Creatina

Como Tomar Creatina Corretamente?

Muitas pessoas são extremamente vaidosas com seu corpo e, principalmente, com sua aparência. Buscar novos mecanismos que potencialize a busca pelo corpo ideal é uma tarefa que requer cautela. Nem todos os produtos oferecidos pelo mercado são legítimos em seu funcionamento, alguns são apenas propaganda enganosa e podem ser muitos nocivos à saúde.

A creatina é, como veremos mais detalhadamente a seguir, um desses medicamentos vendidos no mercado prometendo benefícios estéticos ao seu consumidor. O principal interesse de quem procura Creatina é o de aumentar a massa muscular. Mas há muitas controvérsias sobre o uso desse produto. Como tomar creatina corretamente, em que dosagem, com que frequência e como ela reage no corpo humano são algumas das principais dúvidas. Esclareceremos estas e outras a seguir. 

O que é

Creatina está presente 95% nas fibras musculares e 5% no cérebro. É um composto formado por 3 aminoácidos: Arginina, Glicina e Metionina. Todos são produzidos pelo pâncreas e pelo fígado, além de serem encontrados em carnes brancas e vermelhas (porém, em pouca quantidade).

A creatina é incolor, cristalina e usada pelo tecido muscular para a produção de uma substância, a fosfocriatina, utilizada na formação de ATP (fonte de energia, único combustível capaz de fornecer, imediatamente, a energia necessária para a contração dos músculos).

Benefícios da creatina

Dependendo de como é utilizada (considerando o período em que é consumida, além da dosagem) a creatina trará muitos benefícios, principalmente aos esportistas e fisiculturistas.

Primeiramente, podemos citar que a creatina age na recuperação muscular, principalmente no período pós-treino, pois reduz os danos às células musculares e evita a inflamação após os exercícios.

Ao exercitar-se, o corpo produz, nas células musculares, um hormônio anabólico chamado IGF-1. Este hormônio é importantíssimo para o aumento de massa muscular e a creatina poderá ser utilizada como uma forma de tornar a produção desse hormônio mais elevada. Além disso, a creatina também possui a função de manter os músculos intactos por mais tempo, mesmo sem o reforço dos treinos. Ela é útil para os que não possuem uma rotina de exercícios definida e para os que não malham todos os dias.

Nosso corpo produz uma proteína catabólica, responsável por limitar o crescimento da massa muscular, chamada miostatina. Esta proteína é produzida durante os exercícios físicos e ela não é interessante para quem quer cultivar músculos, e é aí que entra a creatina: ela é capaz de tornar os níveis de miostatina mais reduzidos no corpo.

Uma descoberta significante da creatina é seu poder de melhorar a tolerância à glicose, sendo de grande ajuda aos diabéticos. Isso ocorre pelo fato de que creatina aumenta a quantidade de glicogênio muscular, melhorando a tolerância à glicose.

Além de todos esses benefícios já citados, podemos incluir o poder que a creatina tem de manter a massa muscular com o decorrer da idade. Com o passar dos anos, tende-se a perder músculos, já que os hormônios anabolizantes entram em declínio. A creatina pode reduzir esses efeitos, já que aumenta a contração da fibra muscular e ajuda a manter os níveis de IGF-1.

Cérebro saudável

Outra descoberta foi a utilização da creatina para a melhora do funcionamento do cérebro. Seu papel na homeostase da energia cerebral é essencial, aumentando a capacidade de memória e acelerando o processamento das informações.

Outro benefício da creatina é a capacidade de manter em equilíbrio as funções do cérebro quando o indivíduo está cansado. O tempo de reação de escolhas dentre outras performances que exigem um cérebro em alerta, são auxiliadas pela creatina quando há privação do sono.

A creatina ainda pode ajudar a prevenir ou aliviar doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer, já que colabora com um bom funcionamento das funções do cérebro. Tem, ainda, compostos antioxidantes em sua fórmula e ajuda a fortalecer os ossos.

