Dor no peito: 6 principais causas e quando pode ser infarto

Especialista da área:
atualizado em 05/04/2022

Você acabou de sentir dor no peito. A primeira reação é pôr a mão no lado esquerdo do tronco e pensar: “Estou infartando?”. Entretanto, embora a dor seja um sinal de que algo está disfuncional, nem toda dor no peito tem como explicação um infarto. Saiba que existem outras motivações para uma dor nesta área do corpo, muitas vezes decorrentes de causas nada graves e de fácil tratamento.

Por outro lado, a dor no peito pode indicar problemas cardíacos e demandam atenção. A fim de evitar perda de tempo, é bom saber que um infarto vem acompanhado de outras manifestações além da dor próxima do coração. Então veja a seguir quais são os sintomas e características próprias da dor causada por um infarto.

  Continua Depois da Publicidade  

Principais causas da dor no peito não relacionada ao infarto

Dor no peito
Nem sempre a dor no peito sinaliza um infarto

Sensação dolorosa no peito é uma das manifestações de várias doenças conhecidas e de disfunções temporárias que não necessariamente são graves ou debilitantes. Reunimos as seis principais explicações.

1. Dor muscular

Uma sensação desagradável no tórax pode surgir depois de atividade física intensa. A musculatura pode ter entrado em fadiga, levando a uma inflamação.

2. Refluxo

Entre o esôfago e o estômago existe uma válvula chamada esfíncter. Se ela não funciona bem, parte do alimento ingerido pouco tempo atrás faz o caminho inverso: sai do estômago e vai para o esôfago. Embora a queimação seja a queixa mais comum no refluxo, em algumas pessoas ela pode vir acompanhada de dor no peito.

3. Ataque de pânico

A ansiedade prolongada ou em nível mais alto, mesmo que por um período curto, pode se desenrolar em um ou sucessivos ataques de pânico. Durante o ataque, junto com a dor na área peitoral, os batimentos cardíacos aumentam, trazendo suor e tremores.

4. Pneumonia

Infecção dos pulmões causada por bactérias, vírus ou fungos. Além da dor no peito, pode ocorrer febre, tosse, falta de apetite. É um problema que sem dúvida requer cuidados médicos.

  Continua Depois da Publicidade  

5. Aneurisma da aorta torácica

A aorta, vaso de grosso calibre, sai do coração e passa pelo peito. Quando pequenas bolsas aparecem na parede da aorta, a pressão do sangue pode levar ao rompimento da parede deste vaso. Essa condição é rara e conhecida como aneurisma da aorta.

6. Excesso de gases

Normalmente a dor não acontece no tórax, mas sim na base das costelas. O porquê da dor aí está na pressão que os gases exercem sobre o esôfago e o estômago, provocando uma dilatação nesses órgãos ocos. Essa expansão acaba pressionando nervos que passam nas proximidades dos órgãos.

Diferenças entre dor no peito por infarto e outras causas

O tórax, além de abrigar o coração e os pulmões, acomoda a coluna, as costelas e músculos especializados em movimento. Portanto, a dor que surge na região torácica talvez não tenha nenhuma associação com problemas cardíacos. 

De qualquer forma, toda dor merece atenção médica. Somente profissionais da saúde estão capacitados para avaliar a gravidade quando alguém se queixa de dor no peito.

Por outro lado, já estão bem estabelecidas algumas propriedades da dor no peito típica do infarto, a chamada angina de peito. Então, é possível diferenciá-la de uma dor torácica que tem outro porquê. A tabela abaixo mostra algumas dessas diferenças.

Características da dorPor infartoPor outras causas
Descrição mais comumIntensa, mais um peso, um apertoPontada, piora ou não com respiração profunda
Começou depois de…Esforço físico ou estresse emocionalNenhum evento específico
Região doloridaDifícil de definir, dor difusa, que irradia para o braço esquerdoBem localizada, fácil de identificar com pressão dos dedos, não irradia
Acompanhada de…Falta de ar, palidez, queda de pressãoSuor e palpitações, mas nem sempre
DuraçãoVários minutosPoucos segundos, vai e volta
Passa com analgésico?NãoSim

Quando a dor no peito sinaliza infarto

Infarto
O infarto ocorre quando placas de gordura bloqueiam a passagem de sangue pelas artérias

Um infarto ocorre no miocárdio, que é o músculo do coração. Ele acontece quando placas de gordura impedem que as artérias abasteçam esse músculo com sangue.

  Continua Depois da Publicidade  

Já que placas gordurosas se aderem à parede interna das artérias, o fluxo de oxigênio que chega ao miocárdio diminui, o que chamamos de isquemia cardíaca. Como consequência, essa musculatura está sob limitação para realizar seu trabalho.

Quem já sofreu um infarto descreve o desconforto no peito como uma pressão, um peso. É um tipo de dor que não tem um padrão fixo: pode começar leve, aumentando aos poucos. Mas também pode apresentar uma intensidade alta desde o início. 

No caso de um infarto, além da dor no peito, uma pessoa apresenta outras perturbações, que são:

  • suor frio
  • tontura
  • fraqueza e sensação de desmaio
  • dor no abdômen, como se fosse uma gastrite
  • falta de ar, especialmente em mulheres, diabéticos e idosos
  • náusea.

Quem sente dor no peito e pode estar infartando

Alguém jovem, saudável e adepto de atividade física regular pode sofrer um infarto? Sim, mas esse é um evento raro. As pessoas mais suspeitas de estarem sofrendo um infarto, já que sentem dor no tórax, carregam um ou mais traços:

  • Mais de 40 anos
  • portadores de diabetes, hipertensão ou colesterol alto
  • com histórico familiar de doença cardíaca
  • em muitos casos são obesos e sedentários
  • tabagistas ou que deixaram de fumar há pouco tempo.
Fontes e Referências Adicionais

Você já sofreu uma dor no peito que pensava ser um infarto? Qual outra causa foi diagnosticada? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário