Tudo Sobre Implante de Silicone no Bumbum (Gluteoplastia)

Especialista:
atualizado em 04/12/2019

Para quem deseja aumentar o tamanho do bumbum, mas não consegue ou não tem paciência para esperar resultados a partir de sessões de malhação academia, a gluteoplastia se mostra como uma alternativa interessante. Trata-se de uma técnica cirúrgica que corrige deformidades da região das nádegas, por meio de implante de silicone no bumbum, lipoescultura e cirurgia de contorno corporal.

O método pode ser utilizado por fins estéticos, para diminuir ou aumentar o tamanho do bumbum, por homens e mulheres, e pessoas que sofreram perda de colágeno e elastina e ficaram com um aspecto frouxo no bumbum.

O implante de silicone no bumbum

Nem toda gluteoplastia é feita com a colocação de próteses de silicone na região das nádegas, o implante de silicone é simplesmente uma das técnicas utilizadas no procedimento, especialmente quando o desejo é o de aumentar as medidas do bumbum.

Além do crescimento do volume da área, outras vantagens associadas à operação são a melhoria da flacidez, da rigidez do bumbum e a promoção de uma pele mais lisa.

Como funciona?

Antes de conhecer como uma cirurgia de colocação de silicone no bumbum é feita, é importante saber que existem três tipos de próteses que podem ser aplicadas: as redondas, as de quartzo e as ovais. Cada uma delas é indicada para um tipo de paciente, de acordo com seus objetivos e características físicas.

As redondas são utilizadas para quem deseja ganhar volume no bumbum por ter nascido com um aspecto “quadrado” na região e por pacientes que possuem o quadril mais largo. Esse material levanta bem o glúteo, porém, oferece um resultado considerado artificial. Já as ovais são indicadas para quem também quer aumentar o volume da parte lateral da área e geralmente são escolhidas por pessoas com quadris estreitos. Ao contrário da anterior, o efeito que elas trazem é tido como mais natural.Por sua vez, as de quartzo são adequadas para pacientes altos que tenham o bumbum mais longo.

Todas elas são feitas com gel coesivo, são lisas ou texturizadas e podem apresentar de 150 a 480 ml. As próteses de silicone para bumbum são mais rígidas e grossas do que as utilizadas na operação de aumento de seios porque são mais expostas a impactos. Com isso, evita-se que ele vaze e sofra com um rompimento.

Antes da cirurgia, deve ser realizado um pré-operatório como nos outros tipos de procedimentos, em que o médico solicita exames cardiológicos e faz uma avaliação em relação às condições médicas que o paciente possa ter. Neste período, é ideal que quem for se submeter a operação, questione o cirurgião acerca de todas as suas dúvidas e conte sobre todos os problemas de saúde que possui e os medicamentos que toma, para evitar maiores problemas e ir seguro para a mesa de cirurgia.

A gluteoplastia deve ser feita em um hospital, e não em uma clínica. Ela começa com a aplicação de anestesias locais ou geral. A implantação do silicone começa a ser feita com um corte de 5 a 6 cm na região que fica entre o glúteos, chamada de sulco vertical. O próximo passo é introduzir por meio desse corte as próteses do lado direito e esquerdo do bumbum. O silicone pode ser posicionado dentro do músculo glúteo máximo, abaixo ou acima do músculo. É mais comum que o cirurgião opte pela primeira técnica pelo fato dela trazer um resultado mais satisfatório do ponto de vista estético.

Há ainda a possibilidade de fazer uma lipoescultura, cirurgia para remoção de gordura localizada, nos quadris, cinturas, costas e coxas simultaneamente ao implante de silicone no bumbum. No entanto, isso deve ser definido com o médico, já que alterará o procedimento, assim como seu pós-operatório.

O pós-operatório

Depois de implantar o silicone e finalizar a cirurgia, o médico envia o paciente para o pós-operatório. Ele deve permanecer 24 horas no hospital e então está liberado para voltar à sua casa, onde deve permanecer de repouso por no mínimo 20 dias.

Nas primeiras 48 horas ele deve ficar o tempo todo de barriga para baixo e a recomendação é que ele durma de bruços nos primeiros 10 dias. Na primeira semana após o procedimento, é esperado que ele sinta dores, que são controladas com remédios, tenha inchaço, sensibilidade e hematomas na região. Esses últimos podem ser eliminados com dreno.

No decorrer dessa primeira semana, o paciente deve evitar realizar movimentos bruscos e não pode sentar-se por muito tempo. Durante o período de repouso também é indicado que a pessoa caminhe com passos curtos e sente em superfícies rígidas, mantendo sua coluna ereta, o que evitará tensões sobre a cicatriz.

A prática de exercícios físicos é permitida somente dois meses após a realização da operação. A expectativa, conforme disse o cirurgião plástico e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Edmar da Fontoura, é que com o tempo o incômodo passe e o paciente nem lembre que está com uma prótese no bumbum.

A cura completa pode levar de seis a oito meses e o paciente pode demorar até 42 dias para voltar com as suas atividades normais, porém, o período exato varia de paciente para paciente. Já a remoção dos pontos deve ser feita depois de duas semanas e é recomendado que se evite beber álcool e fumar, coisas que podem atrapalhar a recuperação.

