Adenosina – O Que é, Para Que Serve e Indicação

Especialista:
atualizado em 04/08/2020

Se você precisa usar adenosina, mas não sabe exatamente o que é esse composto, veja para que serve e qual é a indicação deste medicamento.

Geralmente usada para tratar pessoas que apresentam problemas cardíacos como a arritmia cardíaca, a adenosina também pode ser usada pontualmente durante testes ergométricos de rotina.

Dessa forma, a adenosina pode ser considerada um remédio para o coração.

Veja com mais detalhes quando o uso da adenosina em um teste de esforço físico é indicado e como esse remédio atua no organismo.

Adenosina – O que é

A adenosina é um medicamento da classe dos antiarrítmicos ou estressores cardíacos. Esse tipo de remédio age regulando o ritmo cardíaco anormal em pessoas com certas doenças cardíacas ou em situações de emergência.

O remédio pode ser encontrado na forma de solução injetável pelos nomes comerciais Adenocard ou Adenoscan.

Além do medicamento, a adenosina está presente naturalmente no nosso plasma sanguíneo. No corpo humano, ela participa de processos importantes incluindo a transferência de energia entre as células e a sinalização de diversas funções.

No coração, a adenosina melhora a circulação do sangue através da dilatação dos vasos sanguíneos. Isso também ajuda a reduzir a frequência cardíaca e evitar a formação de coágulos e, por isso, ela ajuda a controlar quadros clínicos que colocam a sua função cardíaca em risco.

Para que serve

A adenosina é útil no tratamento de alguns problemas cardíacos que causam batimentos cardíacos anormais.

Ela também pode ser usada como uma alternativa ao teste de estresse físico do coração quando o paciente tem alguma limitação física ou problema de saúde que o impeça de realizar o teste tradicional, que é feito na esteira.

Aproveite para fazer um check up cardiovascular e conheça os vários tipos de exames do coração.

Há ainda outros motivos mais específicos em que a adenosina pode ser prescrita. Veja abaixo quando ela é recomendada.

Indicação

O remédio é indicado nas seguintes situações:

  • Taquicardia supraventricular paroxística;
  • Taquicardia atrial;
  • Síndrome de Wolff-Parkinson-White.

Todos os quadros acima causam algum tipo de alteração no batimento cardíaco que precisa ser corrigida com o auxílio de um medicamento.

A adenosina também pode ser indicada para um exame chamado de estudo de perfusão miocárdica por radionuclídeo. Neste caso, o medicamento ajuda a obter uma imagem do miocárdio do coração.

Como usar

A dosagem de adenosina varia de acordo com a indicação, com a idade e o peso do paciente. Geralmente, a adenosina é administrada apenas em ambiente hospitalar, já que ela é uma solução injetável.

Além disso, é necessário monitorar a frequência cardíaca e a pressão arterial durante a administração do medicamento para evitar a superdosagem e minimizar o risco de efeitos adversos.

De acordo com as informações encontradas na bula da adenosina, as recomendações são as seguintes:

– Dose adulta para taquicardia supraventricular e para síndrome de Wolff-Parkinson-White

A dose indicada é de 6 miligramas de injeção intravenosa de adenosina durante 1 a 3 segundos seguida de uma injeção de 20 mililitros de solução salina.

Se após 2 minutos a taquicardia não melhorar, o médico ou enfermeiro deve aplicar mais 12 miligramas, sem nunca ultrapassar a dose máxima de 30 miligramas.

– Dosagem pediátrica para taquicardia supraventricular

A dosagem pediátrica varia com o peso. Crianças com menos de 50 kg devem receber de 0,05 a 0,10 miligramas por kg durante 1 a 3 segundos de adenosina intravenosa. Em seguida, deve ser administrada cerca de 5 mililitros de solução salina.

Doses adicionais de até 0,2 miligramas por kg podem ser injetadas, mas elas não devem ultrapassar a dose máxima de 12 miligramas no total.

– Dose adulta para estudo de perfusão miocárdica por radionuclídeo

No estudo de perfusão miocárdica por radionuclídeo, a dose indicada é de 0,14 miligramas por kg por minuto durante no máximo 6 minutos. A dose total não deve ultrapassar 0,84 miligramas / kg.

