Mamoplastia redutora

Mamoplastia Redutora – Como Funciona, Antes e Depois, Preço e Cuidados

Ter seios desproporcionalmente grandes pode causar dor nas costas, no pescoço e também problemas psicológicos, como a baixa autoestima. Pessoas que enfrentam essa condição comumente optam por realizar uma mamoplastia redutora, uma cirurgia que está entre as mais realizadas mundialmente, e que tem o objetivo de reduzir o tamanho das mamas.

Embora o procedimento seja invasivo, ele não apresenta muitas complicações, desde que seja realizado por um profissional capacitado e em um local com estrutura necessária.

Conheça como funciona a mamoplastia redutora, os cuidados necessários, preço e veja fotos de antes e depois para conferir os resultados.

Informações gerais sobre a mamoplastia redutora

A mamoplastia redutora ou redução das mamas, como também é conhecida, é uma das principais cirurgias plásticas realizadas no Brasil, e tem o objetivo de reduzir o tamanho das mamas e remodelá-las para que sejam proporcionais ao resto do corpo.

Normalmente, as mulheres com seios grandes sofrem com sintomas físicos dolorosos devido à tensão que o peso das mamas coloca no pescoço, ombros e costas. Algumas experimentam dores de cabeça constantes, má postura e chegam a desenvolver uma hérnia de disco. Também é preciso considerar que algumas mulheres ficam envergonhadas e desenvolvem um problema psicológico devido ao tamanho dos seus seios. 

Embora a mamoplastia redutora seja mais comum entre as mulheres, alguns homens com ginecomastia, que é uma condição que as mamas anormalmente ficam aumentadas, podem se beneficiar desse procedimento.

Quando considerar a mamoplastia redutora?

O perfil mais comum das mulheres que buscam uma cirurgia como a mamoplastia redutora são aquelas que tiveram filhos e ficaram com os seios flácidos, estão acima do peso, têm uma predisposição genética para a condição ou são sensíveis ao estrogênio. No entanto, outras condições também podem despertar esse interesse:

  • Dores frequentes nas costas;
  • Dores no pescoço;
  • Irritação da pele sob os seios;
  • Dificuldade para respirar;
  • Depressões nos ombros, causadas pelas alças do sutiã;
  • Má postura ou dormência em partes dos seios e na região superior do peito;
  • Tem dificuldades de comprar sutiãs, roupas e blusas;
  • Sente-se depressiva e extremamente envergonhada com a aparência por causa do tamanho dos seios;
  • Está muito infeliz com a sua aparência por causa do seu tamanho do peito.

Durante uma consulta, o cirurgião plástico analisará todas essas condições citadas para entender se você é realmente elegível para realizar a cirurgia. Também é nesse momento que ele investigará se está com uma boa saúde, se existe um histórico de mamografias irregulares, nódulos não diagnosticados ou outros tipos de massas, obesidade grave, diabetes, distúrbios de cicatrização, amamentação atual, tabagismo, distúrbios de coagulação ou casos na família, e distúrbios cardíacos ou circulatórios, além de checar se a pele tem uma boa elasticidade para contrair adequadamente após a cirurgia.

Outra condição verificada é se o paciente é emocionalmente estável, pois uma mamoplastia redutora querer muita paciência e controle emocional para lidar com o período de recuperação.

O cirurgião também deve medir os seios para discutir a quantidade de tecido mamário que pode ser removido, e essa quantidade atingirá a sua expectativa.

Como funciona?

– Preparação

Antes de um procedimento de mamoplastia redutora, o cirurgião deve solicitar uma série de exames para garantir que o paciente está com boa saúde. Além disso, discutirá qual a anestesia é mais recomendada para a sua cirurgia.

Orientações para não usar remédios como aspirina ou ibuprofeno, parar de fumar e também encontrar alguém para te levar para casa após a cirurgia e te acompanhar nos primeiros dias também serão feitas. No dia da cirurgia, provavelmente será preciso evitar comida e água nas horas que antecedem o procedimento.

Considere também deixar a sua casa preparada para a sua recuperação. Ter algumas disponíveis como: gelo, gaze e toalhas limpas, blusas soltas e confortáveis, medicamentos, pomadas ou cremes especiais recomendados pelo seu cirurgião para os locais de incisão, facilitarão bastante a sua recuperação.

– Cirurgia

Normalmente, a cirurgia de mamoplastia redutora dura entre três e cinco horas. Ela é geralmente realizada em um hospital ou centro cirúrgico, e a maioria dos cirurgiões prefere administrar uma anestesia geral, no entanto, o anestesista pode preferir aplicar uma sedação intravenosa, também conhecida como “sedação crepuscular”, e usar uma anestesia local. O paciente costuma ter alta no mesmo dia, exceto se o cirurgião perceber que é preciso um acompanhamento por mais um tempo. 

