Ginkgo biloba

Ginkgo Biloba – Para Que Serve, Benefícios, Efeitos Colaterais e Indicações

Árvore de origem chinesa utilizada medicinalmente há milhares de anos, a ginkgo biloba serve para o tratamento e prevenção de uma série de problemas de saúde.

Publicidade

Mais recentemente, suplementos de ginkgo biloba têm sido utilizados para aumentar a memória e melhorar a circulação.

Propriedades

Considerado quase que um fóssil vivo – por se tratar de uma das árvores mais antigas do mundo, que já existia no tempo dos dinossauros – a ginkgo biloba tem sido amplamente estudada por apresentar em suas folhas compostos benéficos à saúde.

Pesquisadores já sabem que as folhas de ginkgo biloba contêm flavonoides e terpenóides – ambos antioxidantes – que lutam contra os radicais livres, e impede que estas moléculas causem danos às células.

Para Que Serve

De acordo com a Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, a ginkgo biloba serve para tratar complicações do sistema circulatório, prevenir e tratar doenças neurodegenerativas, melhorar a visão, reduzir as dores menstruais e melhorar a função cerebral.

Como Funciona?

Estudos têm demonstrado que a ginkgo biloba estimula a produção de óxido nítrico, um gás que relaxa a parede das artérias, dilata os vasos e melhora o fluxo sanguíneo. Essas propriedades da ginkgo biloba melhoram a circulação, efeito que por sua vez ajuda com o funcionamento cerebral, a visão e o sistema auditivo.

No caso específico de doenças como o Alzheimer, a planta pode interferir com mecanismos cerebrais que atrapalham o pensamento e prejudicam a formação e preservação das memórias.

Folha x Sementes

Durante todo o artigo, quando nos referirmos às propriedades da ginkgo biloba, estaremos na verdade falando das folhas da planta, uma vez que é nela que se concentram seus principais benefícios.

Além disso, as sementes de ginkgo biloba são tóxicas, e não são utilizadas na fabricação dos suplementos encontrados tradicionalmente à venda.

Benefícios do Ginkgo Biloba

Veja a seguir como as propriedades da ginkgo biloba proporcionam benefícios para saúde e boa forma. Então, para que serve afinal?

1. É aliado da luta contra o estresse e a depressão

A recomendação mais comum para quem está estressado é exatamente reduzir o estresse. Sim, parece lógico, não é mesmo? Mas já sabemos que nem sempre é fácil deixar todas as preocupações de lado e colocar a mente em estado quase permanente de repouso.

Uma maneira natural de relaxar e reduzir as variações de humor características da depressão é o uso diário de ginkgo biloba. Em estudos controlados, cientistas observaram que voluntários que haviam recebido uma suplementação de ginkgo biloba conseguiam lidar melhor com o estresse.

Esse resultado se deve muito provavelmente à ação de ginkgo biloba sobre os hormônios do estresse – em especial o cortisol e a adrenalina. É por isso, aliás, que os pesquisadores classificaram a ginkgo biloba como uma planta adaptógena: ela eleva de maneira natural a capacidade do organismo de suportar as situações que trazem problemas e causam preocupações.

Assim (sempre com orientação médica), a ginkgo biloba pode ser bastante útil no tratamento de pessoas com transtorno de ansiedade generalizada, depressão, ataques de pânico ou mesmo fobia social.

2. Alivia os desconfortos da TPM

Mulheres que sofrem com cólicas, alterações de humor e inchaço durante o ciclo menstrual podem se beneficiar do uso de ginkgo biloba.

De acordo com um estudo publicado em 2009 no Journal of Alternative and Complementary Medicine, mulheres que tomaram o suplemento três vezes ao dia do 16º dia do ciclo em que estavam até o 5º dia do ciclo seguinte relataram alívio dos sintomas da tensão pré-menstrual.

