Hidroquinona para Melasma Funciona?

Especialista:
atualizado em 04/08/2020

Muitos acreditam que a Hidroquinona para melasma funciona como uma boa alternativa de tratamento. Quem sofre com o melasma certamente deseja encontrar uma solução para o problema, afinal, a condição é caracterizada pela formação de manchas escuras na pele, principalmente na região do rosto, de acordo com informações da Academia Americana de Dermatologia.

Fique com a gente, pois é a respeito disso que vamos conversar no artigo de hoje!

Aliás, é muito possível que ela seja uma alternativa mais eficiente do que a Minancora para o clareamento da pele, como você pode confirmar ao clicar no termo sublinhado.

Sobre o melasma

O melasma é um problema de pele cuja causa não está clara, embora acredite-se que provavelmente ocorra quando as células produtoras de coloração na pele, conhecidas pelo nome de melanócitos, produzem muita cor.

Entre os desencadeadores comuns da condição estão a exposição ao sol e as mudanças hormonais, que podem ocorrer na gravidez, com o uso de pílulas anticoncepcionais ou mediante a reposição hormonal. Além disso, se algum produto de cuidados com a pele que provocar irritação, poderá haver uma piora no melasma.

Além do rosto, em áreas como a testa, as bochechas, o nariz, o queixo e acima do lábio superior, as manchas na pele características da condição podem aparecer em regiões que tomem muito sol como os braços e o pescoço.

As mulheres são muito mais propensas do que os homens a desenvolverem o melasma – estima-se que somente 10% das pessoas afetadas pela doença sejam homens. As pessoas com pele mais escura também têm mais chance de ter a condição, assim como quem tem parentes de sangue que já teve melasma é muito mais propenso a contrair a doença.

E então, será que a Hidroquinona para melasma funciona?

A bula de Hidroquinona em creme da EMS, disponibilizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), informa que uma das indicações do medicamento é para o clareamento gradual do melasma. Portanto, temos uma evidência de que o uso da Hidroquinona para melasma pode ter a sua utilidade.

Isso foi confirmado pela Academia Americana de Dermatologia. A instituição explica que enquanto alguns quadros de melasma são dissipados por conta própria, em outros casos alguns pacientes podem apresentar a doença por anos ou ao longo de toda a vida, o que requer a intervenção de tratamentos médicos para saná-la.

Mas onde a Hidroquinona entra isso? Bem, de acordo com a organização, o medicamento funciona como um tratamento inicial comum contra o melasma. O remédio, que pode ser encontrado no formato de creme, gel, loção ou líquido, é aplicado na pele e atua clareando a mesma, esclarece a Academia Americana de Dermatologia.

Portanto, se você foi diagnosticado com o melasma e o seu médico prescreveu a Hidroquinona para o seu quadro em particular, vale a pena obedecer as instruções do profissional e iniciar o tratamento com o produto.

Entretanto, é importante saber que dependendo do quadro da condição, apenas a Hidroquinona pode não ser suficiente para lidar com as manchas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a expectativa é que os cremes mais utilizados para auxiliar a remover as manchas do melasma, como aqueles à base de Hidroquinona, demorem aproximadamente dois meses para começar a promover resultados, no entanto, eles não se tratam de um método que funciona para todos os pacientes.

A Academia Americana de Dermatologia informa que caso seja necessário melhorar o clareamento, o dermatologista pode prescrever um segundo medicamento como a Tretinoína ou um corticosteroide.

Existem casos em que o remédio indicado pelo especialista pode ser composto por três substâncias – a Hidroquinona, a Tretinoína e um corticosteroide, acrescenta a organização. O dermatologista também pode prescrever outro medicamento tópico como ácidos para melasma – Ácido Azelaico ou Ácido Kójico, por exemplo, aponta a instituição.

Se o remédio ou os remédios prescritos pelo especialista não surtirem efeito, a saída então poderá ser a realização de um procedimento para tratar o melasma como peeling químico, dermoabrasão, microdermoabrasão ou tratamento à base de laser, por exemplo, que devem ser executados somente por um médico dermatologista, ressalta a Academia Americana de Dermatologia.

