Doenças cardiovasculares – O que são, tipos, sintomas e tratamento

Especialista:
atualizado em 29/11/2020

As doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de morte em todo o mundo, e sua incidência aumenta a cada ano, principalmente devido à má alimentação e ao sedentarismo.

Mas, apesar dos números alarmantes, especialistas afirmam que o problema pode ser parcialmente revertido. Isso pode ser feito através da prevenção e do monitoramento dos principais fatores de risco, como a hipertensão e o colesterol alto.

Vamos então entender como essas doenças nos afetam, quais suas causas, fatores de risco e formas de tratamento e prevenção.

O que são doenças cardiovasculares?

homem novo tendo um ataque do coração

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia, as chamadas doenças cardiovasculares, ou doenças do coração, são a principal causa de morte no país, com mais de 350 mil mortes por ano.

O termo “doenças cardiovasculares” é utilizado, na maioria das vezes, para condições que envolvam o estreitamento ou bloqueio de vasos sanguíneos, como na arteriosclerose, e que podem causar ataque cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) ou dores no peito.

Mas existem outros tipos de doenças cardiovasculares, que podem estar relacionadas a fatores genéticos ou mesmo a um estilo de vida pouco saudável.

Tipos de doenças cardiovasculares

Existem diversos tipos de doenças cardiovasculares, que podem ter apresentações diferentes, a depender pessoa. Mas os principais tipos são:

  • Arritmias: que são problemas que afetam o ritmo dos batimentos cardíacos, podendo deixá-los mais lentos ou acelerados;
  • Angina: é um tipo de dor no peito, causada pela redução temporária de oxigênio para o coração;
  • Aterosclerose: é o acúmulo de gordura nas paredes das artérias, e que acaba dificultando a passagem do sangue;
  • Cardiomiopatias: um problema que causa o enfraquecimento do músculo cardíaco. Pode ter diversas causas, como um problema congênito ou mesmo uma infecção;
  • Problemas cardíacos congênitos: que são anormalidades na estrutura ou função do coração, que ocorrem antes do nascimento;
  • Doença arterial periférica: o estreitamento e enrijecimento das artérias que conduzem o sangue do coração para os membros inferiores do corpo, como as pernas;
  • Valvulopatias: são problemas que ocorrem nas válvulas do coração, e podem ser de causa congênita e infecciosa.

Causas

As causas das doenças cardiovasculares variam de acordo com o tipo de condição. Mas, no geral, elas sofrem influência de fatores reversíveis, como maus hábitos alimentares, excesso de peso, sedentarismo e tabagismo.

Outras possíveis causas para as doenças cardiovasculares incluem anomalias genéticas, pressão alta, diabetes, uso excessivo de álcool e cafeína, estresse e até mesmo infecções.

Fatores de risco

Os principais fatores de risco para doenças cardiovasculares:

  • Idade: com o passar do tempo, o risco de estreitamento e danos nas paredes arteriais, bem como de enfraquecimento do músculo cardíaco, passa a ser maior;
  • Histórico Familiar: pessoas com familiares próximos portadores de doenças cardíacas têm maior risco de desenvolver problemas cardiovasculares;
  • Pressão arterial elevada: a hipertensão pode causar endurecimento e espessamento das artérias, diminuindo a área disponível para a passagem de sangue
  • Hábitos alimentares pouco saudáveis: uma dieta rica em sal, açúcar, gordura e colesterol pode acelerar o desenvolvimento de complicações cardíacas;
  • Tabagismo: o monóxido de carbono pode lesionar a delicada parede interna das artérias, ao passo que a nicotina contrai os vasos sanguíneos. O resultado é uma maior propensão à arteriosclerose, e um aumento considerável no risco de ataque cardíaco;
  • Colesterol alto: o excesso de colesterol no sangue pode aumentar o risco de surgimento de arteriosclerose, uma vez que as partículas de colesterol LDL tendem a se depositar na parede das artérias;
  • Obesidade: estatísticas indicam que o excesso de peso agrava os demais fatores de risco (como colesterol alto, hipertensão e diabetes);
  • Sedentarismo: Exercícios físicos são muito importantes para a manutenção da boa saúde do coração;
  • Diabetes: portadores de diabetes estão mais propensos a sofrer com complicações do sistema circulatório;
  • Estresse: a fadiga mental não apenas exacerba outros fatores de risco como também pode favorecer o surgimento de pequenas lesões nos vasos sanguíneos.

Lembrando que doenças cardiovasculares podem ocorrer mesmo quando não se tem nenhum desses fatores de risco, como no caso daquelas que são consequência de infecções.

Sintomas

Assim como as causas, os sintomas das doenças cardiovasculares podem variar de acordo com cada condição específica. Mas existem alguns sintomas comuns para maior parte das doenças cardiovasculares:

São eles:

  • Mudanças no ritmo dos batimentos cardíacos;
  • Dores no pescoço, mandíbula, garganta, costas ou parte superior do abdômen;
  • Fadiga;
  • Dores no peito;
  • Desmaio;
  • Dificuldade para respirar, com falta de ar mesmo em repouso;
  • Dor, amortecimento, fraqueza ou sensação de frio nas pernas ou braços;
  • Inchaço nos pés, tornozelos e pernas;
  • Dificuldade para atingir ou manter a ereção;
  • Cianose, que é a coloração azulada da pele, sendo mais comum nos lábios, pontas dos dedos ou unhas;
  • Tosse seca.