3. Tratamento natural para a impotência

Não podemos dizer que a ginkgo biloba substitui a famosa pílula azul, mas pesquisadores já sabem que a planta pode ser utilizada no tratamento da impotência. Isso porque a principal causa do problema é a baixa circulação de sangue através do pênis – que pode ser inclusive resultante de uma arteriosclerose.

E, como já vimos, a ginkgo biloba aumenta o fluxo sanguíneo, efeito esse que pode melhorar não apenas a duração como a qualidade das ereções. Testes clínicos mostraram que a suplementação por seis meses com ginkgo biloba foi responsável por uma melhora nos quadros de impotência de até metade dos participantes do estudo.

4. Traz alívio para a Claudicação Intermitente

Condição que se caracteriza pela dor e sensação de câimbras nas pernas – que pioram com a prática de atividades como a caminhada e a corrida – a claudicação intermitente é causada por uma interrupção do fluxo de sangue para as artérias dos membros inferiores.

Assim, as células musculares de quem sofre com o problema recebem menos oxigênio, e passa a haver acúmulo de ácido lático nas pernas (causando dor).

Sendo um estimulante da circulação, a ginkgo biloba é indicada no tratamento da claudicação intermitente porque pode desbloquear possíveis pontos com arteriosclerose nas pernas.

Publicada em 2000 no American Journal of Medicine, uma metanálise de oito estudos avaliou os efeitos do extrato de ginkgo biloba em pessoas com claudicação intermitente. Sete deles demonstraram que a planta foi mais eficiente que um placebo em promover um aumento da distância que pacientes com a condição eram capazes de caminhar sem dor.

Considerados em conjunto, todos os oito estudos elevaram (em média) em 34 metros a distância que os participantes dos estudos conseguiam percorrer sem grande desconforto.

De maneira simplificada, podemos dizer que a ginkgo biloba melhora as dores nas pernas porque aumenta o fluxo de sangue nos vasos sanguíneos, e assim reduz o acúmulo de compostos que podem causar dor durante o caminhar.

5. Parkinson

A ciência ainda não bateu o martelo, mas acredita-se que a falta de dopamina no cérebro seja a responsável pelos tremores, falta de coordenação muscular e o enrijecimento característicos da doença de Parkinson.

É possível que, em conjunto com outros tratamentos, a ginkgo biloba seja útil na redução dos sintomas do Parkinson porque aumenta a circulação de sangue no cérebro, o que por sua vez permite que mais dopamina circule pelas áreas que mais necessitam do neurotransmissor.

6. Visão

Ainda que em fase inicial, alguns testes clínicos têm demonstrado que ginkgo biloba pode trazer benefícios à saúde ocular. Além de aumentar o fluxo de sangue para os olhos, a planta também reduz o dano oxidativo causado à mácula, córnea e à retina.

Em um estudo italiano com 27 participantes, portadores de glaucoma que haviam recebido 120 mg de ginkgo biloba ao dia durante oito semanas apresentaram uma melhora na visão.

7. Perda de Peso

Ainda não há estudos que comprovem que ginkgo biloba emagrece, mas muitos defensores da teoria acreditam que algumas das propriedades da planta podem ser auxiliares da dieta.

Uma delas seria o alto teor de flavonoides, que também estão presentes no chá verde e que comprovadamente aumentam o metabolismo.

O ginkgo biloba também poderia ajudar a emagrecer porque contém terpenoides, substâncias naturais que aumentam o fluxo sanguíneo. Como a elevação do fluxo de sangue é exatamente um dos benefícios dos exercícios aeróbicos, pesquisadores teorizam que os terpenoides poderiam também promover a aceleração do metabolismo.

8. Melhora a memória e a função cognitiva

Estes são alguns dos benefícios da ginkgo biloba mais estudados pelos pesquisadores, uma vez que a ciência já demonstrou que a planta melhora o fluxo de sangue no cérebro.

Dezenas de estudos têm encontrado uma relação direta entre o uso de ginkgo biloba e uma melhora na concentração e na capacidade cognitiva. O suplemento também reduz a fadiga mental e melhora o desempenho do órgão como um todo.

Mas não é apenas através de sua atuação na circulação que o ginkgo beneficia o cérebro. Muitas das propriedades neuroestimulantes do composto se devem à presença dos antioxidantes, que reduzem inflamações e combatem o estresse oxidativo causado pelo envelhecimento ou por doenças degenerativas.

Pesquisadores da Universidade de Munique, na Alemanha, observaram que adultos saudáveis apresentaram melhoras significativas no funcionamento cerebral (medido através de autoavaliação) e na qualidade de vida após utilizarem ginkgo biloba por um período de quatro semanas.

Quando comparados ao grupo placebo, os participantes que receberam ginkgo biloba também exibiram melhor desempenho motor e estabilidade emocional.

Em outros estudos, uma dosagem de 240 mg ao dia trouxe benefícios não apenas à memória mas também pôde auxiliar no tratamento de sintomas da TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade).

9. Alzheimer

A acetilcolina é um neurotransmissor que atua principalmente no hipocampo, uma pequena estrutura localizada nos lombos temporais do cérebro, considerada a principal “sede” da nossa memória.

É função da acetilcolina permitir a comunicação entre os neurônios e auxiliar na formação da memória. Baixos níveis do neurotransmissor no cérebro têm sido associados ao Alzheimer.

Testes demonstraram que a ginkgo biloba aumenta a capacidade da acetilcolina de se ligar a um receptor, aumentando sua atuação cerebral. Assim, tomar ginkgo biloba diariamente pode fazer com que o cérebro absorva mais acetilcolina, e fique de certa maneira mais protegido contra o Alzheimer e outras doenças relacionadas ao declínio da função neurológica, como a demência.

Em um estudo duplo-cego (ou seja, nem os participantes ou os autores da pesquisa tinham conhecimento de quem estava recebendo o suplemento ou o placebo) publicado no Human Psychopharmacology, pessoas com demência ou Alzheimer que utilizaram extrato de ginkgo biloba durante três meses apresentaram uma melhora significativa em seus níveis de atenção, função cognitiva e memória.

Indicações de Ginko Biloba

O uso de gingko biloba é indicado para pessoas de todas as idades que queiram melhorar as funções neurológicas, aprimorar a memória, aumentar o desempenho cerebral em tarefas cognitivas ou então melhorar a circulação sanguínea nos membros inferiores.

A planta também é indicada para quem sofre com hemorroidas, asma, fibromialgia, dores de cabeça, impotência, falta de libido, má circulação e outras condições relacionadas a alterações do fluxo sanguíneo.

Efeitos Colaterais

De acordo com a Mayo Clinic, o uso de ginkgo biloba por um período de até seis meses parece não trazer maiores riscos à saúde. Algumas pessoas podem sofrer com efeitos colaterais menos severos, como dores de estômago, coceira na pele, tontura e dores de cabeça.

Por outro lado, de acordo com a Universidade de Maryland, existem relatos (conflitantes, já que não estabelecem relação de causa e efeito, mas apenas uma correlação) de hemorragia interna em pessoas que estavam fazendo uso do suplemento.

Outros possíveis efeitos colaterais do ginkgo biloba:

  • Queda na pressão arterial;
  • Diminuição dos níveis de insulina no sangue;
  • Constipação.

Como afina o sangue e reduz a capacidade de coagulação do organismo, a ginkgo biloba deve ser evitada por pessoas que estejam tomando medicamentos anticoagulantes, como a varfarina.

Outras contraindicações de ginkgo biloba: hipertensão, histórico de câncer ou doenças cardíacas e uso de medicamentos antidepressivos, anticonvulsivantes ou outros que sejam metabolizados no fígado.

Como Tomar

Atualmente a orientação é tomar de 80 a no máximo 240 mg de ginkgo biloba ao dia. Em geral, os principais estudos sobre o ginkgo biloba utilizam as doses maiores para avaliação dos benefícios da planta. Isso porque determinadas propriedades de ginkgo biloba só se manifestam quando o produto é utilizado em concentrações elevadas (acima de 120 mg ao dia).

