Publicidade

 

Estrias

Peeling para Estrias Funciona? Tipos, Antes e Depois e Cuidados

Os peelings são procedimentos que têm o objetivo de desbastar (tornar menos espesso e mais fino, retirar o excesso, polir, segundo o Dicionário Michaelis) as camadas da pele para promover uma regeneração controlada e revitalizá-la, de acordo com informações do doutor André Freitas Colaneri, especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Publicidade

Colaneri ainda relata que os peelings são classificados conforme a profundidade que atingem a pele, conforme as camadas que lesam e regeneram. O especialista esclarece que os peelings profundos atingem a derme, que é a camada intermediária da pele, e provocam uma maior remodelação da pele, com uma elevação da produção de colágeno, retração da pele e melhora das manchas mais profundas.

Conforme informações do Centro Médico da Universidade de Maryland, o colágeno é uma substância utilizada na formação da pele.

André Colaneri também ressalta que quanto mais profundo é um peeling, maior é o dano sofrido pela pele e maior é a sua remodelação e retração. Por outro lado, ele alerta que danos maiores trazem maiores riscos de complicações como o aparecimento de manchas e cicatrizes, principalmente em pessoas com tons de pele mais escuros.

Além disso, a Academia Americana de Dermatologia (AAD) esclarece que esse tipo de procedimento serve para melhorar a aparência geral da pele e que, durante o peeling, uma solução química é aplicada para causar uma separação e um desprendimento da camada exterior da pele.

A AAD também ressalta que o procedimento pode utilizar diversos agentes como ácidos láticos, ácido glicólico, ácido salicílico e ácido carbólico, também conhecido pelo nome de fenol.

O que é o peeling para estrias? 

Em suma, trata-se de um procedimento para tratar as estrias em que algum ácido é aplicado de forma mais concentrada sobre uma área afetada pelas estrias. 

Publicidade

O peeling para estrias funciona?

Quem gosta de olhar para o corpo e perceber que ele está com estrias? Mas será que o peeling para estrias é uma boa forma de combater o problema?

A especialista em cuidados com a pele Paula Begoun, que escreveu diversos livros a respeito do tema, afirma que uma série de peelings químicos podem ser considerados para o tratamento das estrias.

No mesmo sentido, especialistas costumam indicar o peeling, ao lado de outros procedimentos como dermoabrasão e luz pulsada, como forma de tratar o problema.

O Consumer Guide to Plastic Surgery (Guia do Consumidor sobre Cirurgia Plástica, tradução livre) relata que os peelings químicos, ao lado de técnicas como a microdermoabrasão, podem melhorar a aparência das estrias, deixar a pele mais suave e diminuir a descoloração.

De acordo com Begoun, os peelings que utilizam uma concentração de 20% do chamado ácido tricloroacético (TCA, sigla em inglês) podem ser mais benéficos do que aqueles que usam substâncias mais fracas, como os alfa-hidroxiácidos e os beta-hidroxiácidos.

Publicidade

Conforme a explicação da especialista em cuidados com a pele, isso acontece porque o TCA penetra mais profundamente na pele e pode encorajar o crescimento do colágeno e da elastina.

A elastina é uma proteína que fica ao redor da pele, dos órgãos e dos tecidos conjuntivos e que fornece a eles força e elasticidade, além de fazer com que a pele e outros órgãos mantenham o seu formato e se recuperem rapidamente caso sejam esticados.

As estrias são desenvolvidas sempre que a pele é estendida para acomodar uma massa extra, o que acontece por conta de uma gestação, do aumento de peso e durante a adolescência, quando ocorrem surtos rápidos de crescimento.

Além disso, a Mayo Clinic esclarece que as estrias também podem ocorrer por conta do hormônio cortisona, que pode fazer com que as fibras de elastina sejam decompostas e que as estrias sejam formadas.

Em outras palavras, as estrias são desenvolvidas por conta do rompimento das fibras elásticas que dão sustentação para a camada intermediária da pele e são formadas por colágeno e elastina, compostos que são responsáveis pela elasticidade e tonicidade da pele.

Por outro lado 

Em uma revisão a respeito de diversos tratamentos para estrias, o The Patient’s Guide to Stretch Marks (Guia do Paciente sobre as Estrias, tradução livre) descreve o peeling para estrias como minimamente efetivo.

A explicação para isso é que é extremamente difícil restabelecer a elastina que já foi danificada. No guia, o dermatologista Brian Zelickson também afirma que a melhor opção para lidar com as estrias é fazer uma série de tratamentos a laser para estrias.

A indicação é que o pulsed-dye laser geralmente serve para as estrias mais novas e que o laser fracionado costuma ser recomendado para as estrias mais velhas ou brancas.

Por sua vez, a esteticista Érika Miranda alerta que o peeling para estrias deve ser combinado com outros tipos de tratamento como o peeling de cristal ou de diamante. Segundo ela, eles promovem uma pequena esfoliação local e estimulam a produção de colágeno.

Fotos antes e depois de peeling para estrias

Atenção: lembre-se que cada caso é um caso e as fotos são meramente ilustrativas. Portanto, não existem garantias de que se você se submeter ao mesmo tratamento de peeling para estrias terá um resultado igual ao apresentado nas imagens acima. 

Cuidados com o peeling para estrias

Como alerta a especialista Paula Begoun, os peelings devem ser realizados por um dermatologista ou um cirurgião estético.

O tratamento com o peeling pode ser utilizado para todos os tipos de estrias, exceto quando existe uma ulceração no local afetado.

Por isso, antes de fazer o procedimento, também é importante passar por uma avaliação dermatológica para se certificar de que realmente você pode submeter-se ao peeling para estrias e que o tratamento não fará mal e se realmente pode ser eficiente para o seu caso.

Além disso, é fundamental tirar todas as dúvidas com o médico e obedecer a todas as recomendações dele sobre o que deve ser feito antes e depois do procedimento.

O Guia do Consumidor sobre Cirurgia Plástica recomenda que o profissional escolhido tenha treinamento e habilidade para fazer esse tipo de procedimento e que o paciente solicite imagens de antes e depois de outros que já se submeteram a um tratamento deste com o médico em questão.

Entretanto, tenha em mente que não é porque o procedimento funcionou para uma pessoa, que necessariamente será excelente para o seu caso. Cada um apresenta um quadro que requer diferentes tratamentos e pode apresentar diferentes resultados com a aplicação do peeling para estrias. Portanto, sempre escute as recomendações do seu médico de confiança.

Outra sugestão útil é fazer uma pesquisa a respeito do médico em questão e conversar com pessoas que já passaram por ele, para conhecer qual é a sua reputação. Obviamente, as recomendações também servem para outros tratamentos e/ou procedimentos que você cogite realizar para tratar as suas estrias.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você tem curiosidade de fazer um peeling para estrias? Conhece alguém que tenha feito e procedimento e obtido bons resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

×