Fumantes Poluem o Ar de Ambientes Fechados Mesmo Saindo para Fumar, Diz Estudo

Especialista:
atualizado em 29/01/2020

Embora o hábito (e a lei que os obriga) dos fumantes de sair de ambientes fechados para fumar permita que os outros economizem uma dose de substâncias cancerígenas, evidências crescentes mostram que não é tão fácil escapar dessas substância como pensávamos.

Tem ficado claro que partículas de fumaça que ficam agarradas a tecidos e outras superfícies podem continuar a causar danos. Novas pesquisas indicam que elas podem facilmente voltar ao ar, entrando em áreas que, de outra forma, consideraríamos de não fumantes.

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Drexel, nos EUA, analisou o ar de uma sala de aula universitária desocupada e “livre de fumo”.

Acontece que ela não era tão livre de fumo como era se esperava. A equipe encontrou compostos que carregam sinais da fumaça do cigarro que está no ambiente.

Um possível foco de tabaco era uma varanda a cerca de 20 metros de distância, onde os fumantes saíam para dar uma rápida tragada. Outra fonte potencial na vizinhança era um espaço de escritório que compartilhava os mesmos dutos de aquecimento e ar condicionado.

Qualquer que fosse o culpado, a distância e algumas paredes claramente não eram suficientes para filtrar partículas potencialmente tóxicas do espaço designado como “protegido da fumaça”.

“Embora muitas áreas públicas tenham restrições quanto ao fumo, incluindo distância de portas, edifícios não-fumantes e até proibições de fumar em algumas universidades, essas limitações geralmente apenas servem para proteger populações não-fumantes da exposição ao fumo passivo”, diz o engenheiro Michael Waring.

A equipe filtrou a atmosfera na sala de aula e separou partículas de tamanho submicrométrico. Cerca de um terço da massa total desses materiais carregava uma assinatura química que os identificava como “fumaça de terceira mão” – compostos produzidos pela queima do tabaco que se agarram às superfícies.

Em outro teste, a equipe encheu um recipiente em vidro com fumaça de cigarro antes de limpá-lo.

Um dia depois, eles passaram o ar de fora pelo recipiente novamente, e encontraram um aumento de 13% naqueles compostos, sugerindo que o que estava aderido aos lados do recipiente ainda era capaz de se transportar pelo ar.

“O fato de que o fumo de terceira mão pode ligar-se a eles, como acontece com a roupa ou móveis de um fumante, significa que os produtos químicos potencialmente tóxicos associados ao fumo de terceira mão são encontrados em lugares que não esperávamos”, diz o químico atmosférico Peter DeCarlo.

Isso não é simplesmente um caso de fragrância de cigarro flutuando em uma jaqueta de fumante. Essa transferência do fumo de segunda mão para a superfície, para minúsculas partículas de água, aponta para uma cadeia que pode transportar os produtos químicos muito mais longe do que imaginávamos.

“O que realmente descobrimos foi uma nova rota de exposição para o fumo de terceira mão – através de partículas de aerossol, que são onipresentes no ambiente interno”, diz DeCarlo.

Além disso, essas minúsculas gotículas que agarram as moléculas de gás variam durante o ano todo, o que significa que algumas estações podem ser piores para respirar fumaça de terceira mão do que outras.

Mas antes de entrar em pânico, é importante notar que não está totalmente claro o quão tóxicas são essas partículas flutuantes.

Um estudo publicado em 2017 mostrou que o fumo de terceiros em tecidos tinha um efeito biológico significativo em ratos de laboratório, mas obter evidências suficientes para demonstrar uma ligação sólida entre aerossóis de terceira mão e a saúde humana no mundo real poderia ser complicado.

Enquanto isso, precisamos decidir como administrar efetivamente os riscos potenciais, especialmente em nome daqueles que desejam evitá-los completamente.

“Entender que estamos constantemente expostos a esses produtos químicos, mesmo em nossos locais de trabalho, é um desafio para se comunicar com a população em geral”, diz DeCarlo.

Esta pesquisa foi publicada na Science Advances.

Você trabalha ou estuda em um local onde há muitos fumantes? Preocupa-se com o fato desses agentes tóxicos serem espalhados pelo ar de ambientes fechados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

1 comentário em “Fumantes Poluem o Ar de Ambientes Fechados Mesmo Saindo para Fumar, Diz Estudo”

  1. Onde trabalho os funcionários descem e fumam o dia inteiro em baixo do aparelho de ar condicionado, fico no terceiro andar, sento bem de frente ao ar condicionado e vem direto em mim, faz um ano descobri que estou com asma, um nódulo calcificado no pulmão que no ano passado estava com 4 cm, esse ano está com 5 cm, tenho medo de estar relacionado a fumaça do cigarro conforme expliquei acima.