Assim, caso pense em utilizar o suplemento para uma condição específica, converse com seu médico sobre a possibilidade de tomar ginkgo biloba três vezes ao dia (3 cápsulas de 80 mg cada).

Para evitar desconfortos gástricos, tome o suplemento durante as principais refeições.

Preço

O preço do ginkgo biloba é de aproximadamente R$32,00 pela caixa com 30 comprimidos de 80 mg cada. Uma marca conhecida do suplemento comercializa o produto online a R$84,00 a embalagem com 240 comprimidos de 60 mg cada.

Referências adicionais:

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você já conhecia a Ginkgo Biloba e para que serve ao nosso organismo? Tem vontade de experimentar esta suplementação, por que propósito? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (27 votos, média: 3,89 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

18 comentários

  1. ENOCHE DE FREITAS NOBRE

    A Partir de hoje dia 02 de outubro de 20l6 estou começando a fazer uso do cha das folhas de gongo biloba pois a l6 anos sou impotete ja usei centenas de produtos e não tive resultado e estou as margens de perder meu casamento se der resultado volto a falar ok

  2. fatima t barreto ,tenho 58 anos ja a 6 anos, venho sofrendo ,e tratando de fibromialgia,sem me indiquem o que fazer ,ja nao sou a mesma resposta de melhora ,

    SOU FATIMA T. B. BARRETO ESTOU FAZENDO TRATAMENTO DE FIBROMIALGIA ,A 6 ANOS MAS TODO MEDICAMENTO RECEITADO PELO MEU MEDICO ,NAO MELHORO,ESTOU CADA DIA PIOR ,ESTOU COM 58 ANOS ,MINHA VIDA NAO E A MESMA DESDE ENTAO,O QUE ME DIZEM A RESPEITO DESTA DOENÇA ,AGUARDO RESPOSTA .OBRIGADO.

  3. Farei uso do Gingo para tratamento de Zumbido pois conforme referência é muito utilizado.
    Espero que melhore ou pelo menos reduza o zumbido de panela de pressão que escuto a mais de 5 anos.

  4. Rosângela de Francisco

    Quero começar a utilizar o Ginkgo Biloba porque em minha família temos diversos casos de Alzheimer. Há alguns anos minha tia – irmã da minha mãe – utilizou junto com a medicação para Parkinson e Alzheimer e os sintomas das duas doenças foram aliviados. Vou consultar um médico para saber se meu filho também pode utilizar para auxiliar nos estudos da faculdade.

  5. Estou usando para labirintite e ansiedade então vai servir?

  6. Ginkgo Biloba me faz muito bem todos estes sintomas apresentado faz parte da minha rotina como :zumbido, esquecimento, uma leseira, tristeza, fadiga. Tomo um por dia de 80 me faz muito bem.

  7. uma pergunta – se a ginkgo biloba provoca queda da pressão arterial, como diz o texto, ela não deveria ser indicação para hipertensos?
    por que o texto diz que ela é contra-indicada para hipertensos?

    • Tambem gostaria de saber sobre isso

      uma pergunta – se a ginkgo biloba provoca queda da pressão arterial, como diz o texto, ela não deveria ser indicação para hipertensos?
      por que o texto diz que ela é contra-indicada para hipertensos?

  8. Mesmo tomando metrotexato e requinol pode tomar o ginkgo?

  9. Vou começar a fazer porque tenho Sindrome de Raynaud já em estado avançado e tenho 66 anos.

  10. Comprei uns comprimidos de GB e quando cheguei a casa fiquei assustada pois diz que tem 6750 MG por comprimido… Como é possível, será que se enganaram nos MG!!?? Serão 67,5mg!?? Não sei o que fazer…

  11. num momento diz que baixa a pressão arterial depois diz que é contraindicado para hipertensos…como assim?

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*