Qual a Diferença Entre Aeróbico e Anaeróbico?

Resumidamente, os termos “aeróbico” e “anaeróbico” referem-se à presença ou não de oxigênio, respectivamente. A maioria das nossas células consegue sua energia usando oxigênio para abastecer o metabolismo. Durante os exercícios com uma quantidade adequada de combustível e oxigênio (ex: aeróbico), as células musculares podem se contrair repetidamente sem cansar.

Durante o exercício anaeróbico, ou sem condições de oxigenação (ex: exercícios de alta intensidade), as células musculares têm que confiar em outras reações que não precisam de oxigênio para dar combustível as contrações musculares.  Esse metabolismo anaeróbico nas células produz dejetos de moléculas que podem dificultar a contração muscular.  Nós chamamos essa deterioração da performance fadiga.

A fadiga faz com que você experiencie mais desconforto e o enfraquecimento dos músculos. Eventualmente, você vai precisar ir mais devagar e diminuir a intensidade dos seus exercícios.  Ir mais devagar permite que os músculos mais uma vez dependam apenas do metabolismo aeróbico e consigam remover ou converter quimicamente o dejeto de moléculas.

O problema com os termos “aeróbico” e “anaeróbico” quando aplicados a exercícios é que nós nunca mudamos de condições totalmente aeróbicas para totalmente anaeróbicas.  Na verdade, quando mais intensamente nos exercitamos, maior a necessidade de produção de energia aeróbica.  Consequentemente, é melhor olhar para os termos aeróbico e anaeróbico como transições no metabolismo, onde a proporção de metabolismo aeróbico e anaeróbico muda dependendo da intensidade do exercício.

Por exemplo, enquanto em descanso, nós dependemos do metabolismo aeróbico para fornecer energia para todas as necessidades do nosso corpo.  Quando começamos a nos exercitar, tal como em um processo de mudar da posição sentada para uma caminhada lenta, as necessidades de energia da contração de músculos aumenta fazendo com que aumentemos nossa respiração e absorção de oxigênio. Se aumentarmos a intensidade dos nossos exercícios vagarosamente, nós podemos manter os músculos dependendo do metabolismo aeróbico, e não experimentamos sintomas de fadiga.

No entanto, conforme a intensidade do exercício aumenta, a necessidade de liberação de energia eventualmente excede o que pode ser suprido pelo metabolismo aeróbico.  Nossos músculos simplesmente precisam de mais reações para aguentar a demanda energética. Portanto, a contribuição do metabolismo anaeróbico aumenta. Quando isso acontece, nós nos referimos a essa mudança de metabolismo como limiar metabólico.

O limiar metabólico representa a intensidade de exercício na qual começamos a produzir esses dejetos do metabolismo anaeróbico que podem eventualmente levar a fadiga.  Você percebe isso o tempo todo, quando vê eventos olímpicos de resistência, como corridas de longa distancia.  Os atletas correm em um passo que paira ao redor do seu limiar metabólico, e eles apenas podem aguentar correr mais rápido que isso próximo ao fim da corrida.  Se aumentarem o passo muito cedo na corrida, eles vão ficar fadigados muito cedo e vão precisar ir mais devagar, abaixo do limiar metabólico, para se recuperar da fadiga causada pelos dejetos.  O que resultará em uma performance ruim.

Então, como isso tudo se relaciona a você?

Bem, isso depende das circunstâncias e dos seus objetivos.  A maioria de nós somos indivíduos que não competem e não são profissionalmente ativos, que só querem se exercitar para melhorar a saúde, se sentir bem e possivelmente perder peso.  Condições de exercício aeróbico permitem que você se exercite por longos períodos de tempo, potencialmente se beneficiando do gasto continuado de energia (ou seja, calorias queimadas).  Exercícios aeróbicos tendem a ser menos estressantes para os músculos, juntas e o coração, o que pode ser importante para indivíduos com artrite, doenças do coração, e pressão sanguínea elevada.  No entanto, para melhorar mais rapidamente suas capacidades de treino, tolerância e performance, alguns exercícios anaeróbicos podem ser necessários.  Fora isso, os exercícios anaeróbicos geralmente são mais importante para atletas profissionais.

Quando começar um programa de treinamento, a maioria dos treinadores prefere que seus clientes/atletas comecem com exercícios de baixa intensidade (ou seja, exercícios aeróbicos).  No entanto, alguns tipos de exercícios e atividades inevitavelmente dependem do metabolismo anaeróbico.  Por exemplo, levantar pesos é anaeróbico.  E é por isso que os músculos se cansam tão rapidamente com esse tipo de treinamento.  outros tipos de atividades, como subir escadas, podem também ser anaeróbicos, especialmente se você estiver fora de forma ou subir muito rápido.

Felizmente nós não necessitamos de equipamentos sofisticados para detectar quando mudamos de exercício aeróbico para anaeróbico. Quando nos aproximamos ou passamos do nosso limiar metabólico, nós começamos a respirar com dificuldade e o exercício começa a ficar desconfortável.

No entanto, se você simplesmente ama engenhocas, você pode usar um monitor cardíaco para gravar a taxa cardíaca na qual você sente esses sintomas de se exercitar demais.  Você então saberá qual sua taxa cardíaca quando você está abaixo desse valor, ou seja, na sua zona aeróbica, e que taxas acima dessa indicam uma contribuição crescente dos processos anaeróbicos.

O seu plano de treinamentos é mais baseado em qual tipo de exercícios? E você, prefere fazer um anaeróbico ou aeróbico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (7 votos, média: 2,86 de 5)
Loading...

1 comentário em “Qual a Diferença Entre Aeróbico e Anaeróbico?”

Deixe um comentário