Hemácias na Urina – O Que Pode Ser e O Que Fazer

Especialista:
atualizado em 01/06/2020

Confira quais são as possíveis causas de hemácias na urina e o que fazer, além de conhecer os dois tipos de hematúria, ou seja, de hemácias na urina.

Hemácia é o nome que se dá aos glóbulos vermelhos, substâncias presentes no sangue de coloração avermelhada que podem estar presentes na urina em detrimento de uma série de fatores.

A infecção urinária é penas uma possível causa para a manifestação de sangue durante a micção. Saiba o que é infecção urinária, cuidados e dicas e veja também os principais sintomas de infecção urinária.

Entretanto, existe ainda uma série de possíveis causas associadas a hemácias na urina alta. Veja a seguir:

O que é hematúria?

Hematúria é uma complicação caracterizada pela presença de hemácias na urina. As células vermelhas do sangue presentes durante a micção podem ser indicativas de um outro problema subjacente, normalmente de ordem renal. Essa condição pode ser classificada em dois grupos:

1. Hematúria microscópica

A presença de sangue nem sempre pode ser percebida a olhos nus, durante a micção. Essa complicação é classificada como microscópica – quando as hemácias só podem ser vistas com o uso de aparelhos microscópios.

A hematúria microscópica pode ser verificada em exames laboratoriais e não indica a necessidade de intervenções de caráter emergencial.

2. Hematúria macroscópica

Já a versão macroscópica – quando as células podem ser vistas sem o auxílio do aparelho, ou seja, a olho nu –  se significativa e acompanhada de coágulos, deverá ser contida em caráter de urgência.

Quando isso ocorre, mesmo havendo a coloração avermelhada na urina, nem sempre é indicativo de manifestação sanguínea, efetivamente, pois a composição química de certos medicamentos – como nitrofurantoína, fenazopiridina e rifampin – além de alguns alimentos e corantes artificiais, podem dar coloração avermelhada à micção.

Ainda assim, quando a urina parece conter sangue, os médicos sempre devem assumir que as células sanguíneas estão presentes até que os exames laboratoriais provem o contrário.

O que são hemácias, afinal?

Entende-se por hemácia um tipo de célula sanguínea que é produzida na medula óssea e que está presente no sangue. Essas células, também conhecidas como glóbulos vermelhos ou eritrócitos, contêm uma proteína chamada hemoglobina, que é responsável pelo transporte de oxigênio dos pulmões às demais partes do corpo.

A ausência de quantidade significativa de hemácias no corpo humano pode ser um fator desencadeante para doenças como anemia, leucemia, desidratação e desnutrição. Já uma quantidade considerada acima do normal de glóbulos vermelhos na corrente sanguínea designa um quadro conhecido como policitemia.

O que pode ser

Quando uma pessoa percebe a presença de sangue na urina, quer dizer que há um quadro de hematúria macroscópica. No entanto, há a possibilidade de as hemácias serem liberadas pela urina sem serem vistas, de forma que se torne identificável por exames laboratoriais.

As causas que levam a essas condições podem ser diversas, mas estima-se que 25% dos casos sejam algo de maior gravidade.

As causas mais recorrentes de aumento de hemácias na urina incluem:

  • Doenças renais;
  • Cistite (infecção/inflamação na bexiga);
  • Hipertrofia prostática;
  • Prostatite (infecção na próstata);
  • Infecção urinária;
  • Exercícios e batidas que possam irritar os ris e desencadear hemorragias internas;
  • Câncer de rim;
  • Câncer de bexiga;
  • Câncer de próstata;
  • Câncer de uretra;
  • Câncer de bexiga;
  • Pedras nos rins;
  • Policitemia;
  • Endometriose;
  • Atividades sexuais;
  • Hepatite;
  • Uso frequente de remédios anticoagulantes;
  • Pielonefrite (infecção dos rins).

Como diagnosticar hematúria?        

Embora nem sempre essa situação indique um problema considerado grave, ao constatar a presença de hemácias na urina, é necessário recorrer a um médico competente à especialidade para averiguar o caso, diagnosticá-lo e iniciar o tratamento adequado.

Dessa maneira, o profissional poderá pedir uma série de exames como urografia intravenosa, ultrassom renal, cistoscopia, exames citológicos e exames de urina.

Com base nos resultados obtidos, o médico poderá solicitar novos exames que guiem a um diagnóstico mais preciso ou identificar o problema imediatamente.

Além disso, os exames físicos também são recomendados em algumas situações. Eles poderão ser feitos por um profissional da saúde apto a identificar os sinais provenientes de alguma possível doença ou complicação.

Dessa maneira, os tratamentos possíveis serão apresentados ao paciente, que poderão ser feitos mediante administração de medicamentos, alteração em dieta, alteração de hábitos, dentre outras possibilidades.

Tratamentos possíveis

Diante desse quadro, muitas pessoas se perguntam o que fazer a respeito e como manejar a situação. No entanto, os tratamentos dependerão da causa da complicação. Dentre as opções mais adotadas nesse contexto, destaca-se o uso de antibióticos para inibir infecções urinárias, utilizar remédios para diminuir próstata aumentada quando aplicável, ou fazer outros tipos de terapia para eliminação de pedras nos rins, por exemplo. Ademais, em alguns casos, nenhum tratamento é necessário.

Quando se trata de um problema renal, justifica-se a procura por um nefrologista, médico especialista em rins que terá um olhar mais apurado à causa matriz que pode ser motivo da presença de hemácias na urina.

Nos casos oncológicos, deve-se iniciar os tratamentos recomendados pelo seu médico para remoção das células cancerígenas.

Quando há a presença significativa de hemácias macroscópicas na urina, ou seja, identificáveis a olho nu, e com coágulos, poderá ser recomendada uma intervenção imediata, que pode incluir lavagem vesical, ajudando na remoção dos coágulos que se encontrem no interior da bexiga. Em seguida, inicia-se a lavagem vesical contínua, com soro fisiológico, até o quadro cessar.

Independentemente da causa, a manifestação de hemácias na urina cessa espontaneamente na maioria dos casos.

Fontes e Referências adicionais:

Você já sabia o que significa hemácias na urina? Já passou por isso alguma vez? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário