Publicidade

 

Tamoxifeno

Tamoxifeno Engorda? Efeitos Colaterais e Posologia

Tamoxifeno é um medicamento de uso oral e adulto, que é indicado para o tratamento do câncer de mama. O seu uso contínuo está associado à inibição do crescimento do câncer de mama. As informações são da bula do remédio disponibilizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Publicidade

A sua comercialização é permitida somente com a apresentação da receita com a prescrição médica.

Tamoxifeno engorda? 

Para descobrir se Tamoxifeno engorda, o primeiro passo foi recorrer às informações contidas na bula disponibilizada pela Anvisa.

E, conforme o documento, um dos efeitos colaterais que pode ser observado por quem usa o medicamento é a retenção de líquidos, uma condição que causa inchaço. Ela aparece na lista das reações muito comuns, ou seja, que atingem mais de 10% dos pacientes que utilizam o remédio.

Entretanto, a bula esclarece que essa retenção de líquido é possivelmente vista por meio de tornozelos inchados, mas não especifica algum tipo de inchaço abdominal. Logo, ao usar Tamoxifeno, a pessoa pode ficar com os tornozelos mais inchados do que o habitual.

Assim, de acordo com a lista de efeitos colaterais contida na bula do medicamento não podemos concluir que Tamoxifeno engorda, ao menos não de maneira direta.

Além disso, muitos internautas questionam a diversos especialistas médicos se o Tamoxifeno engorda, o que poderia nos levar a entender que o remédio pode provocar o aumento de peso.

Publicidade

No entanto, o mastologista de Recife – PE, Alcides Ferreira Santos, respondeu que não existem relatos ou trabalhos que indicam que o Tamoxifeno engorda.

Assim, caso você venha a experimentar a elevação do peso enquanto faz uso do medicamento, converse com o seu médico para verificar o que pode ter causado o problema, se foi realmente o remédio ou algum outro fator.

Efeitos colaterais de Tamoxifeno 

De acordo com dados da bula da Anvisa, o medicamento pode provocar os seguintes efeitos colaterais:

Reações muito comuns – em mais de 10% dos pacientes: 

  • Náusea;
  • Cansaço;
  • Sangramento vaginal;
  • Corrimento vaginal;
  • Erupções cutâneas;
  • Ondas de calor – fogachos.

Reações comuns – entre 1% e 10% dos pacientes: 

Publicidade
  • Anemia;
  • Catarata;
  • Lesão na retina – retinopatia;
  • Reações alérgicas;
  • Elevação dos níveis de triglicerídeos;
  • Dores musculares;
  • Miomas uterinos – também podem ser observados como desconforto pélvico ou sangramento vaginal;
  • Derrame cerebral;
  • Dores de cabeça;
  • Delírios;
  • Distúrbios sensoriais como sensação de dormência ou formigamento e alteração ou diminuição do paladar;
  • Coceira na vulva;
  • Alterações no endométrio (parede do útero);
  • Queda de cabelo;
  • Diarreia;
  • Prisão de ventre;
  • Alterações nas enzimas do fígado;
  • Gordura no fígado;
  • Eventos tromboembólicos como trombose venosa profunda, trombose microvascular e embolia pulmonar.

Reações incomuns – entre 0,1% e 1% dos pacientes: 

  • Diminuição das plaquetas do sangue – trombocitopenia;
  • Diminuição dos glóbulos brancos do sangue – leucopenia;
  • Alteração da visão;
  • Pancreatite – inflamação do pâncreas;
  • Hipercalemia (níveis elevados de potássio no sangue) em pacientes com metástase óssea, que é um tipo de câncer que se espalhou, de acordo com o que esclareceu o Instituto Oncoguia;
  • Câncer no endométrio;
  • Pneumonite intersticial – inflamação dos pulmões;
  • Cirrose do fígado.

