inflamatória que pode atingir a pele e as mucosas;
  • Lúpus eritematoso cutâneo subagudo;
  • Rigidez muscular.

Caso sofra com algum desses ou qualquer outro tipo de efeito colateral, busque rapidamente o auxílio do seu médico para saber como deve proceder.

Contraindicações e cuidados com Cinarizina

O remédio é contraindicado para pessoas que sofrem com hipersensibilidade (alergia) à cinarizina ou a qualquer outro dos componentes da sua fórmula.

Seu uso em pacientes com doença de Parkinson deve ocorrer somente se os benefícios forem superiores aos possíveis riscos de agravar a doença, algo que deve ser determinado pelo médico.

No mesmo sentido, as mulheres grávidas só devem utilizar o medicamento se o médico entender que os benefícios justificam os riscos que podem ser colocados sobre o feto. Já aquelas que estiverem amamentando seus bebês não são aconselhadas a fazerem uso de Cinarizina.

A utilização do medicamento também deve ser feita com cuidado em pacientes que sofrem com diabetes porque ele contém açúcar em sua composição.

Por trazer o risco de causar sonolência, principalmente no começo do tratamento, o paciente também deve tomar cuidado em relação a atividades como a direção de veículos ou a operação de máquinas.

A utilização do remédio de maneira simultânea a bebidas alcoólicas também exige cuidado, portanto converse com o seu médico para saber se você precisa cortar o álcool durante o seu tratamento. Também é fundamental falar com o médico a respeito de qualquer outro medicamento ou suplemento que você esteja utilizando para que ele verifique se não existem riscos de interação entre a substância em questão e Cinarizina.

Posologia de Cinarizina 

Antes de tudo, você precisa ter em mente que somente o médico responsável pelo seu tratamento é quem pode determinar a posologia, que varia de acordo com o distúrbio a ser tratado. Você deve respeitar as orientações do profissional em relação aos horários de uso, a dosagem, a duração e demais aspectos referentes ao tratamento.

Ainda assim, de acordo com a bula do remédio, a dosagem máxima recomendada não deve ultrapassar 225 mg. Segundo o documento, para os casos de distúrbios circulatórios cerebrais, o médico pode indicar um comprimido de 25 mg três vezes ao dia ou um comprimido de 75 mg por dia.

Para os distúrbios circulatórios periféricos, o profissional pode prescrever de dois a três comprimidos de 25 mg três vezes ao dia ou dois a três comprimidos de 75 mg diariamente; enquanto para os distúrbios de equilíbrio ele pode determinar um comprimido de 25 mg três vezes ao dia ou um comprimido de 75 mg a cada dia e para os distúrbios do movimento, a indicação pode ser de um comprimido de 25 mg 30 minutos antes de viajar, repetindo a cada seis horas.

A bula de Cinarizina indica ainda que ela seja tomada via oral depois das refeições como forma de diminuir o desconforto gástrico que pode ser causado pelo medicamento.

Você conhece alguém que tenha utilizado e afirme que a cinarizina engorda? Tem receio de utilizar esse medicamento por conta de seus efeitos colaterais? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*