radicais livres

O Que São Radicais Livres?

Publicidade

Muito se fala sobre radicais livres atualmente, principalmente no que diz respeito às doenças que eles podem causar, entre elas o câncer. Embora muito se fale sobre eles, o foco principal está na maioria das vezes em como combatê-los, o que nos deixa sem saber o que são radicais livres exatamente e como eles prejudicam nossas células e nossa saúde. Se você quer saber o que são radicais livres, continue lendo.

O que são Radicais Livres exatamente?

Para se explicar o que são radicais livres, é preciso entrar na área da química. Átomos são partículas que consistem de um núcleo, prótons, elétrons e nêutrons. O número de prótons, que são as partículas com carga positiva, determina o número de elétrons, que são as partículas com carga negativa. São os elétrons que se envolvem nas reações químicas e que formam ligações com outros átomos para criar moléculas.

Os radicais livres são átomos que possuem um número ímpar de elétrons e que são formados quando o oxigênio interage com as células. Normalmente, quando uma ligação é quebrada, isso não acontece de forma a deixar um átomo com uma quantidade ímpar de elétrons, mas isso pode acontecer no caso de ligações fracas, gerando então os radicais livres.

Os radicais livres são muito instáveis e altamente reagentes, de forma que tentam capturar elétrons de outros compostos para ganhar estabilidade. Assim, após a formação de um radical livre, ele começa a “roubar” elétrons de outras moléculas, fazendo com que elas também fiquem com um número ímpar de elétrons, e transformando-as em radicais livres. Isso gera uma reação em cadeia que, uma vez iniciada, pode causar danos às células vivas.

Os radicais livres podem se formar no corpo a partir de processos metabólicos normais ou por fontes externas, como raios x, ozônio, fumo, poluição do ar e substâncias químicas. Algumas fontes internas e externas de radicais livres são mitocôndria, xantina oxidase, peroxissomos, inflamação, fagocitose, exercício, isquemia, fumaça de cigarro, poluentes do meio ambiente, radiação, várias drogas e pesticidas, solventes industriais e ozônio.

Radicais Livres: O que eles causam?

Quando há um desequilíbrio entre a quantidade de radicais livres e antioxidantes no corpo, o resultado é a condição chamada estresse oxidativo. Essa condição está associada a danos a várias espécies moleculares, entre elas lipídios, proteínas e ácidos nucleicos. Esse tipo de estresse pode ocorrer em tecidos com ferimentos causados por traumas, infecção, ferimentos de calor, hiperóxia, toxinas e excesso de exercícios.

Doenças como câncer, assim como os efeitos colaterais da radiação e quimioterapia, e complicações em doenças como diabetes mellitus, doenças nos olhos relacionadas à idade e doenças degenerativas como Mal de Parkinson são ligadas aos radicais livres.

O estresse oxidativo causado pelos radicais livres também é considerado um agente em doenças como arteriosclerose, inflamações, artrite, vasculite, glomerulonefrite, lúpus, doenças respiratórias em adultos, doenças cardíacas, derrames, isquemia intestinal, hemocromatose, síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS), enfisema, úlceras gástricas, hipertensão e pré-eclampsia, mal de Alzheimer, mal de Parkinson, distrofia muscular, alcoolismo, doenças relacionadas ao fumo e muitas outras.

O excesso de estresse oxidativo também pode causar a oxidação de proteínas e lipídios, o que é associado a mudanças de estrutura e função.

Radicais Livres e envelhecimento

Um dos efeitos mais visíveis dos radicais livres no corpo é o envelhecimento. Muitos estudos demonstram o papel dos radicais livres no processo de envelhecimento.

Quando ocorre a reação em cadeia na formação de radicais livres, pode ocorrer o ligamento cruzado de DNA, que leva a vários efeitos do envelhecimento. Além disso, a oxidação de moléculas de proteínas e lipídios pode levar a rugas. A oxidação do LDL, o colesterol bom, causada pelos radicais livres, leva à formação de placas nas artérias, causando doenças cardíacas e derrames. Assim, os radicais livres são considerados importantes na origem de muitas doenças crônicas ligadas ao envelhecimento.

Radicais Livres e exercícios

Foi comprovado durante estudos que a prática de exercícios aumenta a quantidade de radicais livres no corpo, devido à utilização maior de oxigênio. Para entender os riscos de danos a músculos e outros tecidos do corpo em atletas e pessoas que praticam exercícios regularmente, cientistas mediram os resultantes das reações dos radicais livres no corpo de atletas.

Os resultados mostraram que, embora os exercícios aumentem a produção de radicais livres, eles também melhoram a resposta do corpo aos antioxidantes, fazendo com que o equilíbrio seja mantido e que os radicais livres não sejam capazes de causar danos ao corpo. Porém, os resultados também mostraram que nos casos, por exemplo, de pessoas que são sedentárias durante a semana e fazem exercícios nos finais de semana, o corpo continua tendo a mesma resposta aos antioxidantes, de forma que os danos às células e tecidos podem ocorrer devido ao número maior de radicais livres.

Radicais Livres: Como combater?

A melhor forma de combater os radicais livres é ingerindo alimentos ricos em antioxidantes, moléculas que interagem com os radicais livres e quebram a reação em cadeia antes que eles causem danos a moléculas importantes para o corpo. Os principais antioxidantes necessários ao corpo são a vitamina E, que está presente em castanhas, sementes, óleos vegetais e de peixe, grãos integrais, cereais fortificados e damasco; vitamina C, presente em frutas cítricas, pimenta verde, repolho, espinafre, brócolis, couve, melão cantaloupe, kiwi e morangos; e betacaroteno, presente em fígados animais, gema de ovo, leite, manteiga, espinafre, cenoura, abóbora, brócolis, inhame, tomate, melão cantaloupe, pêssego e grãos.

Outros alimentos ricos nesses e em muitos outros antioxidantes são chá verde, chá preto, chá mate, feijão, mirtilo, cranberry, amora, alcachofra, framboesa, maçã, cereja, ameixa preta, etc.

Uma dieta equilibrada com 5 a 7 porções diárias de frutas e vegetais deve ser o bastante para te oferecer a quantidade de antioxidantes que você precisa.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Conseguiu entender agora o que são radicais livres? Você acredita que está ingerindo quantidade suficiente de alimentos com antioxidantes para preveni-los? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 4,20 de 5)
Loading...
Publicidade

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*