Reações raras – entre 0,01% e 1% dos pacientes: 

  • Diminuição anormal dos neutrófilos (tipos de glóbulos brancos, que defendem o organismo das infecções bacterianas e fúngicas, segundo o site TD Saúde) no sangue;
  • Diminuição dos granulócitos (células sanguíneas do tipo glóbulo branco, segundo o CCM Saúde) no sangue;
  • Alterações na córnea;
  • Doenças do nervo óptico;
  • Sarcoma (câncer) uterino;
  • Endometriose;
  • Inchaço ovariano cístico;
  • Pólipos vaginais;
  • Tumor Flare;
  • Inflamação do nervo óptico;
  • Hepatite;
  • Diminuição do fluxo da bile – colestase;
  • Insuficiência hepática;
  • Lesão das células hepáticas;
  • Necrose do fígado;
  • Angioedema – inchaço na pele, nas mucosas, nas vísceras e no cérebro;
  • Síndrome de Stevens-Johnson – alterações graves na pele;
  • Vasculite cutânea – inflamação dos vasos sanguíneos mais superficiais da pele;
  • Pênfigo bolhoso – aparecimento de bolhas na pele e em mucosas como a boca e a vagina;
  • Eritema multiforme – alterações graves na pele como vermelhidão, bolhas e descamação.

Reações muito raras – em menos de 0,01% dos pacientes:

  • Lúpus eritematoso cutâneo;
  • Porfiria (distúrbio na síntese do heme, parte importante da hemoglobina, segundo o site Minha Vida) cutânea tardia.

A bula também indica que o medicamento traz o risco de provocar o aumento do risco de complicações microvasculares do enxerto em cirurgias tardias de reconstrução da mama.

Além disso, para quem sofrer com reações adversas como dificuldade para respirar com a presença ou não de inchaço na face, lábios, língua e/ou garganta, inchaço na face, lábios, língua e/ou garganta com dificuldade para engolir, inchaço nas mãos, nos pés ou nos tornozelos e vermelhidão na pele, o documento afirma que o uso de Tamoxifeno deve ser interrompido e o médico deve ser procurado imediatamente.

Para as pessoas que sofrerem com outros tipos de efeitos colaterais em decorrência da utilização do medicamento, também vale a pena consultar prontamente o médico para saber como proceder de maneira segura.

Contraindicações e cuidados com o Tamoxifeno 

A bula informa que o remédio não pode ser utilizado por crianças, pessoas que sofrem com alergia ao citrato de tamoxifeno ou a qualquer outro componente da fórmula do medicamento e por mulheres que estejam gestantes, em processo de amamentação do bebê ou tentando engravidar.

Ainda segundo o documento, Tamoxifeno deve ser usado com cuidado por pacientes que estejam na pré-menopausa, que usem métodos contraceptivos hormonais para evitar a gravidez e que sofram com sangramento vaginal ou outros sintomas ginecológicos como dor pélvica, sendo que estejam tomando ou já tenham tomado o citrato de tamoxifeno.

Tamoxifeno pode causar doping, além de interagir com outros remédios. Portanto, quem faz uso de qualquer outro tipo de medicamento deve informar o seu médico a respeito disso para que ele determine se existem riscos de interação entre o remédio em questão e Tamoxifeno.

Além disso, a bula ressalta que enquanto a pessoa sofrer com o efeito colateral do cansaço em decorrência do uso do remédio, ela deve tomar cuidado ao dirigir veículos e operar máquinas. O documento também explica que o tratamento não deve ser interrompido sem que haja o conhecimento do médico.

Posologia de Tamoxifeno 

Antes de tudo, é importante ressaltar o óbvio e lembrar que tanto a posologia como a indicação da duração do tratamento devem ser determinadas pelo médico responsável pelo tratamento.

A bula esclarece que a dose diária recomendada do medicamento é de 20 mg, que pode ser ingerida em uma dosagem única e diária ou de maneira fracionada, por meio do consumo de dois comprimidos de 10 mg. A alternativa escolhida deve ser determinada pelo médico.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você conhece alguém que tenha tomado e afirme que o Tamoxifeno engorda? Tem receio de utilizar este medicamento por este motivo? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

×