O Que Aumenta o Triglicérides?

Especialista:
atualizado em 15/06/2020

O que aumenta o triglicérides: nutrientes e exemplos de alimentos e bebidas que devem ser evitadas por quem sofre com a condição.

É comum que a maioria das pessoas fique de olho em seus níveis de colesterol e pressão, porém há algo mais que precisa ser monitorado: os níveis de triglicérides.

Se você foi diagnosticado com triglicérides alto, é importante tomar algumas medidas para reduzir esses números e melhorar a sua saúde, principalmente sua saúde cardíaca, e a boa notícia é que as mesmas escolhas de estilo de vida que promovem a saúde geral também podem ajudar a diminuir os níveis de triglicérides.

O que são triglicérides

Quando você ingere algum alimento, seu corpo converte qualquer caloria que não irá precisar usar imediatamente em triglicerídeos, que são armazenados em células adiposas e mais tarde, os hormônios os liberam como energia entre as refeições.

Se você comer regularmente mais calorias do que queima, principalmente as derivadas de alimentos ricos em carboidratos, corre um grande risco de ter triglicérides elevados, que é chamado de hipertrigliceridemia.

O que aumenta o triglicérides

1. Bebidas alcoólicas

Você já deve saber que consumir muitas bebidas alcoólicas não faz bem para a saúde, mas sabia que elas também aumentam os seus níveis de triglicérides? Até mesmo pequenas quantidades de álcool podem causar um grande aumento dos triglicerídeos.

Se você costuma consumir bebidas alcoólicas, é aconselhável conhecer seus níveis de triglicerídeos, e se eles estiverem elevados, conversar com o seu médico a respeito da quantidade de bebidas alcoólicas que você pode consumir com segurança.

2. Gorduras trans e saturadas

As gorduras trans estão presentes em alimentos fritos e em muitos lanches comprados em fast foods, enquanto as gorduras saturadas estão presentes em laticínios integrais e carnes vermelhas. Ambas podem elevar os níveis de triglicerídeos.

A American Heart Association recomenda a substituição de gorduras tras e saturadas por ácidos graxos ômega 3, que não aumentam os níveis de triglicerídeos. Essas gorduras saudáveis estão presente em peixes gordos, como atum e salmão, castanhas, sementes de linhaça, soja e sementes de chia.

3. Carboidratos simples

Os carboidratos simples, como os grãos refinados e alimentos com adição de açúcar, também estão entre o que aumenta o triglicérides.

Esses carboidratos causam um aumento rápido da insulina, o que pode ser o responsável pelo aumento dos triglicerídeos.

Pães feitos com farinha branca, arroz branco, bolos, tortas, refrigerantes adoçados, biscoitos e doces são exemplos de carboidratos simples. Para evitar que seus níveis subam, substitua os carboidratos simples por carboidratos complexos, como os alimentos integrais.

Outros fatores

O excesso de peso também está ligado a níveis elevados de triglicerídeos, já que quanto mais obesa a pessoa for, maiores serão seus níveis de triglicérides. A boa notícia é que perder cerca de 2 a 5 kg já ajuda a reduzir seus triglicerídeos.

A inatividade, como a falta de atividade física, também é prejudicial, já que o exercício físico regular reduz tanto os triglicerídeos como o colesterol “ruim”.

Agora que você já sabe o que aumenta o triglicérides e que altos níveis oferecem riscos para a saúde, inclusive risco de vida, é importante manter os exames em dia e, caso estejam altos, fazer algumas mudanças em seu estilo de vida.

Níveis de triglicerídeos

Os níveis de triglicerídeos são medidos através de um simples exame de sangue através da medida mg / dL – miligramas por decilitro ou mmol / L – milimoles por litro.

  • Normal: Menos de 150 mg / dL ou menors de 1,7 mmol / L
  • Limite para alto: 150 a 199 mg / dL ou 1,8 a 2,2 mmol / L
  • Alto: 200 a 499 mg / dL ou 2,3 a 5,6 mmol
  • Muito alto: 500 mg / dL ou superior a 5,7 mmol / L

Vídeo:

Triglicerídeos elevados aumentam o risco de morte

Um estudo publicado em Cardiovascular Quality and Outcomes pesquisou o que vincula de forma independente até mesmo os triglicérides levemente elevados ao aumento do risco de morte e os riscos para a saúde.

Embora muitos estudos liguem os triglicerídeos altos ao aumento do risco de doenças cardiovasculares e morte, o assunto ainda é controverso.

É difícil separar os efeitos deles e do colesterol em resultados de saúde, e ainda não está claro se os triglicerídeos exigem uma atenção maior especialmente nos casos de pacientes que já tomam estatinas para redução do colesterol.

Para ajudar a resolver esse debate, os pesquisadores analisaram dados de um grande estudo chamado de Bezafibrate Infarction Prevention (BIP). O Bezafibrato, como é chamado no Brasil e comercializado como Bezalip entre várias outras marcas, é um remédio usado para tratar hipercolesterolemia, hipertrigliceridemia e hiperlipidemia, pois ele ajuda a diminuir as taxas de colesterol e triglicérides.

Este estudo realizado em Israel acompanhou mais de 15.300 pacientes com doença cardíaca por 22 anos. Após a inscrição dos pacientes no estudo, eles tiveram seus níveis de triglicérides e colesterol avaliados bem como os outros principais marcadores de saúde, e por mais de duas décadas, os pesquisadores usaram um registro nacional para rastrear os dados de mortalidade dos participantes.

Com base nos níveis de triglicerídeos em jejum, os participantes foram divididos em cinco grupos, variando de níveis baixos a extremamente altos de triglicérides. Após 22 anos de acompanhamento, os pesquisadores descobriram que triglicerídeos elevados estavam independentemente associados ao risco de mortalidade em pacientes com doença cardíaca.

Depois de levar em conta fatores como sexo e idade, as taxas de sobrevivência para os participantes com baixos níveis de triglicérides (abaixo de 100 mg / dL) foram de 41% após 22 anos. Em contraste, as taxas de sobrevivência de triglicerídeos normais a extremamente elevados variaram de 37% a 25%. Em comparação com pacientes com baixos níveis de triglicérides, os com maiores níveis (> 500 mg / dL) tiveram um risco 68% maior de morte no período de 22 anos.

Com base nesses resultados, os autores do estudo concluem que os triglicerídeos sozinhos têm um grande impacto no risco de mortalidade para pacientes com doenças cardíacas. Os autores relatam que mais de 90% de todos os participantes do estudo não estavam tomando estatinas redutoras de colesterol no início do estudo.

Assim como as estatinas ajudam a diminuir o colesterol e reduzem o risco de eventos cardíacos, elas podem minimizar o impacto do ataque cardíaco e da morte por níveis altos de triglicérides. De acordo com especialistas, mais pesquisas são necessárias para determinar se é necessário um tratamento específico para atingir os triglicerídeos.

No entanto, isso não significa que o vínculo entre a saúde do coração e os triglicerídeos devem ser ignorados.

Por isso, é importante verificar regularmente os seus níveis tanto de colesterol, triglicerídeos e pressão, pois ao verificar que estão altos, elas podem melhorar a saúde do coração e reduzir o risco de problemas cardíacos e risco de vida.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia o que aumenta o triglicérides? Pretende mudar sua dieta e estilo de vida para combater os altos níveis? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário