Alergia à tinta de cabelo – Sintomas e como tratar

Especialista da área:
atualizado em 13/08/2021

Tingir os cabelos faz parte da rotina de 26% da população brasileira. No entanto, esta prática não se restringe apenas ao público brasileiro, mas sim ao mundo todo, e não é à toa que com o passar dos anos os fabricantes destes produtos tenham se modernizado e se multiplicado.

  Continua Depois da Publicidade  

De acordo com o Euromonitor, principal fornecedor independente de pesquisa estratégica e mercado do mundo, o mercado brasileiro de coloração está em crescimento, sendo que em 2018 movimentou R$ 4,62 bilhões e pode crescer 1,3% até o ano de 2023. Isso significa que cada vez mais pessoas, homens e mulheres, estão tingindo os seus cabelos.

Atualmente, devido aos avanços na química, as tintas ganharam maior durabilidade, variedade de cores e popularidade. Além disso, essa evolução da tintura e de outras técnicas de tingimento permite, hoje, que as pessoas mudem as cores dos seus cabelos sem danificar tanto as madeixas.

Porém, algumas pessoas apresentam algum tipo de alergia em relação à tinta de cabelo. Isso acontece porque muitos corantes capilares contêm ingredientes que podem irritar a pele ou causar uma reação alérgica.

Sendo assim, é muito importante estar ciente desses riscos e saber o que fazer já que as reações à tintura de cabelo são evitáveis, bastando apenas seguir alguns conselhos simples de segurança.

Causas da alergia à tinta de cabelo

tinta para cabelo

As alergias à tinta de cabelo ocorrem quando o sistema imunológico responde a certos produtos químicos presentes no produto que entram em contato com a pele. Existem 2 tipos mais comuns de “alergia” a tinta de cabelo: dermatite de contato irritativa ou dermatite de contato alérgica. Em ambos os casos, costumam ocorrer descamação, vermelhidão, coceira, ardência e até bolhas.

O produto químico presente na tintura de cabelo com maior probabilidade de causar alergia é a parafenilenodiamina (PPD) que é encontrada em mais de dois terços dos corantes capilares permanentes e é eficaz não apenas na penetração no fio capilar como também na ligação às proteínas da pele. Outros alérgenos em potencial encontrados em tinturas de cabelo incluem cobalto e tioglicolato de gliceril.

Qual a diferença entre alergia e irritação/ intolerância?

Na dermatite de contato alérgica, em algum momento o sistema imunológico pode começar a reagir a componentes da tintura e a partir daí, toda vez que a pessoa entrar em contato com aquele componente, a reação se repetirá.

Já na dermatite irritativa, em um episódio único, podem ocorrer esses sintomas e não voltar a se repetir. Isso ocorre por uso de uma marca diferente, que contenha uma concentração mais alta que o esperado, ou ainda por uma alteração na barreira da pele. A pele do couro cabeludo pode ficar com a barreira alterada devido à presença de machucados ou feridas de caspa.

Em geral, a manifestação é muito mais precoce numa irritação que numa alergia. Os sintomas na irritação costumam ser imediatos e na alergia costumam surgir dentro de algumas horas ou até dias.

  Continua Depois da Publicidade  

Sintomas de alergia à tinta de cabelo

mulher pintando o cabelo

Os sintomas costumam ser bem parecidos na alergia a na irritação. Na alergia, mais raramente, pode correr também:

  • Inchaço nos lábios, pálpebras, mãos ou pé;
  • Sensação de queimação no pescoço, couro cabeludo e/ou rosto;
  • Inchaço ou coceira no couro cabeludo e/ou rosto;
  • Erupção e/ou irritação cutânea em qualquer parte do corpo.

Ocasionalmente, uma alergia à tintura de cabelo causa anafilaxia. Essa reação rara é uma emergência médica e pode ser fatal. Os sintomas da anafilaxia podem incluir:

  • Vômito;
  • Desmaio;
  • Reações cutâneas como ardor, queimação, inchaço e erupções cutâneas;
  • Inchaço da língua e garganta;
  • Problemas respiratórios;
  • Náusea.

Se você ou alguém que você conhece parece estar sofrendo um choque anafilático, procure atendimento de emergência imediatamente.

Diagnóstico

Embora a alergia à tintura de cabelo seja bem evidente, um teste alérgico pode ser apropriado, especialmente se a pessoa apresentar múltiplas alergias ou já tiver experimentado uma reação alérgica anteriormente.

O teste mais simples é o chamado teste de sensibilidade, em que se aplica uma pequena quantidade da substância na pele, e observa-se o aparecimento ou não de reações alérgicas. Inclusive essa é a recomendação constante em todos os rótulos dos produtos para tingir os cabelos. Uma vez que não houve alergia, pode-se aplicar o produto em uma área maior, como é o caso do couro cabeludo.

Existe também um teste de alergia para determinar se existem outros corantes que podem causar essa intolerância. Este teste deve ser realizado em um consultório médico e a maneira mais comum de diagnosticar a alergia é colocando um adesivo sob a pele, onde serão inseridos uma série de alérgenos suspeitos.

O adesivo é normalmente removido após 48 horas e uma leitura final é realizada aproximadamente quatro dias após a colocação para ver quais reações, se for o caso, ocorreram. O resultado positivo é caracterizado pelo aparecimento de pequenas protuberâncias ou bolhas vermelhas.

Alergia à tinta de cabelo tem cura?

Trata-se de uma alergia dermatológica e por isso ela não tem cura, porém, devido a novas tecnologias, os fabricantes desses produtos já estão evitando o uso das substâncias que podem causar reações alérgicas.

  Continua Depois da Publicidade  

Porém, caso ocorra uma reação alérgica, existem diversos tratamentos para este tipo de alergia.

Como tratar alergia à tinta de cabelo

mulher pintando o cabelo no salão

Existem várias maneiras de tratar alergia à tintura de cabelo, algumas opções são:

  • Aplique uma solução de permanganato de potássio na área afetada. Isso pode ajudar a oxidar totalmente o PPD já que ele só causa reações alérgicas quando está parcialmente oxidado.
  • Se você tiver uma reação suave e imediata ao corante, lave-o com cuidado, imediatamente, com água morna e sabão neutro ou xampu suave.
  • Trate os sintomas da dermatite de contato, como erupção cutânea ou coceira, com um creme tópico de corticosteroide recomendado pelo seu dermatologista.
  • Use xampus contendo corticosteroides tópicos no couro cabeludo, também se recomendados pelo seu dermatologista.
  • Aplique peróxido de hidrogênio que é um antisséptico suave e pode ajudar a acalmar a pele e reduzir a irritação e formação de bolhas.
  • Tome um anti-histamínico oral para ajudar a reduzir a inflamação e a coceira na pele, caso haja a recomendação médica para isso.

Você pode obter alívio através dos corticosteroides que estão disponíveis de várias formas, incluindo pílula, cremes, colírios e loções, porém eles devem ser prescritos pelo médico. .

Como prevenir reações alérgicas à tinta de cabelo

Você pode se tornar alérgico a um produto ou substância em qualquer momento, até mesmo se já tiver usado esse mesmo produto ou substância antes, e não tiver apresentado qualquer reação. É por isso que é muito importante fazer um teste de sensibilidade antes de usar qualquer tintura de cabelo, mesmo que seja de uma marca que você já usou antes ou que se diz comprovadamente antialergênica.

Ao apresentar uma reação alérgica à tintura de cabelo, mesmo que leve, pare de usar o produto, pois a reação pode piorar com o uso repetido.