Para entender como tomar creatina corretamente, deve-se levar em consideração que, para este produto fazer os efeitos que propõe, deve-se: consumi-la no período certo, na dose certa e escolher o melhor tipo de creatina disponível no mercado. A seguir, estão esclarecidos todos esses pontos. 

Tipos de creatina

No mercado, a creatina está disponível na forma de pó (deixando-a mais concentrada), na líquida (o que a torna de mais fácil absorção), em cápsulas e tabletes. Ainda existem diversos subtipos de creatina, alguns deles são: creatina monohidratada, micronizada, etil éster e efervescente.

A creatina monohidratada é o tipo mais antigo e mais barato do mercado. Sua absorção pelo corpo é baixa (apenas 1% dela chega aos músculos). A creatina micronizada é uma versão da monohidratada reduzida a pequenos pedaços. Sua absorção, por conta disso, é 20 vezes maior do que a outra. Já a etil éster, tipo especial de creatina (suas moléculas são ligadas a ésteres), possui maior equilíbrio na fórmula da creatina e a torna mais solúvel. Sua porcentagem de absorção é quase de 100%. Por último, a creatina efervescente é composta por moléculas de sódio e açúcares, sendo assim, pouco aconselhável aos diabéticos.

Como tomar creatina corretamente

O consumidor de creatina pode optar dentre os períodos a seguir para tomar este produto. Pode, ainda, dividir a quantidade de creatina diária e consumi-la nos dois períodos.

O primeiro período é o anterior ao treino, visto que creatina equivale a produção de ATP, energia essencial para as células. Mais ATP equivale a mais energia e poder para os músculos, gerando uma maior capacidade de levantamento de pesos.

O segundo período em que pode-se tomar creatina é o pós-treino, quando os músculos estão carentes em nutrientes. Tomar creatina junto com proteínas e carboidratos no pós-treino irá fazer com que o corpo possa absorver todos esses nutrientes, além de tornar o processo de regeneração muscular mais completo.

Doses

Algumas pessoas recomendam tomar creatina aos poucos, para deixar o corpo se acostumar com o produto, para que ele possa absorvê-la da melhor maneira. Na primeira semana, recomenda-se tomar de 15 a 25 gramas do produto; isso irá saturar os músculos, levando a resultados mais rápidos, porém, não melhores. Se você tiver problemas de estômago, como gastrite, é melhor tomar porções menores do produto.

Na segunda semana em diante, deve-se tomar de 5 a 10 gramas por dia, o que irá manter os músculos saturados. Como foi visto, a creatina funciona em qualquer momento do dia e pode-se tomar as 5g de forma espaçosa durante o dia. As pessoas normalmente consomem creatina de 1 mês e meio a 3 meses.

Uma dica é consumi-la junto a uma refeição rica em carboidratos, ou com qualquer bebida natural (o mais indicado é o suco de uva, que contém carboidratos). Carboidratos irão facilitar o transporte de creatina e proteína para o músculo.

Você gosta da suplementação de creatina? Já tomou creatina alguma vez? Como foram os resultados? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (84 votos, média: 3,92 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

9 comentários

  1. tomo whei protein após treino e posso colocar a medida de creatina junto ao whey?

  2. Posso toma creatina só 3 meses ou nao tem como vocês mi explicarem

  3. Há alguma problema se eu tomar creatina de cinco a 10 gramas por dias , pós e pré treino, todo o dia, mesmo naquele dia que eu não malhar??! pois assinstir a um video de um especialista neoromelocular dizendo que seria ideal para manter os benefícios do suplemento. .

  4. Bom dia,

    necessito de alguns esclarecimentos sobre como usar a creatina,estando em angola como posso comprar e ter o producto

  5. sou iniciante na musculação estou treinando a 2 semanas e meia posso fazer o uso da creatina?

  6. creatina tira sono?
    porque vc disse: O tempo de reação de escolhas dentre outras performances que exigem um cérebro em alerta, são auxiliadas pela creatina quando há privação do sono.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*