Diagnóstico

Após a avaliação física, a análise do histórico familiar e dos hábitos do paciente, o médico poderá solicitar exames específicos para confirmar o diagnóstico, como:

  • Exames de sangue, como níveis de açúcar, colesterol e triglicérides;
  • Eletrocardiograma;
  • Ecocardiograma;
  • Holter 24 horas;
  • Teste ergométrico;
  • Angiografia coronária;
  • Ressonância magnética;
  • Cateterismo cardíaco.

Tratamento

medico segurando um coracao de plastico

O melhor tratamento para as doenças do coração ainda é a prevenção, embora isso nem sempre seja possível.

Mas, algumas mudanças no estilo de vida podem não só auxiliar na prevenção e controle dos sintomas e do quadro da doença, mas também ajudar a evitar o aparecimento de complicações.

Vamos então conhecer algumas dessas formas de prevenção:

1- Controlar os fatores de risco

Além de realizar exames de sangue regularmente para verificar as taxas de colesterol e manter-se atento ao peso, é importante:

2- Mudar a Dieta

Existem diversas dietas que ajudam a prevenir ou melhorar o quadro das doenças cardiovasculares, e em geral elas incluem o consumo de vegetais, preferencialmente orgânicos, redução da quantidade de sal e gordura saturada de origem animal e o aumento do consumo de fibras alimentares.

É o exemplo da dieta mediterrânea, que já foi estudada por diversos pesquisadores, com benefícios marcantes para a saúde.

Confira os alimentos que devem entrar no cardápio e os que devem ser eliminados, para prevenir ou tratar doenças cardiovasculares:

2.1. Alimentos que protegem o coração:

  • Aveia: o cereal é rico em beta-glucana, um tipo de fibra solúvel que absorve as partículas de colesterol e facilita sua eliminação (reduzindo assim as taxas de LDL no sangue).
  • Alimentos integrais: uma vez que são fontes importantes de fibras;
  • Tomate: rico em betacaroteno, um antioxidante que ajuda a manter a saúde cardiovascular;
  • Azeite de oliva: pesquisadores já sabem que um dos segredos da dieta mediterrânea (cujos seguidores costumam apresentar taxas de expectativa de vida acima da média mundial) é a forte presença do azeite extra virgem;
  • Abacate: ao lado do azeite, o abacate é possivelmente a melhor fonte de gordura saudável para o coração.
  • Salmão e sardinha: ótimas fontes de ômega 3, um grande aliado do coração;
  • Linhaça dourada: fonte de fibras e ômega-3;
  • Nozes, castanhas e sementes: que ajudam a reduzir os níveis de colesterol LDL e aumentar o bom, HDL
  • Grão de bico, lentilha, ervilha e soja: que são uma excelente alternativa à proteína de origem animal;
  • Frutas cítricas: que são ricas em antioxidantes;
  • Chocolate amargo;
  • Brócolis, couve e espinafre: os três são alimentos bons para o coração porque contêm carotenoides, antioxidantes que reduzem os danos causados pelos radicais livres.

2.2. O que eliminar da dieta:

  • Gordura trans;
  • Excesso de sódio e açúcar;
  • Frituras;
  • Carboidratos refinados;
  • Margarina;
  • Óleo de soja;
  • Álcool.

3- Praticar atividade física

Um pensamento bastante comum é que pessoas com problemas cardíacos devem se manter afastados dos exercícios, em repouso. Mas, na maioria das vezes, a atividade física ajuda não apenas a prevenir, como também auxilia na melhora dos sintomas.

Além disso, os exercícios ajudam a estabilizar o peso e a controlar o diabetes, a pressão alta e os níveis de colesterol.

Mas é importante sempre conversar com um médico antes de iniciar qualquer tipo de atividade física, principalmente nos casos em que o organismo ainda está debilitado, como após um infarto ou AVC, ou na presença de arritmias e defeitos congênitos.

Ao conversar com seu médico, faça a ele as seguintes perguntas:

  • Por quanto tempo posso me exercitar?
  • Quais tipos de exercícios estão liberados para a minha condição?
  • Quantas sessões semanais de exercícios posso fazer?
  • Existe algum tipo de atividade que devo evitar?
  • Dentro de qual faixa de batimentos cardíacos posso me exercitar?

Tratamento Medicamentoso

medicamentos diversos

Algumas vezes as mudanças de estilo de vida citadas acima não são suficientes para controlar a evolução das doenças cardiovasculares ou seus sintomas. Nesses casos o médico poderá prescrever um ou mais medicamentos.

Mas o tratamento irá variar de acordo com cada quadro, e por isso sempre deve ser prescrito e acompanhado por um médico.

Dicas

  • É importante ressaltar que boa parte das doenças cardiovasculares não se desenvolve de um dia para o outro, mas sim de forma gradual, ao longo dos anos;
  • Beba água regularmente;
  • Faça um check-up anual;
  • Interrompa a atividade física caso comece a se sentir extremamente cansado ou com falta de ar;
  • Não é necessário frequentar uma academia ou ter uma esteira em casa para melhorar o condicionamento cardiovascular. Exercícios simples, como caminhadas, já ajudam a manter a saúde do coração.
Fontes e Referências Adicionais

É preciso ter muito cuidado com as doenças cardiovasculares. O que você ainda tem que melhorar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Marcela Gottschald

Dra. Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva.

Deixe um comentário

1 comentário em “Doenças cardiovasculares – O que são, tipos, sintomas e tratamento”

  1. Pingback: Cateterismo Cardíaco é Perigoso? O Que é, Para Que Serve e Riscos - MundoBoaForma.com.br