Portanto, em suma, a Hidroquinona pode fazer parte de um tratamento contra o melasma, entretanto, isso não significa necessariamente que somente o uso do medicamento será suficiente para lidar com o problema.

Com isso, se você desconfia que tem a condição ou já foi diagnosticado com o melasma, procure o auxílio de um médico dermatologista para saber qual é o tratamento mais indicado e seguro para o seu caso em particular e conferir se a Hidroquinona faz parte desse tratamento.

É realmente crucial que a Hidroquinona seja usada somente sob a supervisão do dermatologista porque ela pode provocar alergias, ardência e manchar ainda mais a pele, conforme alertou o site Vix. Ou seja, para minimizar os riscos é muito importante saber direitinho como e em que quantidade usar o medicamento, coisa que só dá para saber ao consultar o especialista.

Efeitos colaterais da Hidroquinona

Tanto que, de acordo com informações da bula de Hidroquinona em creme da EMS, disponibilizada pela Anvisa, o medicamento pode provocar as seguintes reações adversas:

  • Vermelhidão;
  • Coceira;
  • Descamação;
  • Inflamação excessiva;
  • Vesículas (bolhas);
  • Sensação leve de queimação;
  • Manchas marrons reversíveis nas unhas;
  • Hiperpigmentação de coloração marrom ou preto-azulada no local onde o produto foi aplicado, principalmente em pessoas de pele pouco sensível, que raramente apresentam vermelhidão após exposição solar, quando o uso de produtos com a Hidroquinona é prolongado.

Ao experimentar qualquer um dos efeitos colaterais descritos acima ou ainda qualquer outro tipo de reação adversa à Hidroquinona, procure rapidamente o auxílio médico mesmo que não imagine se tratar de um problema tão grave assim.

Isso é necessário para verificar a real seriedade do sintoma em questão, receber o tratamento adequado e saber se pode continuar a usar a Hidroquinona ou não.

Contraindicações e cuidados com Hidroquinona

A Hidroquinona não deve ser utilizada:

  • Por pessoas com hipersensibilidade à Hidroquinona ou qualquer componente da fórmula do remédio;
  • Em grandes áreas do corpo;
  • Por menores de 12 anos de idade;
  • Nos olhos – caso ocorra o contato acidental, a orientação é lavar os olhos com água abundante e comunicar imediatamente o médico;
  • Para o clareamento de cílios e supercílios;
  • Na pele irritada;
  • Na presença de queimaduras solares;
  • Como protetor solar.

No caso das mulheres grávidas e das mulheres que amamentam, é especialmente importante que o uso de remédio ocorra somente quando o médico autorizar e conforme as orientações do profissional porque a segurança do medicamento para essas pacientes ainda não foi estabelecida.

Vale enfatizar que a aplicação da Hidroquinona nessas mulheres devem acontecer somente quando for claramente necessário e mediante o monitoramento rigoroso do médico.

Para verificar se não tem uma alergia ao remédio, a recomendação é passá-lo de início em uma pequena região íntegra da pele, na área que tem manchas ou em uma parte próxima a ela, por 24 horas para ver o que acontece.

Enquanto o aparecimento de vermelhidão não caracteriza necessariamente uma contraindicação, o surgimento de prurido (coceira), inflamação excessiva ou formação de bolhas exige a suspensão do tratamento. Converse com o seu médico a respeito disso antes do início do tratamento.

Depois do clareamento da pele com o medicamento, é preciso evitar expor as regiões tratados ao sol para evitar o reaparecimento dos pigmentos. Isso pode ser feito por meio da aplicação de protetores ou bloqueadores solares ou do uso de roupas que protejam as áreas em questão.

Antes de iniciar o tratamento com o remédio também é necessário informar ao médico a respeito de todos os medicamentos, suplementos e plantas (tópicos ou não) que já use para que o profissional verifique se não faz mal utilizar a substância em questão ao mesmo tempo em que a Hidroquinona. As informações são da bula de Hidroquinona em creme da EMS, disponibilizada pela Anvisa.

Atenção: este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir a leitura da bula de Hidroquinona na íntegra e a consulta ao médico que precisam ocorrer antes do início do tratamento com o medicamento.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia se a hidroquinona para melasma funciona? Conhece alguém que possa confirmar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário