Mulher comendo pouco

Ortorexia: O que é, Causas, Sintomas e Tratamento deste Transtorno Alimentar

Durante dietas, é comum aquele momento de tentação e repreensão pelo desejo de sentir o paladar de guloseimas e delícias da culinária. Sabemos que uma dieta equilibrada e rica em alimentos saudáveis e nutritivos é fundamental, independente de seu objetivo de medidas, porém, a dedicação exclusiva aos alimentos saudáveis e dosagens restritas pode resultar em consequências maléficas não só para a saúde corporal como para a mental.

A ortorexia nervosa é um transtorno alimentar que vem se tornado cada vez mais comum diante dos padrões estabelecidos pela indústria e sociedade. É importante que as pessoas se conscientizem do perigo desse “policiamento” excessivo com a ingestão de alimentos e tentem identificar a ortorexia nervosa antes que haja prejuízos à saúde das pessoas.

O que é Ortorexia?

O nome foi dado por Dr. Steven Bratman. O nome e a doença ainda não são reconhecidos oficialmente, mas se assemelham aos demais transtornos. Sabe aquelas pessoas que refletem bastante antes de escolher a refeição a ser feita, leem incansavelmente os rótulos dos alimentos e muitas vezes deixam de se alimentar devido às poucas opções de alimentos saudáveis? É exatamente a essas pessoas que o termo ortorexia se destina, nada mais é que a obsessão de comer apenas os alimentos permitidos em uma dieta recomendada e jamais se permitir exceções.

Pode parecer irônico, não é verdade? Como uma pessoa pode prejudicar sua própria saúde se está se dedicando a uma alimentação estritamente saudável? Pois é, isso se torna prejudicial a partir do momento onde a alimentação é posta como prioridade sobre todas as escolhas e hábitos dessa pessoa. A restrição imposta por ela pode torná-la mais distante de seus amigos e familiares e ainda proporcionar oscilações de humor que podem prejudicar seu estado psicológico no exato momento da restrição ou no futuro. Essa pessoa apenas busca uma dieta perfeita e escolhe viver apenas para isso.

Causas da Ortorexia

A causa principal desse transtorno é a busca por um corpo perfeito. Atualmente, podemos facilmente nos deparar com parâmetros divulgados pela mídia e as referências utilizadas podem induzir as pessoas a buscarem por medidas que não se adequam ao seu biotipo corporal. A ideia central delas é apenas conquistar o corpo ideal e perfeito.

Há casos de preconceito com pessoas obesas que podem induzir à ortorexia através de discriminação e humilhação, assim resultando em consequências muito mais graves a essas pessoas. Esse transtorno requer muita atenção, pois diferentemente da anorexia e da bulimia, ele pode ser identificado tardiamente, pois seus sintomas podem aludir apenas a hábitos saudáveis. A insatisfação com a autoestima é um dos principais motivos responsáveis pela maioria dos casos de ortorexia nervosa. Há pessoas que também reconhecem a ortorexia nervosa como a única solução para melhoras rápidas de estado de saúde.

Sintomas da Ortorexia

Abaixo você poderá conhecer alguns dos sintomas que podem ser utilizados como referencia para identificar casos de Ortorexia nervosa. É importante analisar o comportamento e comparar com cada sintoma apresentado, pois quanto mais rápido for o reconhecimento do caso, melhor para a pessoa se recuperar e retomar um novo estilo de vida equilibrado e sadio.

