Publicidade

 

Karina Superou Bullying e Bulimia e Emagreceu 36 Kg

A adolescência é um período de grandes mudanças na vida de uma pessoa e por isso não costuma ser uma fase tão fácil. Imagine então estar passando por esse momento de transição, estar acima do peso e ter que aturar o bullying dos colegas da escola, recebendo apelidinhos ofensivos como “chupeta de baleia”, com apenas 12 anos de idade? Pode mexer com a cabeça de qualquer um, não é mesmo?

Publicidade

Foi exatamente isso que aconteceu com a estudante paulista Karina Moreira da Silva, hoje com 20 anos. No início, ela tentava relevar as provocações, mas conforme o tempo foi passando e a moça via suas amigas crescerem e mudarem de corpo, ela começou a ficar bem incomodada com a situação.

Então Karina começou a pesquisar sobre a bulimia – um distúrbio alimentar em que a pessoa come em excesso e vomita o que ingeriu para evitar o ganho de peso – como uma maneira de tentar emagrecer.

Como já estava acostumada a comer exageradamente, a jovem não precisava fazer tanto esforço para conseguir vomitar. Sem entender a gravidade de seu problema, ela continuou com o hábito até os 17 anos de idade. “Era muito nova e minha cabeça era diferente. Eu não tinha medo e isso não me afetava, porque o importante era ser magra”, admitiu.

Com o tempo, o distúrbio começou a afetar a sua saúde e a prejudicar o seu desempenho na escola. Ela também contou que passava mal no colégio e seu raciocínio tinha ficado lento.

Karina bem que tentou disfarçar, mas não conseguiu esconder o problema de sua mãe e irmã, que ao descobrirem e cuidarem da moça, foram fundamentais para os primeiros passos da sua recuperação. “Elas conversaram comigo e cuidaram de mim, para que eu não fizesse mais nada perto ou longe delas. Fez muita diferença, até mais do que a terapia que eu fiz”.

E a mãe da estudante continuou a incentivar a saúde da jovem: de presente de aniversário, ela ganhou um período na academia. Ali, Karina encontrou uma forma de se acalmar e decidiu mudar os seus hábitos, diminuindo as porções dos alimentos que comia.

Um ano e meio depois disso, ela havia saído dos 98 para os 48 kg, mas continuava com a saúde fraca, já que as crises de bulimia ainda persistiam. Por conta da doença, ela sofria com crises fortíssimas de gastrite.

Publicidade

Ao procurar o médico e fazer exames, descobriu que a gastrite poderia evoluir para uma úlcera e entendeu que o que fazia não valia a pena. Era o que precisava para Karina colocar um ponto final na bulimia.

karina2

Hoje, mais saudável, com 62 kg – 36 a menos que os 98 que pesava anteriormente – o novo estilo já está completamente incorporado à vida da paulista. Como passa o dia inteiro longe de casa, ela faz quatro marmitas e come de três em três horas, mas nunca em grandes quantidades. Ela também consegue arranjar tempo para malhar na academia cinco vezes por semana.

Apesar de sofrer menos com gastrite, Karina – que atualmente cursa a faculdade de psicologia – ainda tem reflexo da bulimia nos dentes e admite que a forma que chegou aos 48 kg não foi a melhor. Ela confessa ter emagrecido para que ninguém a criticasse, mas entende que isso acabou atingindo ela e sua família.

Agora a estudante levanta a bandeira de que é possível emagrecer de maneira adequada, sem querer agradar as outras pessoas. Sua meta é chegar aos 56 kg de forma saudável e fazer uma abdominoplastia, para se livrar do excesso de pele que adquiriu por conta de sua perda de peso.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você conhece alguém que tenha caído no conto da bulimia para tentar perder peso? Essa pessoa conseguiu se recuperar? E como foi? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

×