Peeling laser

Peeling Laser – O Que é, Antes e Depois, Para Que Serve e Dicas

Para quem não anda muito contente com o aspecto de sua pele, uma alternativa é submeter-se a algum tratamento ou procedimento estético com o intuito de melhorar ou rejuvenescer a pele.

Entretanto, antes de fazer qualquer tipo de tratamento ou procedimento, é fundamental conhecer bem a técnica em questão e conversar com um médico de confiança para se certificar de que ele é realmente adequado para o seu caso e que não trará problemas para a saúde.

O que é o peeling laser? 

Tendo isso em vista, vamos conhecer melhor um desses procedimentos estéticos para a pele – o chamado peeling laser – e conhecer para que serve esse tratamento?

De acordo com informações do doutor André Freitas Colaneri, especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, os peelings são procedimentos que têm o objetivo de desbastar (tornar menos espesso e mais fino, retirar o excesso, polir, segundo o Dicionário Michaelis) as camadas da pele para promover uma regeneração controlada e revitalizá-la.

Colaneri ainda relata que os peelings são classificados conforme a profundidade em que atingem a pele, conforme as camadas que lesam e regeneram. Além disso, o peeling laser de CO2 fracionado é um peeling profundo.

O especialista esclarece que os peelings profundos atingem a derme, que é a camada intermediária da pele, e provocam uma maior remodelação da pele, com uma elevação da produção de colágeno, retração da pele e melhora das manchas mais profundas.

De acordo com o Centro Médico da Universidade de Maryland, o colágeno é uma substância utilizada na formação da pele.

Colaneri também ressalta que quanto mais profundo é um peeling, maior é o dano sofrido pela pele e maior é a sua remodelação e retração. Por outro lado, ele alerta que danos maiores trazem maiores riscos de complicações como o aparecimento de manchas e cicatrizes, principalmente em pessoas com tons de pele mais escuros.

Método foi aprimorado

Segundo o especialista André Colaneri, o peeling laser de CO2 fracionado é um aprimoramento de uma técnica conhecida pelo nome de Ressurfacing. No novo procedimento, a aplicação do laser de CO2, que antes era contínua e atingia toda a pele como um scanner, passou a ser feita de maneira ininterrupta, funcionando como uma luz por meio de uma peneira.

Ele explica também que o procedimento, que tem, em média, a duração de 20 minutos, não queima toda a superfície da pele, deixando pequenos fragmentos da pele íntegros e proporcionando uma recuperação mais rápida, com complicações não frequentes.

Colaneri informa que o tratamento é indicado para os casos de flacidez, manchas, rugas superficiais, sequelas de acne e estrias, porém, ressalta que a aplicação é dolorosa e pode ser feita com anestesia tópica ou leve sedação.

O que acontece após a aplicação do peeling laser 

De acordo com André Colaneri, imediatamente depois da aplicação do peeling laser de CO2 fracionado, a pele fica ligeiramente avermelhada, entretanto, não apresenta dor. Não é comum que a dor apareça em nenhum período da etapa da recuperação, ainda que um leve ardor possa surgir uma vez ou outra.

No segundo dia após o procedimento é que aparecem as reações causadas pelo laser na pele. Entre elas, estão a maior intensidade da vermelhidão e o inchaço. A recomendação dada para amenizar esses efeitos é aplicar compressas geladas na área no dia da aplicação e nesse segundo dia.

Além disso, ele também esclarece que, aos poucos, a pele vai ressecando e vão sendo formadas pequenas crostas nos lugares onde houve a penetração do laser. Para favorecer a regeneração, diminuir a sensação de ressecamento e o ardor, a indicação é utilizar hidratantes especiais.

Vale a pena conversar com o responsável pela aplicação do seu peeling laser sobre qual tipo de hidratante é o mais apropriado. Como informa o especialista André Colaneri, depois de três a quatro dias, as crostas são descamadas, a pele vai regenerando-se aos poucos e a vermelhidão diminui, tornando-se muito menos intensa.

Ele também afirma que depois com a descamação, a pele passa a adquirir uma textura mais macia e lisa e com menos manchas. A produção e reorganização do colágeno dura alguns meses e faz com que a pele retraia e seja reduzida.

Caso seja necessário e indicado para aprimorar os resultados, uma nova aplicação pode acontecer depois de 30 a 60 dias da primeira.

O período de recuperação do procedimento ainda exige a aplicação de protetor solar de fator 40 ou mais, no mínimo duas vezes ao dia, e também é preciso evitar a exposição contínua ao sol, segundo o doutor André Colaneri.

Antes e depois do peeling laser

Confira a seguir algumas imagens de antes e depois atribuídas ao peeling laser e ao laser CO2 fracionado:

Peeling Laser – Imagem: via peelings.com.br

Laser C02 Fracionado – Imagem via: fotosantesedepois.com

Laser C02 Fracionado – Imagem via: fotosantesedepois.com

Laser C02 Fracionado – Imagem via: fotosantesedepois.com

Laser C02 Fracionado – Imagem via: fotosantesedepois.com

Laser C02 Fracionado

Cuidados com o peeling laser e o laser CO2 fracionado

O especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, André Freitas Colaneri também ressalta a importância de que o procedimento seja feito exclusivamente por médicos especialistas e capacitados para o tratamento como forma de diminuir os riscos e obter melhores resultados.

O laser CO2 fracionado pode provocar danos na pele, sendo fundamental que o procedimento com esse tipo de laser seja realizado por um médico dermatologista ou cirurgião plástico que saiba manusear a tecnologia.

Colaneri ainda alerta que o procedimento é mais indicado para pessoas de peles claras dos tipos I a III na chamada escala de fototipos de Fitzpatrick. Esses tipos são aquelas peles que queimam com facilidade e nunca bronzeiam, queimam com facilidade e bronzeiam muito pouco e queimam moderadamente e bronzeiam moderadamente.

O laser CO2 fracionado é contraindicado para pessoas com pele negra, com cicatrizes queloides, vitiligo, lúpus e outras doenças fotossensíveis, herpes em atividade e outras infecções na pele e que façam uso de remédios fotossensibilizantes, anticoagulantes orais e do remédio isotrenoína para acne.

Pacientes com problemas de cicatrizes escuras ou claras (cicatrização hipercrômica e cicatrização hipocrômica, respectivamente) devem ser avaliados antes da realização do procedimento.

Para as pessoas que sofrem com herpes labial, é necessário utilizar medicamento antes e depois do procedimento para evitar o surgimento de lesões. O modo de usar o remédio e qual medicamento utilizar devem ser verificados com o médico responsável.

Antes da aplicação, a pele precisa estar limpa e ser gorduras, não deve estar bronzeada e o uso de ácidos e cremes está liberado para até dois dias antes da realização do procedimento.

Antes de se submeter ao tratamento, converse com o médico que fará a aplicação, deixe que ele examine a sua pele para verificar se você realmente pode submeter-se ao tratamento e tire todas as dúvidas que tiver.

Não faça o procedimento sem ter a certeza de estar lidando com bons profissionais e que a técnica é segura para a saúde da sua pele, para não correr riscos de sofrer com complicações mais tarde.

Você conhece alguém que tenha passado pelo procedimento de peeling laser e tenha tido bons resultados? Tem vontade de fazer também? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*