Normalmente, pessoas sensíveis ao PPD também podem ser alérgicas a outras substâncias, incluindo anestésicos, como procaína e benzocaína. Certifique-se de informar o seu médico, ou até mesmo no salão de beleza, para a pessoa que irá tingir o seu cabelo, sobre as alergias que você tenha ou suspeite ter.

Alternativas sintéticas e naturais ao PPD

Muitas alternativas aos corantes capilares contendo PPD estão disponíveis no mercado, porém, as opções de cores passam a ser mais limitadas. Tratam-se de produtos químicos com menor concentração de PPD, como os sulfatos, ou que não contém PPD e que agem penetrando profundamente nos cabelos, colorindo-os.

Aplicação de henna

Henna

A henna é uma opção natural para as pessoas que procuram evitar o PPD. A verdadeira henna é feita a partir de matéria vegetal. Geralmente ela varia entre tons de laranja e marrom-avermelhado dependendo dos outros ingredientes e de como é preparada antes de ser aplicada. Porém, a única hena que cobre os fios brancos é a vermelha.

Ela é considerada um produto menos alergênico embora ainda haja a possibilidade de causar reação alérgica. Se você quiser ter certeza que não sofrerá com reações alérgicas, pode fazer o teste de adesivo, ou ainda aplicar em uma pequena área da pele antes de usar em uma área maior.

Também é importante certificar que a henna é de fato a verdadeira hena. Muitas empresas adicionam o PPD ou seus derivados em seus corantes capilares e o comercializam como hena e isso pode causar uma reação relacionada ao PPD.

Corantes semipermanentes e corantes à base de chumbo

Algumas pessoas podem tolerar corantes capilares semipermanentes ou corantes capilares à base de chumbo. Um dermatologista pode ajudar a determinar quaisquer substâncias químicas que sejam adequadas para cada pessoa através de testes.

Como você pode ver, alergia à tintura de cabelo pode acontecer a qualquer momento e o ingrediente mais frequentemente associado à alergia à tintura de cabelo é o PPD. Verifique os rótulos para determinar se a marca que pretende utilizar possui PPD ou qualquer outra substância que possa causar uma reação alérgica em você.

Fontes e referências adicionais

Você já ouviu falar de alergia à tinta de cabelo? Conhece alguém que já passou por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (7 votos, média 4,29)
Loading...
Sobre Dra. Alessandra Drummond

Dra. Alessandra Drummond é médica dermatologista, graduada em medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pós graduada em dermatologia no Instituto de Dermatologia Professor Rubem David Azulay. Felowship no Hospital Arcispedale Santa Maria Nueva, Reggio Emília, Itália. Tem diversas publicações em revistas científicas indexadas, participa constantemente de congressos e conferências nacionais e internacionais, na área da dermatologia clínica, cirúrgica e cosmiatria. Para mais informações, entre em contato com ela no seu site.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

11 comentários em “Alergia à tinta de cabelo – Sintomas e como tratar”

  1. Eu tenho alergia a tinta nunca tinha tido mais agora já tive 3vezes e a última foi pior p que a garganta inchou

    Responder
  2. Eu estou com muita alergia no couro cabelo. Já troquei de tinta várias vezes, mas a coceira e descamação não param.
    Vou procurar usar uma destas sem ppd p ver se resolve.
    Obrigada pela matéria.

    Responder
  3. Eu estou tendo alergia e não estou conseguindo uma tintura pra usar,está me dando coceira nos olhos quando eu pinto gostaria de achar uma tinta livre de ppd.

    Responder
  4. Olá
    Obrigada pelo artigo excelente.
    Estou desesperada porque na quarentena fiz 3 alergias severas e descobri no Alergologista que tenho alergia ao PPD++ e a sulfato de Niquel.
    Queria saber por favor qual coloração recomendam porque já nem consigo olhar no espelho …..

    Responder
  5. Minha mãe tem alergia a tinta de cabelo e ontem foi fazer a sobrancelha e descobriu que também tem alergia a hena,ela está com o rosto todo inchado

    Responder