Microagulhamento: o que é, para que serve e como fazer

Especialista da área:
atualizado em 29/11/2021

Pode ser que você ainda não tenha ouvido falar em microagulhamento, até porque essa técnica é relativamente recente, mas ela vem sendo empregada cada vez mais nas clínicas de estéticas e dermatológicas e conquistando as pacientes que estão em busca de uma pele saudável e sem imperfeições.

  Continua Depois da Publicidade  

O microagulhamento consiste em pequenas perfurações na pele feitas por meio de instrumentos como: rollers, canetas elétricas ou carimbos.

A técnica tem o intuito de tratar imperfeições na pele como cicatrizes de acne e manchas na pele. Também é indicado no tratamento do melasma, rugas, na obtenção de rejuvenescimento da pele e tratamento de estrias. 

A avaliação da pele anterior ao procedimento é muito importante. No caso da pele com cicatrizes por acnes, por exemplo, o grau de profundidade destas irá guiar o profissional, para aumentar ou diminuir a profundidade das perfurações. 

Os benefícios do microagulhamento são vários. É um procedimento seguro, eficaz, de fácil acesso e a intensidade da dor é baixa, mas varia com a sensibilidade de cada paciente. Normalmente os profissionais utilizam um anestésico local antes do procedimento.

Outro benefício é que se comparado a outros tratamentos dermatológicos, o microagulhamento tem um custo inferior. 

Novamente é importante ressaltar a importância de se consultar com um bom profissional antes de iniciar o tratamento, pois, o procedimento é contra indicado em algumas situações, tais como:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Paciente com histórico de queloides;
  • Diabetes;
  • Gravidez;
  • Pacientes em terapia com corticoides;
  • Herpes ativa;
  • Acne com pústulas;
  • Paciente em uso de Roacutan®;
  • Doenças autoimunes;
  • Pacientes neoplásicos;
  • Pele com lesões ou feridas expostas.

Como funciona?

Microagulhamento

Como mencionado anteriormente, a técnica pode ser feita por instrumentos e o mais comumente usado é o roller que, nada mais é, do que um rolo composto por agulhas finas cujo papel é causar pequenas perfurações na pele. As agulhas podem medir de 0,20mm a 3,00mm.

O profissional prepara a pele antes do início do procedimento. Em primeiro lugar faz-se a assepsia da pele com álcool 70%, em seguida, uma limpeza na pele, podendo ser feito também uma esfoliação. Qualquer produto aplicado à pele deve ser retirado completamente antes de iniciar o microagulhamento.

A primeira etapa inicia com a aplicação do roller sobre a pele em diferentes orientações (horizontal, vertical e diagonal). Esse processo é feito repetidas vezes que variam em quantidade de acordo com o tratamento. As perfurações causam um leve sangramento e o procedimento dura em média 15 minutos.

Em seguida, começa o processo de cicatrização, e este é o mais importante e pode ser dividido em três fases:

  • Fase Inflamatória;
  • Fase Proliferativa;
  • Fase de Remodelamento.

Na fase inflamatória (que corresponde de 1 a 3 dias), ocorre a chegada das células de defesa, dentre elas, os mastócitos, que vão agir na liberação de fatores de crescimento e outros mediadores da vasodilatação e migração celular.

Na fase proliferativa, que tem início em 3 a 5 dias após as perfurações, é onde se dá o processo inicial da formação da cicatriz. Aparecem os sinais de inflamação (calor, rubor, dor e edema), devido ao surgimento de novos vasos sanguíneos e da renovação celular. Essa fase dura em torno de 20 dias.

  Continua Depois da Publicidade  

É na fase de remodelamento (20 dias a 2 anos) que ocorre uma lenta substituição do colágeno tipo III (mais fino), pelo colágeno tipo I que é mais espesso e duradouro (podendo durar até 7 anos). O tecido é totalmente regenerado e o resultado é uma pele mais firme e resistente.

O cuidado com a pele após o procedimento é muito importante para obter resultados satisfatórios. Deve-se fazer uso de hidratante e protetor solar com fator de proteção de não menos que 60FPS, assim como evitar a exposição ao sol, impedindo o surgimento de manchas indesejáveis.

O microagulhamento também é utilizado em associação a produtos cosméticos, portanto, funciona também como um sistema drug delivery

O que é drug delivery?

Traduzido do inglês, drug delivery significa “entrega de medicamentos”. De forma mais clara, corresponde a qualquer técnica empregada para facilitar a entrada de ativos (produtos de tratamento como as vitaminas) na pele. A associação do microagulhamento e produtos cosméticos vêm sendo empregada desde 1990.

A técnica de microagulhamento permite a criação de mais 500.000 canais até a derme (camada intermediária da pele). Esses micro canais facilitam a entrada dos produtos cosméticos, permitindo que estes penetrem em camadas mais profundas da pele, proporcionando mais eficiência no resultado do tratamento.

A permeabilidade da pele é aumentada em até 80% após o microagulhamento. E os micro canais se fecham após 2 horas, no entanto, a aplicação dos ativos cosméticos pode ser feita antes, durante ou após o procedimento. 

  Continua Depois da Publicidade  

Microagulhamento na face

Os tipos de ativos utilizados variam de acordo com o tratamento e devem ser avaliado por um profissional. Os principais ativos são: 

  • Ácido hialurônico: estimula a produção de novas fibras de colágeno;
  • Vitaminas A: age na estimulação de fibroblastos;
  • Vitamina C: age com antioxidante;
  • Vitamina B3: indicada no tratamento de hipercromias;
  • Zinco: é importante na produção de colágeno;
  • Fatores de crescimento: participam no processo de divisão e formação celular e na produção de elastina e colágeno. Dentre os mais comumente usados estão: TGF-beta 3, TNF, FGF-1; IGF, FGF-2; EVGF e EGF.

Microagulhamento no tratamento do melasma

Melasma é uma hipermelanose que causa manchas que variam de tom castanho claro a castanho escuro na pele do rosto e acomete mulheres em idade fértil. O tratamento do melasma é difícil e por ser uma doença de pele a recorrência é frequente. 

No entanto, novos estudos identificaram uma melhora satisfatória no clareamento da pele após o tratamento com microagulhamento associado ao ácido tranexâmico. O ácido tranexâmico é um agente hemostático e atua bloqueando a produção de melanina.

Existem complicações?

Por ser um método relativamente simples, existe a possibilidade de se fazer o procedimento de microagulhamento sem ajuda de um profissional, em casa. No entanto, especialistas não recomendam, pois, o manuseio errado pode trazer complicações e resultados indesejáveis. Dentre eles:

  • Uso de força excessiva: pode causar danos em camadas mais profundas da pele resultando cicatrizes e manchas na pele;
  • Uso em pele com acne ativa: resulta em piora no estado da pele; 
  • Reutilização do roller: aumenta o risco de contaminação bacteriana;
  • Não uso de filtro solar após o procedimento: causa manchas na pele.

Portanto, são evidentes os benefícios apresentados pela técnica dermatológica de microagulhamento, sendo a escolha de um bom profissional e os cuidados após as sessões essenciais para a obtenção de melhores resultados.

Fontes e referências adicionais

Você já tinha ouvido falar no microagulhamento? Teria coragem de experimentar essa técnica para a sua pele? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média 4,33)
Loading...
Sobre Dra. Alessandra Drummond

Dra. Alessandra Drummond é médica dermatologista, graduada em medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pós graduada em dermatologia no Instituto de Dermatologia Professor Rubem David Azulay. Felowship no Hospital Arcispedale Santa Maria Nueva, Reggio Emília, Itália. Tem diversas publicações em revistas científicas indexadas, participa constantemente de congressos e conferências nacionais e internacionais, na área da dermatologia clínica, cirúrgica e cosmiatria. Para mais informações, entre em contato com ela no seu site.

Deixe um comentário