Qual é o Melhor Ácido para Espinhas e Cravos?

Espinhas e cravos são problemas que afetam a pele da maioria da população. É normal que tenhamos espinhas e cravos durante a adolescência, mas algumas pessoas sofrem muito com esse incômodo e buscam soluções para melhorar o aspecto da pele.

Muitos dos tratamentos disponíveis para tratar espinhas e cravos na pele envolvem o uso de ácidos. Vamos mostrar qual é o melhor ácido para espinhas e cravos a fim de eliminar esse problema ou ao menos amenizá-lo significativamente.

Tratamento para espinhas e cravos

As espinhas e os cravos se formam quando os poros são obstruídos por células mortas, sebo ou detritos. A grande diferença entre eles é que os cravos ficam expostos ao ar, fazendo com que a ponta deles fique preta. Já as espinhas têm uma fina cobertura, fazendo com que ela não tenha contato direto com o ar.

Esses poros entupidos podem facilitar o crescimento de bactérias que agravam ainda mais a situação da pele.

Os melhores tratamentos para espinhas e cravos são aqueles que reduzem a produção de sebo, limitando assim o crescimento de bactérias que acabam obstruindo os poros e causando o surgimento de espinhas e cravos.

Além de bactérias, as espinhas podem surgir devido à obstrução dos poros pela oleosidade da pele e também pelo acúmulo de partículas de sujeira. Por isso é tão importante controlar a oleosidade da pele e mantê-la sempre limpa.

Antes de aplicar qualquer tipo de creme ou ácido na pele, é recomendado limpar bem o local. É indicado lavar o rosto suavemente com água e sabão pelo menos 2 vezes por dia. Se necessário, use um sabonete especial para acne.

Os cremes utilizados no tratamento geralmente contêm ingredientes como ácido glicólico, peroxido de benzoíla, enxofre ou ácido salicílico.

A seguir, vamos mostrar alguns ácidos que podem ser utilizados sobre a pele para eliminar espinhas e cravos.

Qual é o melhor ácido para espinhas e cravos?

O ácido salicílico é um dos melhores para o tratamento de espinhas e cravos. Trata-se de um ácido hidróxi beta que é altamente solúvel em óleo, o que significa que ele é capaz de penetrar nos poros da pele onde há a produção de sebo. Isso faz com que ocorra uma limpeza profunda na pele, eliminando resíduos acumulados profundamente na mesma e que são os principais vilões quando se fala em espinhas e cravos.

Ele promove uma esfoliação na pele, que resulta na descamação da camada superior dela. Isso ajuda a desobstruir os poros e a estimular o crescimento de novas células epiteliais. Ou seja, a principal função do ácido salicílico é esfoliar a pele profundamente, ajudando a remover as células mortas da pele que levam ao entupimento dos poros e estimulando o crescimento de novas células saudáveis.

Esse ácido também é anti-inflamatório, o que ajuda a prevenir lesões na pele, a reduzir a inflamação já existente e a acalmar a pele.

Contraindicações

As únicas ressalvas são em relação a pessoas que têm a pele seca. Isso porque mesmo sendo o melhor ácido para espinhas e cravos, o ácido salicílico pode ressecar ainda mais uma pele seca, o que acaba deixando-a sensível demais.

As mulheres grávidas devem evitar usar ácido salicílico porque a substância pode alterar a coagulação do sangue, o que pode resultar em complicações durante o parto. Além disso, podem ocorrer defeitos congênitos.

Pessoas que usam medicamentos anticoagulantes também não devem usar ácido salicílico sema antes consultar um médico.

Também não é indicado tomar sol sem proteção adequada enquanto estiver fazendo o tratamento com ácido salicílico porque sua pele estará mais sensível e menos protegida do que antes, facilitando a ocorrência de danos causados pela radiação ultravioleta do sol.

Além disso, os resultados podem demorar até 4 semanas para serem observados, o que exige paciência e perseverança durante o tratamento.

Assim, é sempre indicado começar a usar o ácido salicílico em pequenas quantidades e em baixas concentrações para ver como a pele responde ao tratamento. Ao observar muita irritação, vermelhidão e descamação em excesso, procure um médico dermatologista.

Antes e Depois

Para mostrar que o ácido salicílico traz bons resultados, separamos algumas imagens de pessoas que se submeteram a esse tratamento e divulgaram fotos de antes e depois mostrando os resultados obtidos.

Outros ácidos para espinhas e cravos

Apesar do ácido salicílico ser o melhor ácido para espinhas e cravos, alguns tipos de pele – as ressecadas, principalmente – não se adaptam a ele. Assim, pode ser preciso testar outros tipos de ácidos e tratamento.

– Ácido azelaico

O ácido azelaico apresenta propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas que são muito úteis no tratamento de casos leves de espinhas e cravos.

– Ácido retinoico

O ácido retinoico ou retinol é usado para evitar que as espinhas surjam. Ele interfere no crescimento das células, fazendo com que ocorra um aumento do volume de células para desobstruir os poros. Além disso, ele deixa a pele mais seca, o que reduz o acúmulo de sebo em pessoas com a pele extremamente oleosa.

Algumas pessoas desistem do tratamento antes da hora porque, no início, a acne parece piorar, mas depois de algumas semanas de tratamento (cerca de 8 a 12 semanas), os resultados aparecem e as espinhas param de aparecer.

Podem ocorrer alguns efeitos colaterais como pele e lábios secos, dor de cabeça e dores musculares ou articulares.

– Peróxido de benzoíla

O peróxido de benzoíla é usado em casos em que o problema é causado por bactérias. Quando aplicado na pele, ele é metabolizado e transformado em ácido benzoico.

Ele também tem ação esfoliante e atua removendo o excesso de sebo e de células mortas acumulados nos poros.

Embora os resultados sejam rápidos e observados em até 1 semana de tratamento, o peróxido de benzoíla deve ser utilizado com cautela, já que ele pode causar descamação, vermelhidão e ressecamento excessivo da pele além de poder resultar em hiperpigmentação pós-inflamatória, deixando a pele com algumas manchas escuras.

– Ácido glicólico

O ácido glicólico é um ácido hidroxi alfa que age como um esfoliante profundo, ajudando a eliminar as células epiteliais mortas acumuladas nos poros.

Suas propriedades hidratantes também ajudam a manter a pele forte e saudável durante o tratamento.

Em casos mais severos de espinhas e cravos, pode ser necessário aplicar um creme antibiótico ou até mesmo usar um antibiótico de uso oral. Esse tipo de remédio deve sempre ser usado sob a orientação de um médico.

Prevenção

Nem sempre é possível prevenir o surgimento de espinhas e cravos, já que elas têm a ver com alterações hormonais normais e com a influência genética. No entanto, é possível tomar algumas medidas para tentar evitar surtos de espinhas e acnes. Algumas delas incluem:

  1. Manter a pele limpa e lavar bem a pele suavemente ao menos 2 vezes por dia;
  2. Usar maquiagem não comedogênica, que são aquelas que não obstruem os poros;
  3. Usar um hidratante diário não comedogênico;
  4. Aplicar protetor solar na pele diariamente;
  5. Evitar utilizar produtos que possam irritar a sua pele;
  6. Não espremer ou estourar as espinhas e cravos já que isso pode aumentar o risco de cicatrizes e causar infecções na pele;
  7. Evitar o acúmulo de sebo sobre a pele.

A higiene da pele, sem dúvidas, é uma das melhores armas para evitar espinhas e cravos. É claro que há casos e casos. Algumas pessoas têm uma tendência maior a desenvolver espinhas na pele mesmo higienizando muito bem o rosto. Nesses casos, é essencial procurar um dermatologista para avaliar a sua pele e indicar o melhor tratamento.

Referências Adicionais:      

Qual é o melhor ácido para espinhas e cravos na sua opinião? Qual resultado você obteve quando experimentou o ácido salicílico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 4,25 de 5)
Loading...

Deixe um comentário