Exame GGT – O que é e para que serve

Especialista da área:
atualizado em 11/05/2021

O exame GGT é importante para avaliar a função do fígado. Por isso, entenda o que é o exame e para que serve.

  Continua Depois da Publicidade  

Esse exame ajuda a diagnosticar problemas no fígado por meio dos níveis da enzima GGT no sangue. Aliás, outros exames do fígado geralmente são feitos junto com o exame GGT.

Altos níveis de GGT podem prejudicar várias reações químicas essenciais para o bom funcionamento do corpo – especialmente do fígado.

O que é o exame GGT

O GGT é a sigla para gama-glutamil transpeptidase ou gama GT, uma enzima hepática que transporta moléculas pelo organismo. Essa enzima tem papel fundamental no metabolismo de medicamentos e outras substâncias no fígado.

Além disso, a GGT também está presente em menores quantidades em outros órgãos, como a vesícula biliar, o baço, o coração, o pâncreas e os rins.

Geralmente, o médico solicita o exame quando o paciente apresenta sintomas como, por exemplo:

  • Perda de apetite;
  • Vômitos e náuseas;
  • Falta de energia;
  • Urina escura;
  • Fezes claras;
  • Coceira na pele;
  • Pele e olhos amarelados (icterícia);
  • Dor abdominal.

Para que serve

fígado

Por ser uma enzima produzida em sua maioria pelo fígado, altos níveis de GGT podem indicar problemas hepáticos.

  Continua Depois da Publicidade  

Além disso, uma análise do exame GGT junto com outros testes pode identificar problemas de saúde como a pancreatite e a cirrose.

Sendo assim, o principal motivo que leva um médico a pedir o exame GGT é a suspeita de danos no fígado – que podem ser causados por vários fatores, incluindo o uso excessivo de álcool e o abuso de substâncias potencialmente tóxicas.

Além disso, outro motivo comum para fazer o exame GGT é se você faz uso prolongado de remédios que podem sobrecarregar o fígado. Dessa forma, é possível monitorar o tratamento e fazer ajustes na dose, se necessário.

Como é feito o exame GGT

O exame é feito a partir da coleta de sangue. Antes do exame, pode ser que o seu médico te oriente a não ingerir bebidas alcoólicas e interromper o uso de certos remédios.

O intervalo de referência considerado normal para o exame GGT varia de 7 a 50 unidades internacionais por litro (UI / L).

Mas é importante que um médico interprete o resultado do exame, pois variações podem ser normais de acordo com a idade, o sexo e outros parâmetros de saúde.

  Continua Depois da Publicidade  

O GGT alto pode indicar o desenvolvimento de certa doenças, como por exemplo:

  • Tumor no fígado;
  • Hepatite viral;
  • Problemas com o consumo excessivo de álcool;
  • Cirrose;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Pancreatite;
  • Doença hepática gordurosa;
  • Redução da circulação sanguínea para o fígado;
  • Diabetes;
  • Consumo de toxinas ou substâncias ilícitas.

Além disso, é importante avaliar também outra enzima hepática que é a fosfatase alcalina (ALP). Quando tanto a GGT quanto a ALP estão altas, o fígado ou os ductos biliares podem estar com problemas – como a obstrução biliar, por exemplo.

Por outro lado, níveis normais de GGT com a ALP alta podem sugerir um problema ósseo ou a deficiência de vitamina D.

O que fazer

médica e paciente conversando

Altos níveis de GGT podem prejudicar bastante o fígado. Por isso, é importante manter a quantidade certa dessa enzima no sangue.

Para começar a baixar o GGT no sangue, você deve:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Perder peso, se você estiver acima do peso ideal;
  • Parar de fumar, se for o caso;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas;
  • Beber bastante água;
  • Adotar um estilo de vida saudável com uma boa alimentação e a prática de atividades físicas.

Quando houver a necessidade de tratamento com remédios ou procedimentos, seu médico vai te orientar. Por exemplo, no caso de uma obstrução no ducto biliar, é necessária uma intervenção cirúrgica para desobstrução do órgão.

Mas, em geral, o controle dos níveis de GGT é feito apenas com uma boa dieta e bons hábitos de vida, além do monitoramento por meio de exames de sangue frequentes.

Vídeo

Caso o seu exame GGT esteja alterado e o seu fígado precise de uma ajuda, confira no vídeo a seguir as dicas da nossa nutricionista sobre os melhores suplementos para o fígado:

Fontes e Referências Adicionais

Você já fez testes de função hepática? O exame GGT estava entre eles? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário