Para que serve o exame VHS e valores de referência

Especialista da área:
atualizado em 01/06/2021

Você já precisou fazer um exame VHS e não sabia do que se tratava? Veja então para que serve o exame VHS e o que significam os resultados.

  Continua Depois da Publicidade  

Antes de mais nada, VHS é a sigla para velocidade de hemossedimentação. A velocidade de hemossedimentação (ou de sedimentação de hemácias) é a rapidez com que os glóbulos vermelhos do sangue se depositam no fundo de uma amostra de sangue.

Aliás, veja também o que mostra um hemograma completo.

Sozinho, o exame VHS não diz muito sobre sua saúde. Mas ele é uma ferramenta importante no diagnóstico de inflamações e infecções – por exemplo, alguns tipos de artrite e vasculite.

Para que serve

hemossedimentação

Além de ajudar no diagnóstico de algumas doenças, o exame VHS serve para avaliar a resposta ao tratamento das seguintes condições de saúde:

  • Artrite reumatoide;
  • Inflamação nos vasos sanguíneos;
  • Polimialgia reumática;
  • Vasculite sistêmica.

A taxa de sedimentação de hemácias (ou eritrócitos) também serve para ajudar na detecção de outros tipos de inflamação, como por exemplo:

Isso é possível porque a velocidade de sedimentação dos glóbulos vermelhos – isto é, o tempo que demora para que os glóbulos se separem do resto do sangue e alcancem o fundo do recipiente – tem a ver com os níveis de inflamação no organismo.

  Continua Depois da Publicidade  

Os processos inflamatórios no nosso corpo podem fazer com que as células se aglomerem mais facilmente. De fato, as proteínas inflamatórias reduzem a viscosidade do sangue – o que facilita a separação das hemácias e do plasma.

Como resultado, as hemácias se juntam, ficam mais pesadas e acabam se sedimentando mais rapidamente.

Sendo assim, quanto maior a taxa de hemossedimentação, maior é a resposta inflamatória do sistema imunológico.

Valores de referência

exame vhs

Em um exame VHS, é observada qual é a quantidade de plasma sanguíneo que permanece no tubo de ensaio depois de 1 hora.

Portanto, ele faz uma medida indireta verificando o volume de plasma que “sobra” depois de todas as hemácias se depositarem no fundo do tubo de ensaio. O valor obtido representa a velocidade de separação entre os glóbulos vermelhos e o plasma do sangue.

Na hora de interpretar o exame, é importante lembrar que eritrócitos, glóbulos vermelhos e hemácias significam a mesma coisa.

  Continua Depois da Publicidade  

O intervalo de referência normal para o exame VHS são:

  • Entre 1 a 13 mm / h para homens adultos;
  • Entre 1 a 20 mm / h para mulheres adultas.

O que significam os resultados do exame VHS

Valores muito baixos de VHS podem indicar as seguintes condições de saúde:

  • Leucemia;
  • Anemia falciforme;
  • Insuficiência cardíaca congestiva;
  • Contagem alta de glóbulos vermelhos;
  • Hiperviscosidade do sangue.

Por outro lado, níveis altos de VHS podem sugerir as seguintes condições inflamatórias:

  • Artrite;
  • Anemia;
  • Problema renal;
  • Doença da tireoide;
  • Linfoma;
  • Infecções de vários tipos;
  • Vasculite;
  • Tuberculose.

Mas, como apenas o teste VHS não é capaz de identificar o tipo de inflamação, é provável que o médico também peça exames de sangue complementares – como por exemplo o exame de proteína C reativa (PCR).

Dessa forma, é importante que você faça outros exames antes de tirar conclusões precipitadas.

  Continua Depois da Publicidade  

Então, consultar um bom médico para avaliar seus resultados com você é importante para ter certeza se você tem algum processo inflamatório em curso no seu organismo – ou se a alteração não é tão significativa assim.

Fontes e referências adicionais

Você já fez um exame VHS para ajudar em um diagnóstico? O que foi encontrado, então? Comente abaixo! 

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário