Melasma

Qual é o Melhor Ácido para Melasma?

Vamos falar a respeito de substâncias consideradas como um bom ácido para melasma. Antes, porém, precisamos entender do que se trata essa condição, não é mesmo?

De acordo com informações da Fundação Britânica da Pele, o melasma, que também pode ser chamado de cloasma, é uma condição de pele que atinge adultos e provoca o desenvolvimento de uma pigmentação acinzentada ou marrom clara, principalmente no rosto.

O problema pode afetar tanto homens quanto mulheres de qualquer etnia, porém é mais comum em mulheres e pessoas com peles mais escuras que moram em lugares com climas ensolarados, completou a fundação.

Ainda conforme a organização, o melasma não é uma infecção, não é contagioso, não surge em decorrência de uma alergia, não é cancerígeno e nem transforma a pele em câncer. Mas então o que causa a condição?

A causa exata não é conhecida, porém, diversos fatores como gravidez, medicamentos hormonais como pílulas anticoncepcionais e, ocasionalmente, condições de saúde que afetam os níveis de hormônios podem contribuir para o aparecimento da doença, explicou a Fundação Britânica da Pele.

Além disso, alguns cosméticos, principalmente aqueles que contêm perfume, podem provocar o melasma, completou a fundação, que também disse que existem pesquisas que sugerem que a doença pode ser desencadeada pelo estresse.

A organização explicou ainda que a luz do sol e as camas de bronzeamento podem agravar a propensão ao desenvolvimento do melasma.

O tratamento do melasma

Para algumas mulheres, nos casos em que o melasma foi desenvolvido por conta da gestação ou pílulas anticoncepcionais, é possível que a doença desapareça por conta própria.

O médico também pode prescrever cremes ou esteroides tópicos para clarear a pele. Caso isso não funcione, outros tratamentos indicados por ele podem ser peelings químicos, dermoabrasão e microdermoabrasão, que removem as camadas superiores da pele e podem auxiliar a clarear manchas escuras.

Os cremes com ácidos estão entre as alternativas de tratamento para o melasma mais utilizadas atualmente. Mas qual será que é o melhor ácido para melasma ou quais seriam os melhores ácidos para o tratamento da condição?

O ácido kójico, o ácido retinoico, o ácido glicólico e o ácido ascórbico – também conhecido como vitamina C – são bastante utilizados e podem promover um ótimo clareamento.

O ácido tranexâmico tem sido estudado como outra possibilidade de ácido para melasma de alto potencial, podendo aparecer em cremes em concentração de 3%, injetada na pele ou ingerida. O seu uso precisa ser receitado e acompanhado pelo médico dermatologista.

O ácido tranexâmico impede que ocorra o aumento da plasmina, que, em alta concentração, aumenta as chances da pessoa se manchar e, por consequência, ocorrer a promoção do melasma.

Nem todos os pacientes conseguem atingir a melhora completa

Ainda que o melasma possa ser tratado, nem sempre é possível atingir a melhora completa.

Alguns pacientes até conseguem livrar-se completamente do problema, entretanto, a maioria não atinge o 100%, ainda que possam obter boas melhoras.

O resultado obtido com o tratamento com ácido para melasma vai depender de diversos fatores específicos do paciente.

Os procedimentos para tratar o melasma não garantem que o problema não retornará e existem casos em que a condição não pode ser totalmente clareada.

O paciente pode ter que voltar ao consultório dermatológico para fazer consultas de acompanhamento e seguir certas diretrizes de tratamento para diminuir o risco de retorno do melasma, que podem incluir minimizar a exposição ao sol e utilizar o protetor solar.

Cuidados importantes

Jamais esqueça que o tratamento de qualquer doença deve sempre ocorrer sob a orientação de um médico – no caso do melasma, o dermatologista.

Ele é quem pode fazer o diagnóstico adequado da doença, verificar as características e as necessidades do quadro do paciente e determinar o qual é o melhor ácido para melasma para cada pessoa em particular.

Não é porque determinado medicamento funcionou para um indivíduo que necessariamente será bom para outro. Diferentes pessoas podem apresentar diferentes quadros que exigem diferentes tratamentos e só o dermatologista pode determinar o que é mais apropriado para cada um.

Ou seja, para saber qual é o melhor ácido para melasma no seu caso, não somente em relação à eficiência, mas como também à segurança, você necessariamente tem que consultar um dermatologista.

É preciso contar com o acompanhamento médico também para saber se não existe algum tipo de tratamento que seja contraindicado. Por exemplo, no caso do ácido tranexâmico, não são todas as pessoas que podem receber esse tipo de produto.

É necessário que o dermatologista cheque exames relacionados à coagulação e verifique históricos de trombose prévia em seus pacientes antes de dar início ao tratamento.

Também é fundamental seguir todos os cuidados indicados pelo dermatologista em relação ao antes, durante e depois do procedimento selecionado para tratar o melasma como forma de evitar problemas, assim como as estratégias que ele passar para diminuir as chances que o problema retorne.

Você já fez o tratamento de algum ácido para melasma? Como foram os resultados? Seu dermatologista receitou que produto? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (110 votos, média: 4,02 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*