  • As pessoas com Ortorexia nervosa se recusam a consumir alimentos com condimentos, conservantes ou corantes, muito utilizados principalmente em alimentos industrializados.
  • Elas excluem qualquer possibilidade de ingestão de alimentos geneticamente modificados ou pesticidas.
  • Quando convivem com essa obsessão, as pessoas com ortorexia nervosa excluem de forma radical a possibilidade de consumo de sal, açúcar e gordura, o que muitas vezes leva-os à exclusão de alimentos ricos em gorduras boas para o organismo.
  • Elas estão obcecadas com a forma de preparo e a composição dos alimentos.
  • Quando oferecidos, recusam alimentos que não se enquadram no grupo de alimentos permitidos em sua dieta restrita.
  • Quando decididas, as pessoas com ortorexia nervosa dedicam-se integralmente à dieta e não medem esforços, independente do preço a ser pago.
  • Quando não conseguem resistir a uma exceção, essas pessoas se culpam e se repreendem como se um crime fosse cometido, o que muitas vezes pode levar a momentos de sentimento de derrota e depressivos.
  • Essas pessoas deixam de respeitar o equilíbrio saudável que a variedade de alimentos pode oferecer, o que pode resultar em desnutrição e principalmente em mais momentos de fome durante o dia.
  • Há casos em que pessoas deixam de confiar nos profissionais da saúde e decidem inclusive adequar uma nova dieta de acordo com seus conhecimentos errôneos e influenciados pelo desejo infundável de conquistar o corpo sonhado.
  • Frequentemente criticam o estilo de vida das demais pessoas e desvalorizam qualquer hábito que não se adeque às finalidades que são priorizadas pela dieta equivocadamente reconhecida como “saudável”.
  • Distanciam-se dos âmbitos sociais e podem inclusive perder vínculos com amigos e familiares devido à dificuldade de aceitação da continuidade de rotinas vividas anteriormente com a ingestão de diversos alimentos que então se tornaram “proibidos”.
  • A dificuldade de aceitação de uma refeição não se limita aos valores nutritivos dos alimentos, mas pessoas com ortorexia nervosa também resistem em aceitar refeições preparadas por terceiros.
  • A perda de peso excessiva sem seguir uma dieta indicada e aprovada pode ser um dos sintomas de início de Ortorexia.

Seguir uma dieta saudável não é correto?

Não estamos afirmando que seguir uma dieta saudável é um erro, muito pelo contrário. O erro está em não se permitir uma exceção, em abrir mão de viver momentos felizes com pessoas que você ama apenas por não aceitar comer eventualmente alimentos que não se adequam à sua dieta atual. O equilíbrio é fundamental para sua vida, seu bem estar.

Unir-se às pessoas que você ama pode se tornar um erro para aqueles que estão com Ortorexia nervosa. Siga sim uma dieta saudável, mas uma dieta correta e eficaz deve ser equilibrada nos alimentos e nos hábitos de convivência, deve-se priorizar o que realmente lhe faz feliz.

Existe tratamento para ortorexia?

Inicialmente, a pessoa deve reconhecer que está vivenciando esse transtorno, o que pode ser difícil. Em seguida, recomenda-se avaliar as causas e fundamentos que resultaram em tal consequência. O apoio dos familiares e amigos é fundamental para que essa pessoa gradativamente permita-se consumir alimentos que antes eram “exterminados” do seu plano alimentar.

O processo de readaptação e retorno a uma alimentação normal deve ser baseado sobre os impulsos e características pessoais; é fundamental utilizar questões emocionais para a aceitação da alimentação normal. Há diversos graus e causas para a Ortorexia nervosa, então pode ser necessário o acompanhamento de um médico.

Recuperação

Ortoréxicos não se adaptarão à alimentação normal tão facilmente. É importante respeitar e apoiá-los no momento de recuperação, pois engloba diversos fatores emocionais e físicos. O entendimento de alimentação saudável foi modificado e a aceitação não ocorre de forma tão fácil, requer tempo, dedicação e apoio.

Acompanhamento médico em tratamento

A Ortorexia nervosa ainda não foi reconhecida oficialmente. Esse transtorno alimentar ainda não possui um tratamento prescrito para ser seguido e com eficiência garantida. O acompanhamento de um nutricionista pode ser benéfico, mas o maior apoio que pessoas com esse transtorno necessitam é de um psicólogo, para que assim reserve momentos para refletir sobre os hábitos que acreditava serem saudáveis, pois dessa forma a sua mente e pensamentos podem ser avaliados e adequados às rotinas saudáveis.

Você já tinha ouvido falar sobre a Ortorexia? Acredita que algum familiar ou você mesmo possa estar sofrendo deste transtorno alimentar? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Publicidade
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

Publicidade

6 comentários

  1. verá Lúcia brigou ramos

    Bem interessante a explicação. Eu até pensei que estivesse com este transtorno, pois alguns alimentos que ingeria me traziam má digestão, então. Comecei a rejeitar alguns alimentos principalmente os industrializados. Foi então que decidi investigar e depois de 2 anos e a visita a 15 médicos de especialidades diferente, descubri que tenho esclerose sistêmica.
    Por isto é que penso, o nosso organismo é inteligente e dá sinais quando algo não está bem. O grande problema é quando temos estas doenças raras, onde a medicina ainda não chegou com a cura, só tem remédio para aliviar sintomas.

  2. Jane Cunha sepulveda

    Tenho uma vegana em casa, , fico preocupada, esta sendo um tanto radical. Abolindo até medicamentos , endocrina, falta de vitamin a B12 e ferro.

  3. Não querer comer porcaria agora é uma doença? Ah, puta que pariu.

  4. Patricia Azevedo de Oliveira

    Eu amo comer saudavelmente e não considero isso uma doença; porque isso faz eu me sentir super feliz, alegre, de bem com a vida, meu intestino e disposição turbinam; diferente de quando não como algo saudável, me sinto triste, meu intestino prende, meu humor fica uma bosta… VOCÊS PRECISAM PARAR DE ENCHER O SACO DOS OUTROS E CUIDAR DAS SUAS PRÓPRIAS VIDAS… FAÇAM O QUE OS DEIXAM FELIZES!!! OK?!

  5. Eu tenho Espondilite Anquilosante e mudar a alimentação me fez sair da cama, fiquei 6 meses de cama.
    Existem alimentos que realmente eu não posso usar como por exemplo o açucar, glútem estou com 36 anos desempregado e consegui voltar a andar e moro de favor.

    Se eu voltar a comer os alimentos que eu não posso eu voltarei a ficar de cama.

    Sempre tem um familiar que só que te culpar e me mandaram para esse site praticamente me ACUSANDO de ter essa doença.
    ashausahsua. (ACUSADO de ter doença é difícil né.)

    Tenho artrite também que incha meu joelho e não me deixa andar e conversando com nutricionista descobri que existem alimentos que eu não devo comer e temperos também que aumentam o ácido úrico no meu sangue.

    Após eu parar de comer esses alimentos meu joelho parou de inchar, eu não posso me dar ao luxo de estar nem aí e comer de tudo e voltar pra cama e inchar meu joelho de novo. Eu tenho poucos anos de INSS pagos, minha mãe está com mais de 70 anos e com saúde bem debilitada, eu moro de favor com ela e se eu cismar de comer de tudo meu fim será virar morador de rua porque a alimentação que INFELIZMENTE EU NÃO POSSO COMER se eu comer não vou poder trabalhar.

    EM SUMA: Existe uma doença chamada SÍNDROME DO PSICÓLOGO DIAGNOSTICADOR.
    É a doença da pessoa que acumula rancores dos outros e está sempre querendo diagnosticá-los como que com problemas mentais.

    A pessoa está sempre perseguindo seus parentes trazendo sofrimento tanto para seus parentes quanto para ele próprio.

  6. Bem, respeito a opinião de todos, mas pelo que entendi, não foi falado que não querer comer porcaria agora é doença ou que quem tem algum tipo de restrição alimentar deve comer de tudo, pq se não é possível que tenha essa doença.i
    Me interessei por essa matéria, pq conheço um adolescente que é extremamente radical com sua alimentação desde os 15 anos e percebe se nitidamente seu nervosismo…afastamento social e isso realmente é preocupante.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*