Antes de iniciar o procedimento, um marcador cirúrgico será usado para indicar o local das incisões. Essas marcações são essenciais, pois os seios costumam mudar de forma conforme você deita na mesa cirúrgica. A técnica utilizada pode variar, e a escolha dependerá da anatomia atual, do tipo e da quantidade de tecido que será removido e do resultado esperado. As mais utilizadas são:

Lipoaspiração para redução da mama

Algumas pessoas são elegíveis para realizar a mamoplastia redutora usando apenas a lipoaspiração. Os melhores candidatos são aqueles que precisam ou querem uma redução no máximo moderada, têm boa elasticidade da pele e pouca ou nenhuma flacidez para ser corrigida, mas o principal, o tamanho excessivo da mama deve ser causado pelo excesso de tecido adiposo, ou gordura.

O benefício de realizar uma lipoaspiração é que geralmente o procedimento é mais rápido e menos invasivo, as cicatrizes praticamente invisíveis e resultados duradouros. 

Redução vertical de mama

Geralmente, as pessoas que precisam de uma redução moderada no tamanho dos seios e apresentam uma queda mais acentuada costumam ser bons candidatos para realizar uma redução vertical das mamas. 

Para realizar este procedimento, duas incisões são realizadas, a primeira ao redor da borda da aréola e a segunda desde a base da aréola até o sulco abaixo do seio. Este padrão de incisão permite retirar o excesso de gordura, pele e tecido mamário, e também remodelar um seio menor e elevar, deixando-os mais empinados.

Embora a técnica vertical deixe algumas cicatrizes, elas costumam ficar abaixo do mamilo e, portanto, pode ser facilmente escondida por um sutiã, top ou biquíni.

Redução de mama invertida-T

De todas as técnicas, essa é a mais invasiva. Geralmente ela será aplicada quando o paciente precisar de uma redução mais significativa, ou tiver uma flacidez ou assimetria significativa para corrigir.

Durante o procedimento, o médico fará três incisões, uma ao redor da borda da aréola, outra da aréola até a dobra do seio, e a última ao longo do sulco abaixo da mama. 

As cicatrizes de uma mamoplastia redutora com a técnica invertida-T são semelhantes à de uma redução vertical, e geralmente elas diminuem consideravelmente ao longo do primeiro ano após a cirurgia e são facilmente cobertas pela roupa.

– Recuperação

Exatamente o tempo necessário para a recuperação dependerá da sua capacidade de cura e também da extensão da cirurgia realizada. Depois da cirurgia, o paciente será assistido e medicado até receber alta. Normalmente, você já sairá do local em que a cirurgia foi realizada com um sutiã cirúrgico, que deve ser utilizado conforme recomendação médica. 

Outro aspecto normal é a presença de dor no local da cirurgia, especialmente nos primeiros dias. Ela é geralmente tolerável, e para aliviar o cirurgião deve receitar uma medicação específica, mas essa condição também pode ser amenizada com compressas de gelo.

Você será capaz de ficar de pé e andar no mesmo dia da cirurgia, embora seja recomendado que isso seja feito sob supervisão nas primeiras 24 horas. No entanto, para realizar atividades como: tomar banho, vestir-se, calçar os sapatos, pentear os cabelos e outros será necessária à ajuda de um terceiro, pois a amplitude de movimento dos braços será reduzida nos primeiros dias.

Normalmente, após três ou quatro semanas você já terá alta para realizar algumas atividades físicas, mas algumas condições mais simples, como dirigir, já podem ser feitas dentro de uma semana, depois de parar com os analgésicos.

– Riscos

Os riscos de mamoplastia redutora costumam ser pequenos, mas alguns pacientes podem experimentar:

  • Diminuição ou perda de sensibilidade nos mamilos ou seios;
  • Resultados assimétricos, fazendo com que uma mama ou mamilo pareça maior que o outro;
  • Cicatrizes grossas e evidentes;
  • Problemas com a amamentação posteriormente;
  • Reações alérgicas à anestesia, fita cirúrgica ou medicamentos utilizados durante o procedimento;
  • Tempo de recuperação muito maior do que o normal.

Antes e depois

O índice de satisfação das pessoas que realizam o procedimento é muito significativo, especialmente na autoestima. É claro que o procedimento ajudará a curar alguns problemas médicos que a condição causa, mas sem dúvida os efeitos psicológicos são muito relevantes. Confira os resultados obtidos por algumas mulheres que já realizaram o procedimento.

Preço

O preço aplicado para uma mamoplastia redutora costuma variar. Ele dependerá da região que você está, cirurgião plástico e equipe que conduzirá o procedimento, além do local, tipo de anestesia e também de técnica utilizada.

Considerando esses aspectos o preço médio é de R$7.000, no entanto o procedimento pode ser realizado sem custo pelo SUS, mas o paciente precisa comprovar que existem problemas médicos relacionados, isso significa que as cirurgias com a finalidade apenas estética, não são elegíveis. 

Cuidados

Uma cirurgia como esta requer cuidados, especialmente os pós-operatórios, como citamos acima. Uma das principais preocupações daqueles que buscam realizar o procedimento são as cicatrizes que ele deixa. Mas, a boa notícia é que existem formas de minimizar o aparecimento de cicatrizes durante e após a cirurgia, e você pode considerar incluir na sua rotina pós-cirurgica.

1. Realizar uma massagem na cicatriz

Fazer uma massagem na cicatriz ajuda a aumentar o colágeno e a flexibilidade da pele, e diminui o desconforto presente. Ela deve ser feita com movimentos circulares suaves verticais e horizontais, usando as pontas dos dedos.

O Moffitt Cancer Center recomenda que as massagens iniciem após duas semanas da cirurgia. O tempo médio será 10 minutos, e o processo poderá ser feito até três vezes ao dia.

2. Usar uma solução específica para cicatriz

Atualmente existem inúmeros produtos destinados para diminuir a aparência da cicatriz. Por exemplo, as folhas de silicone podem ser aplicadas para ajudar a hidratar a área e tornar a pele mais flexível. O médico pode inclusive recomendar o uso logo após a cirurgia, pois elas também podem diminuir a dor, a coceira e outros desconfortos.

Além disso, os géis podem ser usados ​​para cicatrizes recentes ou antigas para ajudar a reduzir a aparência. O cirurgião pode recomendar o uso do gel assim que a incisão cicatrizar, mas ele só terá efeitos relevantes se for utilizado todos os dias, conforme as orientações. Com o tempo, as cicatrizes podem clarear e até diminuir de tamanho.

3. Curativos para cicatrizes

Alguns curativos que são aplicados imediatamente após as incisões serem fechadas são projetados para manter as bordas da pele juntas, e para acelerar o processo de cicatrização. Alguns materiais também contêm silicone e podem ser usados ​​diariamente, por até um ano após o procedimento.

4. Protetor solar

Ainda que as cicatrizes não estejam diretamente expostas ao sol. É essencial usar protetor solar todos os dias. Isso porque os raios UV podem escurecer o tecido cicatricial recém-criado após a cirurgia, tornando as cicatrizes mais escuras do que o resto da da pele, e consequentemente mais visíveis.

A Academia Americana de Dermatologia recomenda um protetor solar com um fator de proteção de no mínimo 30 para proteger as cicatrizes dos efeitos dos raios UV.

5. Lasers fracionados

Se muito tempo passou e as cicatrizes continuam excessivamente escuras ou grossas, o laser fracionado pode ser uma opção. Este tratamento é feito com lasers microscópicos que podem tratar grandes áreas da pele de uma só vez. Eles também têm como alvo as camadas superior (epiderme) e média (derme) da pele, garantindo uma remoção mais profunda da cicatriz. 

Para obter resultados satisfatórios, várias sessões são necessários a cada dois meses. Segundo a DermNet New Zealand, aproximadamente cinco ciclos são necessários para alcançar os efeitos desejados, mas eles só podem ser usados quando as cicatrizes da mamoplastia redutora estiverem totalmente curadas; caso contrário, poderá haver complicações potenciais, como a hiperpigmentação pós-inflamatória.

O sucesso para ter bons resultados após a realização de uma mamoplastia redutora é contratar uma equipe capacitada para realizar e seguir todas as recomendações pós-cirúrgicas rigorosamente. Então, antes de escolher um cirurgião plástico, peça que ele compartilhe o seu portfólio, mostrando as cirurgias que ele já realizou. Isso pode mostrar a qualidade do trabalho, bem como os resultados obtidos.

Também aproveite para tirar todas as dúvidas, pois um profissional experiente será capaz de responder todas elas com segurança, assim como gerenciar os riscos e recomendar o procedimento mais adequado para o seu caso, que pode não ser aquele que você deseja.

Cercar-se desses cuidados é fundamental para que esse desejo possa se tornar realidade sem trazer problemas ou preocupações futuras.

Referências adicionais:

Você já pensou em fazer uma mamoplastia redutora por ter seios muito grandes? Conhece alguém que já tenha feito? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 3,67 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*