– Dosagem em teste de estresse

Em um teste ergométrico, a dose indicada é de 140 microgramas por kg do paciente por minuto. A administração da adenosina intravenosa nessas condições não deve ultrapassar o tempo máximo de 6 minutos.

Observação importante

É claro que tais dosagens podem ser ajustadas pelo médico de acordo com as suas necessidades específicas. As recomendações encontradas aqui são apenas de caráter informativo.

Contraindicação

A adenosina é contraindicada nos seguintes casos:

  • Hipersensibilidade à adenosina ou aos componentes do medicamento;
  • Doença do nó sinusal;
  • Doença pulmonar broncoconstritiva ou broncoespástica;
  • Bloqueio atrioventricular de 2º ou 3º grau.

Cuidados

É importante avisar ao médico se você já sofreu algum tipo de reação alérgica a um medicamento ou alimento para evitar sustos com a adenosina.

Se você for alérgico à adenosina e não souber, pode ser que você observe sintomas como:

  • Erupção cutânea;
  • Comichão.
  • Inchaço no rosto, nos lábios, na garganta ou na língua;
  • Chiado no peito;
  • Tosse;
  • Falta de ar.

Também é importante que o médico saiba se você tiver alguma das condições de saúde mencionadas abaixo:

  • Angina instável: uma dor no peito instável;
  • Alterações no ritmo cardíaco: como bloqueio cardíaco ou síndrome do nódulo sinusal;
  • Problemas respiratórios: asma ou outros distúrbios respiratórios como a doença pulmonar obstrutiva crônica, por exemplo.

Esses cuidados são essenciais para que o médico possa determinar a dose adequada de adenosina para o seu caso ou optar pelo uso de um outro medicamento que cumpra a mesma função.

Se você está lutando contra alguma doença cardíaca, é importante tomar cuidado especial com a dieta e eliminar os alimentos ruins para o coração da sua alimentação.

Interações medicamentosas

Antes de usar a adenosina, informe também ao profissional de saúde se você está tomando algum outro medicamento, alguma vitamina ou produtos naturais como ervas medicinais.

Isso é fundamental porque a adenosina pode interagir com várias substâncias e afetar o funcionamento normal do organismo.

A interação da adenosina com certas substâncias pode ser leve ou moderada. Abaixo, você encontra uma lista dessas possíveis interações.

– Interações leves

Interações bem leves da adenosina podem ocorrer com:

  • Acebutolol;
  • Cafeína;
  • Metoprolol;
  • Lírio do vale;
  • Bisoprolol;
  • Atenolol;
  • Betaxolol;
  • Labetalol;
  • Celiprolol;
  • Esmolol;
  • Carvedilol;
  • Timolol;
  • Propranolol;
  • Sotalol;
  • Penbutolol;
  • Pindolol;
  • Nadolol;
  • Nebivolol.

– Interações moderadas

Interações de moderadas a graves da adenosina podem ocorrer com:

  • Chá verde;
  • Nicotina;
  • Dipiridamol;
  • Difilina;
  • Espinheiro;
  • Sevelamer;
  • Teofilina.

Efeitos adversos

Efeitos colaterais mais comuns associados ao uso de adenosina são:

  • Mudança na pressão arterial sanguínea;
  • Sinais de reação alérgica;
  • Dor de barriga;
  • Rubor;
  • Dor de cabeça forte;
  • Alteração na visão;
  • Tontura;
  • Dor ou pressão no peito;
  • Batimento cardíaco acelerado ou lento.

Efeitos colaterais raros e mais graves podem incluir:

  • Desmaio;
  • Falta de ar;
  • Convulsões;
  • Fraqueza em um lado do corpo;
  • Dificuldade para falar ou para pensar;
  • Visão turva;
  • Queda de um lado do rosto;
  • Mudança no equilíbrio do corpo.

Nem sempre os efeitos colaterais são observados. Os efeitos mais leves podem ocorrer principalmente no início do tratamento enquanto o corpo ainda está se acostumando com o remédio, mas se eles persistirem ou efeitos adversos mais graves forem notados, é preciso interromper a administração e tomar as medidas cabíveis. Por isso é tão importante estar em um ambiente hospitalar durante o uso da adenosina.

Fontes e Referências adicionais:

Você já conhecia a adenosina? Já precisou utilizá-la por algum motivo específico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário