Publicidade

 

Grávida

Placenta Prévia – O Que é, Tipos e Cuidados

O período da gestação é um momento especial na vida da mulher. Além das mudanças naturais no corpo feminino, também podem acontecer sintomas de enjoo, cansaço, pernas inchadas, sono excessivo, instabilidade emocional, podendo também ocorrer pequenos problemas ou até complicações mais graves durante a gravidez. Desta forma, é sempre fundamental o adequado acompanhamento médico e também a realização de alguns cuidados.

Publicidade

Vamos conhecer abaixo o que é o problema de placenta prévia e conhecer os principais tipos e os cuidados necessários no dia a dia para os pacientes.

O que é a placenta?

A placenta é um órgão que se desenvolve durante a gestação, atuando em diversas funções, sendo a primeira delas a proteção do bebê dentro do útero, principalmente contra impactos. Outra função fundamental da placenta é que esta é responsável pela transferência de nutrientes e de oxigênio entre a mãe e o bebê, garantindo a vida e o desenvolvimento do feto.

A placenta também é responsável por auxiliar na secreção de alguns hormônios que são essenciais para esta fase, ajudando a aumentar a proteção imunológica do bebê e também sendo responsável pela eliminação de resíduos do mesmo através da urina, por exemplo.

A placenta é formada através de tecidos tanto do útero quanto do feto. O crescimento da placenta ocorre de forma mais intensa no início da gravidez e até o final da gestação, o bebê já estará maior e mais pesado do que este órgão. Durante a realização do parto normal, a placenta é expelida do corpo da mulher após 4 a 5 contrações uterinas.

No entanto, algumas complicações podem acontecer neste órgão durante a gravidez, criando um risco para o bebê e para a mãe, trazendo graves consequências para a gestação. Entre os muitos problemas que podem acontecer está o deslocamento da placenta, o problema de placenta calcificada ou envelhecida, o infarto da placenta, a trombose placentária e a placenta prévia, entre muitos outros.

O que é o problema de placenta prévia?

A placenta prévia é um dos problemas que podem acontecer durante a gravidez que ocorre em função do posicionamento da placenta, normalmente, no início da gestação. Isto acontece quando a placenta recobre de forma parcial ou totalmente a abertura interna do colo do útero, impedindo a realização do parto normal.

Quando a placenta está perto do colo do útero, mais para frente, pode ocorrer sangramento, levando a situações mais graves e até mesmo a um parto prematuro. Algumas mulheres, no momento de dar à luz, precisam ser submetidas, inclusive, a uma cesariana em função do problema.

Publicidade

Em geral, durante a gravidez, a placenta se movimenta conforme o útero cresce, sendo, normalmente, mais baixa no início da gestação e se movendo ao longo de todo o período de gravidez. O ideal é que no terceiro trimestre, a placenta esteja perto do topo do útero, ajudando a permitir a saída do bebê no parto normal.

É possível realizar facilmente o diagnóstico da placenta prévia através de um ultrassom no começo da gravidez. Durante o processo de crescimento do bebê na gestação, o útero aumenta de tamanho e ocorre um afastamento natural da placenta em relação ao colo do útero, podendo também ocorrer mudanças de posicionamento da mesma ao longo do período de gravidez.

Alguns cuidados devem ser realizados pelas pacientes durante a gestação, especialmente se existem alguns sintomas do problema como a presença de sangramento vaginal, devendo-se buscar a ajuda imediata de um médico para evitar qualquer agravamento do problema.

Quais os principais tipos de placenta prévia?

Existem, basicamente, quatro tipos de placenta prévia em função do seu posicionamento. Em primeiro lugar está a placenta de inserção baixa, que não encobre o colo do útero e que ainda permite a realização do parto normal. O segundo tipo é a placenta localizada no extremo inferior, também conhecida como placenta prévia marginal, permanecendo encostada na abertura do colo do útero.

O terceiro tipo é quando a placenta está posicionada cobrindo parcialmente a abertura do colo do útero, sendo também chamada de placenta prévia parcial. Neste caso, o parto normal ainda é possível de ser realizado, mas dependerá do quanto a placenta está cobrindo a abertura uterina.

E, por fim, o quarto tipo é quando a mesma cobre completamente a entrada do colo do útero, conhecida também como placenta prévia total. Este tipo é o mais grave de todos, sendo sempre recomendada a cesariana, podendo ser necessário, inclusive, o parto prematuro do bebê.

Quais as principais causas da placenta prévia?

Durante a fecundação do óvulo, este é dividido em duas partes distintas. A primeira irá dar origem ao embrião e a segunda irá formar a placenta. Em geral, a placenta será formada perto do fundo da cavidade uterina, longe da abertura do colo do útero. No entanto, em alguns casos, ela se forma na região mais baixa da cavidade uterina, causando a placenta prévia.

A princípio, este problema pode ocorrer com qualquer mulher durante a gravidez, mas pode ter maior risco de se desenvolver em pessoas com algumas condições prévias. Mulheres que já tiveram o problema de placenta prévia em alguma gestação, que tenham passado por uma ou mais cesarianas ou que tiveram alguma gravidez de gêmeos, gerando a placenta grande, podem ter maior propensão de desenvolver o problema.

Publicidade

Esta condição também pode estar associada a mulheres que tenham sido submetidas a cirurgias uterinas, que tenham mais de 35 anos durante a gravidez ou que tenham histórico de tabagismo e de uso de drogas, aumentando assim o risco de desenvolver a placenta prévia.

Quais os principais cuidados que devem ser tomados?

As pacientes com placenta prévia devem tomar os devidos cuidados para evitar qualquer complicação durante a gravidez. Quando o problema é identificado no período final da gestação, após a 20ª semana, sem que tenha ocorrido sangramento, a mulher deve ter cuidados com o repouso adequado, evitando exercícios físicos e também situações de estresse. A mulher pode fazer exercício desde que tenha o acompanhamento de um médico.

Quando durante a gestação, no entanto, ocorre algum sangramento, pode também ser recomendada a internação da paciente até que ocorra o nascimento do bebê, garantindo, assim, a permanência da mulher e do bebê seguindo os cuidados e com vigilância médica constante.

Conclusão

A placenta prévia é um problema que pode acontecer durante a gestação. Existem diversos tipos, entre eles a placenta prévia marginal e a placenta prévia total. As causas para este problema não são completamente conhecidas, portanto não é possível prevenir ainda.

O acompanhamento realizado com o médico durante a gestação é fundamental para garantir o diagnóstico correto. Para cada tipo, existem cuidados e tratamentos recomendados.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você já sabia o que é a placenta prévia e seus diferentes tipos? Passou por esse problema na gravidez? Que cuidados seu médico recomendou tomar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

×