Tomando whey protein

Whey Protein Faz Mal Para o Fígado?

Você provavelmente já deve ter ouvido falar do Whey Protein, não é mesmo? Trata-se de um suplemento bastante popular e famoso entre pessoas que frequentam academias e fazem treinamentos com foco no crescimento e cultivo de massa muscular no corpo.

Entre os benefícios atribuídos ao uso desse suplemento, estão a preservação dos músculos, o auxílio à perda de gorduras, aumento da massa e da força muscular, contribuição com o controle do apetite, e, inclusive, a melhoria da imunidade.

Mas será que o whey protein faz mal para o fígado quando tomado em excesso? Há algum outro possível dano que possa causar ao organismo? É o que vamos conferir abaixo.

O fígado 

O fígado é a maior glândula que existe no organismo humano, que oferece suporte a praticamente todos os outros órgãos do corpo. Não é possível para uma pessoa sobreviver sem que ela tenha um fígado saudável.

O órgão é responsável pela produção de uma substância chamada bile, que é necessária para a digestão de gorduras. O fígado atua na desintoxicação do sangue para a eliminação de substâncias prejudiciais como álcool e drogas e no armazenamento do mineral ferro e de algumas vitaminas.

O órgão trabalha ainda no armazenamento de glicose, na conversão do açúcar armazenado em açúcar funcional nos períodos em que os níveis de glicose estão abaixo do normal e na decomposição da hemoglobina, da insulina e de outros hormônios.

Mas não termina por aí – o fígado converte a amônia em ureia, algo descrito como vital para o metabolismo, e atua na destruição dos glóbulos vermelhos velhos.

Será que o Whey Protein faz mal para o fígado? 

Como acabamos de aprender, o fígado é realmente muito importante para diversas funções do nosso organismo. Por conta disso, antes de usar qualquer tipo de suplemento, incluindo o Whey Protein, é fundamental saber se e como ele pode afetar o órgão, mesmo com todos os benefícios e vantagens que o produto em questão prometa trazer.

Pois bem, especialistas afirmam que não é correto afirmar que o Whey Protein faz mal para o fígado. Inclusive, conforme o Centro Médico da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, o suplemento apresenta doses elevadas de um aminoácido chamado cisteína.

Segundo a publicação, o organismo utiliza a cisteína presente na composição do suplemento para a produção da glutationa, que é descrita como um poderoso antioxidante natural, que é importante para o sistema de defesa antioxidante do organismo.

O Centro Médico da Universidade de Pittsburgh explicou ainda que essa substância trabalha principalmente no fígado para proteger o corpo contra os radicais livres, as toxinas e a oxidação prejudicial ao organismo.

O Whey Protein e as doenças no fígado 

O Centro Médico da Universidade de Pittsburgh esclareceu também que as pessoas que sofrem com doença no fígado ou danos no fígado tendem a apresentar níveis mais baixos de glutationa.

Tomar o suplemento pode ajudar a aumentar os níveis da glutationa em pessoas com problemas hepáticos e o Sistema de Saúde da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos afirma que o Whey Protein pode contribuir, em especial, com os casos de hepatite viral.

Entretanto, vale ressaltar que nenhuma pesquisa médica conclusiva oferece suporte à ideia de que o suplemento pode ser utilizado neste sentido. Portanto, ainda que não seja correto dizer que o Whey Protein faz mal para o fígado, também não podemos bater o martelo e determinar que o produto pode colaborar com o tratamento de doenças no órgão.

Mostra disso é que ainda que se considere que o Whey Protein possa auxiliar de alguma maneira o tratamento do dano hepático provocado por doenças do fígado e hepatite, o Centro Médico da Universidade de Pittsburgh ressaltou que o suplemento não necessariamente traz cura para a doença ou reversão para o dano que já foi desenvolvido no órgão.

O objetivo de usar o produto neste sentido é aumentar os níveis de glutationa, o que não exclui a necessidade de se submeter ao tratamento convencional para esse tipo de condição.

Assim, para quem já foi diagnosticado com algum tipo de problema no fígado, vale a pena seguir as orientações do médico em relação ao tratamento e sempre questioná-lo se tomar determinado suplemento prejudicará ou não a sua condição.

O Whey Protein deve ser tomado para auxiliar o fígado apenas se isso for recomendado pelo médico que é responsável pelo tratamento.

Por outro lado

Ao falar sobre os efeitos colaterais que podem ser provocados pela utilização do suplemento, a Mayo Clinic, que é uma organização dos Estados Unidos da área de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares, afirmou que o Whey Protein pode causar danos ao fígado em determinados casos.

Para pessoas que já sofrem com algum tipo de dano no fígado, aumentar a sua ingestão de proteínas pode causar dano futuro ao órgão. A explicação é que os indivíduos que sofrem com o fígado danificado não são capazes de processar a proteína de maneira apropriada.

Completando a explicação, o excesso da ingestão de proteínas em casos como esse pode provocar o acúmulo de resíduo tóxico no cérebro.

Uma pesquisa divulgada no ano de 2008 e feita pelo médico dos Estados Unidos, Kerry Whitt, ao lado de demais colegas, que estudou um caso de lesão colestática (diminuição ou parada do fluxo de bile do fígado) no fígado, associada ao uso dos suplementos Whey Protein e Creatina, alertou que em casos de pacientes com lesões hepáticas agudas, os médicos devem questionar a respeito dos suplementos que são usados por eles e considerar a descontinuação imediata de todos os produtos que forem desnecessários.

Por sua vez, o site Liver Support defendeu que a não ser que a pessoa tenha uma forma avançado de doença no fígado que restringe o consumo de proteínas, a suplementação com proteínas em pó, em particular o Whey Protein, pode ser útil para quem possui um fígado debilitado.

A página argumentou que além de estimular os níveis de glutationa para a proteção do fígado, o Whey Protein fornece aminoácidos que colaboram com a regeneração hepática e com a produção de energia e pode ajudar a diminuir a acumulação de gorduras no fígado pelo fato do suplemento contribuir com a elevação da saciedade do corpo.

Portanto, isso é mais uma mostra que o uso do suplemento para quem já sofre com problemas no fígado pode ter dois lados, dependendo do estágio em que a condição se encontra, e que o consumo do Whey Protein precisa ser avaliado e determinado pelo médico.

Além disso, para quem tem problemas hepáticos é importante checar com o médico responsável pelo tratamento como deve funcionar a ingestão diária de proteínas, de modo que não sejam cometidos excessos prejudiciais à saúde do organismo.

Você já tinha ouvido falar que o whey protein faz mal para o fígado? Tem receio de utilizar esse suplemento por conta disso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Publicidade
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

Publicidade

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*