Uma informação importante para quem fez esse tipo de procedimento é que depois da colocação do implante, não se pode mais tomar injeções ou vacinas no bumbum. Primeiro porque a substância não seria injetada no organismo e sim na prótese, o que não traria o resultado esperado. E segundo porque isso pode causar pequenos cortes no silicone, que apesar de não fazerem com que ele estoure, poderia gerar danos à integridade do material.

Possíveis complicações

Se feita com bom material, a possibilidade de que o organismo aceite a prótese é de 99%. No entanto, isso não quer dizer que não possam ocorrer complicações. Uma delas é o risco de abertura dos pontos, que ocorre em 20% dos casos. Quando isso acontece, o jeito é voltar ao hospital e fazer curativos que fecharão o corte e não trarão mais problemas.

Outro risco é do mau posicionamento da prótese, que traz uma aparência artificial ao bumbum. Apesar de raros, também podem ocorrer o acúmulo de líquido na região e a contratura capsular, que acontece quando o organismo rejeita a prótese e a membrana fibrosa, que é formada quando um implante é colocado no corpo, se contrai. Isso causa enrijecimento ao bumbum, que muda de formato e ganha um aspecto artificial, e traz dor.

Quais as contraindicações?

Pessoas que sofrem com problemas cardíacos e têm doenças autoimunes não devem se submeter à operação de implante de silicone no bumbum.

Quem possui uma flacidez muito elevada na região também não deve fazer a gluteoplastia. Antes, é necessário que o cirurgião realize um procedimento de remoção de pele para trazer a rigidez à área e só depois disso é que o silicone pode ser implantando no local.

Que cuidados devo tomar?

Antes de decidir fazer a cirurgia é essencial conversar com um bom médico, que tenha boas referências. Verifique se ele é membro do Conselho Federal de Medicina (CFM) – na internet você descobre isso – e se ela faz parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Desconfie se ele fizer o atendimento em uma clínica, pois, como afirmamos lá em cima, o implante de silicone no bumbum deve ser feito em um hospital. Preste atenção se ele pede todos os exames e se faz perguntas em relação às suas condições de saúde e os remédios que você usa. Além dessas informações, também diga a ele sobre as cirurgias as quais você já se submeteu, seus histórico de internação e as doenças presentes em sua família.

Além disso, avalie se você realmente quer e precisa se submeter ao procedimento. Até porque toda cirurgia apresenta riscos e se submeter a uma operação sem que seja por uma questão de saúde nem sempre vale a pena.

Quando custa?

Uma cirurgia de gluteoplastia pode custar entre R$ 7 mil e R$ 10 mil, entretanto, esse valor ainda pode mudar de acordo com o hospital e o cirurgião escolhidos. A prótese de silicone dura geralmente 10 anos. Há quem acredite que as mais recentes possam chegar a ter uma vida útil de até 25 anos, mas ainda não existem provas disso.

Fontes e Referências Adicionais:
  1. Azevedo, Daniel Melo de, et al. “Augmentation gluteoplasty: experience at Dr. Ewaldo Bolivar de Souza Pinto Plastic Surgery Service.” Revista Brasileira de Cirurgia Plástica 27.1 (2012): 87-92.
  2. JUNIOR, IVAN MALUF, MILTON JAIME BORTOLUZZI DANIEL, and ALYSSON ROGERIO MATIOSKI. “GLUTEOPLASTIA DE AUMENTO COM 4 IMPLANTES: RELATO DE CASO.” Arquivos Catarinenses de Medicina 41.Suplemento 01 (2012): 19.
  3. Lima, Diogo Almeida, et al. “Buttocks increase: the importance of teaching in current resident facing increased demand.” Revista Brasileira de Cirurgia Plástica 26.1 (2011): 127-133.
  4. Carvalho, Francisco de Assis Montenegro Cido, et al. “Intramuscular technique in augmentation gluteoplasty.” Revista Brasileira de Cirurgia Plástica 27.3 (2012): 457-460.
  5. Aboudib, Jose Horacio, Fernando Serra, and Claudio Cardoso de Castro. “Gluteal augmentation: technique, indications, and implant selection.” Plastic and reconstructive surgery 130.4 (2012): 933-935. Site:
  6. Flores-Lima, Gerardo, et al. “Surgical Pocket Location for Gluteal Implants: A Systematic Review.” Aesthetic plastic surgery 37.2 (2013): 240-245.
  7. Senderoff, Douglas M. “Buttock augmentation with solid silicone implants.” Aesthetic Surgery Journal 31.3 (2011): 320-327.

Você teria coragem de passar por uma cirurgia de implante de silicone no bumbum? O que te levaria a isso? E nos seios? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (19 votos, média: 4,16 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

2 comentários em “Tudo Sobre Implante de Silicone no Bumbum (Gluteoplastia)”

  1. Eu não achava que poderia ficar bom, e então minha amiga fez na Master Health e ficou super natural, ficou lindo mesmo! Estou até pensando em fazer também hahaha

  2. Matéria muito esclarecedora. Quando fiz o implante de prótese de glúteos para aumentá-los, busquei uma clínica de confiança e que me orientasse sobre todo o procedimento cirúrgico. Então, optei pela Montenegro Cirurgia Plástica, em SP, e amei o resultado que obtive! Indico a clínica para quem tiver interesse.