Dieta de Beverly Hills

Dieta de Beverly Hills – Como Funciona, Cardápio e Dicas

A dieta de Beverly Hills foi um programa alimentar apresentado em um livro campeão de vendas, de autoria de Judy Mazel, uma mulher que tinha uma clínica de perda de peso em Beverly Hills, na Califórnia, e que faleceu no ano de 2007.

No entanto, a idealizadora do método não tinha nenhum preparo em ciência ou nutrição. Mazel baseou sua prática e seu livro nos conceitos que ela própria aplicou para perder cerca de 32,5 kg.

Que conceitos eram esses? Reciclar o sistema digestivo por meio de uma alimentação baseada em frutas por 35 dias, seguidos por uma dieta restrita em relação ao consumo de carboidratos, proteínas e gorduras.

A promessa da idealizadora do programa era a eliminação de cerca de 4,5 kg a em torno de 6,8 kg, em um período de cinco semanas, e a continuidade da perda de peso até ficar magrinho.

Entretanto, como conta uma reportagem do The New York Times, o método foi bastante criticado. Segundo a matéria, o Journal of the American Medical Association publicou que a dieta de Beverly Hills era cheia de imprecisões médicas e que poderia fazer mal para quem a seguisse.

Conforme o The New York Times, na época, os médicos Gabe Mirkin e Ronald Shore alertaram que o método podia trazer uma série de problemas como fraqueza muscular, febre e uma queda muito elevada da pressão a ponto de interferir com a circulação do sangue e poder fazer uma pessoa morrer.

A publicação também informou que seguir a dieta prolongadamente não satisfaz as necessidades de proteínas que o corpo tem e poderia causar perda de cabelo. Assim, médicos foram aconselhados a impedir seus pacientes de seguirem o método.

A nova dieta de Beverly Hills

Voltando para os nossos anos atuais, surgiu uma nova versão da criticada dieta de Beverly Hills, e é sobre ela que nós vamos falar agora. O modelo repaginado do programa alimentar é baseado em comer os alimentos corretos nos horários apropriados e inclui todos os grupos alimentares.

Como funciona a nova dieta de Beverly Hills

Um dos destaques positivos dados pelo Health Line ao método é que ele promove o consumo de frutas e vegetais que, como sabemos, são saudáveis, nutritivos e trazem benefícios para a nossa saúde.

Segundo a página, o programa alimentar não exige a contagem de calorias e controle dos tamanhos das porções consumidas. A ideia do método é que a perda de peso só é conquistada por uma combinação de alimentos consciente e não pela prática de exercícios físicos associada à alimentação saudável.

Entretanto, concordamos com a posição do Health Line ao apresentar esse conceito como questionável, já que ele vai contra o que os profissionais de saúde costumam indicar.

O programa alimentar tem um período de 35 dias em que a determinação é não comer quase nada além de frutas. A página traz alguns exemplos de como esse cardápio deve funcionar – no dia 2, a pessoa consome ameixas secas, morangos e batata-doce; no dia 17 o seu cardápio traz apenas melancia e no dia 22, ela consome uvas ou cerejas e um docinho de sua preferência na hora de dormir.

O período ainda envolve alguns dias em que somente proteínas devem ser ingeridas e outros em que a pessoa pode comer tudo o que quiser.

Isso provoca uma ingestão calórica muito baixa e trazendo o risco de deficiência de nutrientes vitais ao organismo.

O site também relatou que os seguidores do programa alimentar são aconselhados a registrar quais alimentos consumiram e quando eles foram ingeridos. Se pensarmos na vida corrida que muita gente leva atualmente, isso se torna um pouco inviável de fazer, não é mesmo?

Outras regras da nova dieta de Beverly Hills

Passados os 35 dias de iniciação, existem novas regras que o seguidor da dieta deve obedecer. Uma delas é que as proteínas podem ser combinadas com gorduras, mas não com carboidratos. Por sua vez, carboidratos podem aparecer acompanhados de gorduras no cardápio.

Outra determinação do método consiste em começar o dia com uma chamada fruta enzimática como ameixa seca, damasco, abacaxi ou dióspiro (caqui), que pode ser consumida na quantidade que a pessoa desejar. Entretanto, ela deve esperar uma hora até poder comer outro tipo de fruta e duas horas antes de ingerir qualquer carboidrato, gordura ou proteína.

E, uma vez que a pessoa começou a comer algum alimento diferente de uma fruta, não deve mais consumir outra fruta pelo restante do dia. Existe ainda a regra de que a partir do momento que o seguidor da dieta ingeriu proteína, 80% do que ele comer no restante do dia deve corresponder ao nutriente.

Com exceção dos sucos de frutas e do vinho branco e tinto, a maioria das outras bebidas caem na categoria de carboidratos dentro do cardápio da nova dieta de Beverly Hills. Uma outra exceção é o champanhe, que pode ser consumido acompanhado de qualquer outro alimento.

O programa prega que adoçantes artificiais, aditivos, cremes não-lácteos, margarina e outros produtos artificiais de manteiga devem ser evitados porque causam problemas digestivos.

Cuidados  

Antes de começar a seguir a dieta de Beverly Hills ou qualquer outro tipo de programa alimentar, é importante que você converse com seu médico e nutricionista e certifique que o método é seguro para a sua saúde e realmente te ajudará a alcançar os objetivos que deseja.

Mais do que apenas emagrecer em determinado período, uma boa dieta é aquela que permite que você faça isso de maneira saudável, permitindo que o seu corpo receba todos os nutrientes e a energia que precisa para funcionar corretamente e que traz resultados duradouros, evitando o temido efeito sanfona.

Em relação à nova dieta de Beverly Hills, isso é especialmente importante porque, ainda que ela seja um pouquinho mais equilibrada do que a versão antiga do plano alimentar, ela ainda não é considerada nutritiva ou capaz de trazer uma solução de longo prazo para manter um peso saudável.

Isso é perceptível mesmo para quem não estudou nutrição. Basta levarmos em conta a ausência da combinação de diferentes alimentos e nutrientes ao mesmo tempo, desde o início até os estágios finais da dieta. Sem contar que o baixo consumo calórico pode prejudicar o fornecimento de energia ao corpo, fazendo com que ele tenha dificuldade para executar suas tarefas rotineiras.

A nutricionista Kathleen Zelman explica que a dieta de Beverly Hills pode até emagrecer, porém, somente pelo fato de ser um plano de baixas calorias. Segundo ela, não existem evidências da eficácia do conceito de combinação de alimentos ou de um programa baseado no consumo de frutas.

A nutricionista alerta que existe uma grande deficiência nutricional no método, principalmente dentro da primeira fase da dieta. Ela ainda afirma que a dieta oferece conselhos questionáveis a respeito de exercícios físicos, calorias, digestão e do valor da combinação de alimentos, além de não fornecer informações que ajudarão a perder o peso e mantê-lo longe do corpo.

Para quem deseja emagrecer e permanecer magro, Zelman recomenda procurar outro tipo de programa alimentar.

Você já tinha ouvido falar da dieta de Beverly Hills? O que achou do cardápio e de como funciona o programa alimentar? Teria coragem de segui-lo para emagrecer? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*