Infarto fulminante: o que é, sintomas, causas e como evitar

Especialista da área:
atualizado em 13/05/2022

Você sabe o que é infarto fulminante? Só de ler, o nome assusta, não é mesmo? E não é à toa! Afinal, as consequências desse mal súbito podem ser bem complicadas.

Enquanto certas atitudes ajudam a evitar o aparecimento do problema, há fatores que aumentam o risco de ter infarto fulminante. 

  Continua Depois da Publicidade  

Assim, é bem importante se informar sobre a doença, tanto para se prevenir quanto para saber o que fazer caso alguma pessoa sofra um infarto fulminante perto de você.

O que é o infarto fulminante?

O infarto fulminante ocorre quando, devido a algum bloqueio do fluxo de sangue para o coração, há a morte do tecido cardíaco. O que causa a interrupção do fluxo sanguíneo é o entupimento das artérias coronárias.

Tanto a genética quanto hábitos ruins repetidos durante a vida podem contribuir para deixar uma pessoa mais vulnerável ao infarto fulminante, que tem suas origens em disfunções no sistema cardiovascular.

Taxas de mortalidade

As taxas de mortalidade por infarto fulminante são altas, mas quando se segue os protocolos de tratamento há chances de recuperação, que chegam a mais da metade. 

De acordo com uma pesquisa de 2004, publicada na Revista da Associação Médica Brasileira, “estudos epidemiológicos revelam taxas de mortalidade geral ao redor de 30%, sendo que metade dos óbitos ocorrem nas primeiras duas horas do evento e 14% morrem antes de receber atendimento médico”

  Continua Depois da Publicidade  

Segundo um artigo de 2021 da CNN Brasil, mais de 230 mil brasileiros morreram por doenças cardiovasculares ao longo do ano. A maioria tinha idade entre 70 e 79 anos e mais ou menos ⅓ dessas mortes (73.035) foi causadas por infarto.

Na maioria dos casos, o óbito pela condição é decorrente de atrasos no socorro do paciente, já que quando se trata de um infarto fulminante, cada minuto faz diferença para salvar o paciente.

Saber como identificar e como agir caso você ou alguém esteja sofrendo um infarto fulminante pode ser a diferença entre a vida ou da morte.

Sintomas do infarto fulminante

Dor no peito
A dor no peito é um dos principais sintomas do infarto fulminante

O sintoma mais comum associado a um caso de infarto fulminante é a dor no peito. A intensidade e sensação da dor variam conforme o caso e a pessoa afetada.

Por exemplo, nos homens, a dor do infarto costuma ser percebida como uma pressão no peito. Além disso, ela pode aparecer ao lado de suor frio, dor nos braços, dor na boca do estômago e algumas vezes até na mandíbula. Tonturas e desmaios também são comuns.

Nas mulheres, a apresentação dos sintomas do infarto fulminante varia mais. Nelas, as dores são descritas muitas vezes como sensação de queimação e pontadas na região do peito.

  Continua Depois da Publicidade  

Quando se trata de jovens, os sintomas podem ser ainda mais intensos. Alguns casos envolvem dor no peito que irradia para os braços, náuseas e vômitos.

O quadro a seguir descreve os principais sintomas que devem acender o sinal de alerta:

SintomaDescrição da sensaçãoCausa
Falta de arPode ocorrer durante atividades físicas, repouso ou até dormindo. O sangue volta para as artérias pulmonares, já que o coração não consegue acompanhar a velocidade do fluxo sanguíneo.
Tosse persistenteTosse que produz muco branco ou levemente rosado.Mesma causa que o sintoma da falta de ar, descrito anteriormente.
EdemaInchaço nos pés, tornozelos, pernas, abdome e ganho de peso.Assim como um coração fraco não consegue empurrar o sangue para os pulmões, o mesmo ocorre com outras partes do corpo, fazendo com que o sangue se acumule nas extremidades, por exemplo.
Fadiga e cansaçoSensação de cansaço até nas atividades cotidianas, como caminhadas leves ou subir escadas.O coração não consegue bombear sangue para suprir as necessidades dos tecidos musculares. 
Náusea e falta de apetiteSensação de estar com o estômago cheio e constante falta de apetite.O sistema digestivo sofre com o mal fluxo sanguíneo, reduzindo a sua atividade. 
Confusão mentalPerda da memória e dificuldade de se concentrar.Acúmulo de sódio no sangue decorrente de atividade pobre dos rins pode causar confusão mental.
Coração aceleradoPalpitaçõesPara suprir o fluxo de sangue interrompido pelo entupimento das artérias, o coração bombeia sangue com mais violência.

Causas do infarto

Normalmente, o infarto fulminante surge devido a uma condição pré existente, como diabetes, doença arterial coronária, obesidade e pressão alta

Quando não são decorrentes de doenças genéticas, a maioria dos casos onde há entupimento das artérias é fruto de um estilo de vida e hábitos ruins cultivados ao longo da vida. 

O que fazer diante de um infarto fulminante?

Ajuda em caso de infarto
É importante manter a calma para ajudar alguém com sintomas de infarto

É imprescindível que, ao presenciar um caso de infarto, você ligue imediatamente para uma ambulância do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ou leve a vítima imediatamente para o hospital. Isso porque são necessários equipamentos profissionais de ambulatório para reanimar a pessoa.

No entanto, enquanto espera socorro médico, é importante manter-se tranquilo para lidar corretamente com a pessoa que está infartando. 

  Continua Depois da Publicidade  

Ela deve permanecer calma e ficar em um local fresco e arejado. Além disso, é preciso checar constantemente a sua consciência, batimentos nos pulsos e movimentos respiratórios.

Se a vítima apresentar parada dos batimentos cardíacos ou da respiração, deve-se iniciar a massagem cardíaca. 

Como fazer massagem cardíaca

Em primeiro lugar, quem estiver ao lado de uma vítima de parada cardíaca deve verificar se ela possui movimento no tórax e checar se os seus lábios e mãos não estão arroxeados. Todos esses sintomas devem ser informados ao SAMU.

Outro ponto importante é tentar estimular a vítima e ver se ela tem alguma reação. Buscar o pulso da vítima pode parecer uma boa ideia no momento, porém, isso nem sempre é uma boa opção, pois alguém que é leigo pode não conseguir identificar os batimentos ou detectá-los de modo errado.

Por exemplo, a pessoa pode se confundir e identificar o próprio pulso no lugar da pulsação da vítima. Com isso, se após estimular a vítima, ela não tiver reações como piscar os olhos ou falar, a saída é fazer a massagem cardíaca. 

Caso nunca tenha feito uma massagem cardíaca ou tenha qualquer dúvida sobre o procedimento, aproveite a ligação ao SAMU para pedir ajuda. Os profissionais saberão te ajudar a identificar se é um caso de parada cardíaca que precisa da manobra de reanimação, assim como instruir sobre o passo a passo da massagem cardíaca.

Falando nele, confira o passo a passo da massagem cardíaca em adultos:

  • Mantenha a vítima deitada no chão
  • Ajoelhe-se ao seu lado
  • Ponha uma mão em cima da outra e posicione-as em cima do osso do peito da vítima
  • Mantenha os seus braços esticados, jamais dobre os cotovelos. Então, inicie a compressão do peito da vítima, imprimindo peso sobre ela e soltando. A orientação é tentar afundar o tórax cerca de 5 centímetros e depois retornar tirando o peso de cima do peito da vítima
  • Faça 100 compressões por minuto. Se possível, a cada 100 compressões, reveze com outra pessoa até o SAMU chegar.

A técnica é cansativa, daí a importância de revezar com alguém. De qualquer forma, quem está realizando a massagem cardíaca deve persistir até a chegada do SAMU. Além disso, não recomenda-se intercalar a manobra com a respiração boca a boca.

E se eu estiver sozinho?

Caso você esteja sozinho e experiencie um infarto, o melhor a se fazer é tossir com força repetidas vezes, inspirando antes de tossir. A tosse deve ser profunda, como ocorre quando se está expelindo catarro de dentro do peito.

A sequência de inspiração e tosse deve ser feita a cada dois segundos, até que o auxílio médico chegue.

A inspiração profunda ajuda a levar o oxigênio para os pulmões, enquanto a tosse contrai o coração. Assim, o sangue circula mais, dando mais tempo e ar para que a vítima faça uma ligação pedindo socorro.

Prevenção do infarto fulminante

A mudança de hábitos é a estratégia principal na prevenção e recuperação do infarto fulminante, principalmente entre jovens.

Algumas práticas são essenciais para cuidar do coração e mantê-lo saudável. Mas, não precisa esperar ter um infarto fulminante para começar a adotar esses hábitos. Entre eles, estão:

  • Praticar atividades físicas regulares
  • Priorizar a qualidade no sono
  • Evitar o estresse e cuide da saúde mental 
  • Alimentar-se bem e com calma
  • Manter os índices de colesterol e da pressão arterial sob controle
  • Evitar bebidas alcoólicas e tabaco
  • Consultar o médico regularmente.

A alimentação saudável merece destaque na lista, já que na maioria dos casos, o bloqueio das artérias se dá pelo acúmulo de tecido adiposo (de gordura), que contribui com a produção de substâncias inflamatórias.

No mesmo sentido, é importante dar atenção ao peso e à prática de atividades físicas, já que a obesidade e o sedentarismo são fatores de risco.

Confira também as 5 comidas para evitar caso você esteja preocupado em cuidar da saúde do seu coração.

Fontes e referências adicionais:

Você já viu alguém ter infarto fulminante? Qual sintoma te impressionou mais? Você sabia como proceder em tais situações?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário