Tipos de Alergia Mais Comuns e Seus Sintomas

Alergias acontecem quando o nosso sistema imune reage a uma substância que é estranha ao organismo, como um alérgeno ou algum tipo de alimento que, por alguma razão, o corpo não é capaz de processar de forma natural.

Dessa forma, ao ter contato com um alérgeno, o sistema imunológico produz anticorpos para combater o composto considerado nocivo, resultando em inflamações na pele, no rosto, nos olhos, no sistema respiratório ou no sistema digestivo, que são as chamadas reações alérgicas.

A intensidade dos sintomas de alergia varia muito de pessoa para pessoa, sendo importante a avaliação individual em um médico especialista para identificar o tipo de alergia e a melhor forma de tratamento.

Os tipos de alergia mais comuns e seus sintomas serão mostrados abaixo para que você saiba quais são os que existem e para que você tenha ferramentas para prevenir ou tratar a ocorrência delas.

Possíveis causas

A alergia pode ser causada por vários fatores responsáveis por desencadear a liberação de histamina no organismo, que é usada pelo corpo para combater alérgenos e que resulta em sintomas desagradáveis de alergia. As principais causas de alergias no geral incluem:

  • Pólen, pelos ou saliva de animais, ácaros e mofo;
  • Alimentos como amendoim, trigo, nozes, leite, ovos, peixes, sojas e frutos do mar;
  • Picadas de insetos como abelhas, vespas ou pernilongos;
  • Medicamentos como antibióticos à base de penicilina;
  • Látex ou outros compostos que causam reações alérgicas na pele.

Fatores de risco para estar mais propenso ao desenvolvimento de alergias incluem ser uma criança ou ter histórico familiar ou pessoal de asma, rinite, urticária, eczema ou outras alergias.

Tipos de alergia mais comuns

Existem inúmeros tipos de alergia. Vamos tratar deles nesse artigo em grandes tópicos que serão detalhados com os principais tipos e sintomas observados.

Alergias alimentares 

Uma alergia alimentar pode se manifestar em qualquer idade e é preciso estar atento aos seguintes sintomas que podem indicar que você é alérgico a um alimento:

  • Formigamento na boca;
  • Urticária;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Tosse;
  • Erupções cutâneas;
  • Inchaço nos lábios, língua, face e garganta;
  • Anafilaxia em casos graves.

Geralmente, os sintomas mencionados acima ocorrem entre cerca de 1 a 6 horas após a ingestão do alimento que causou a alergia.

As alergias alimentares mais comuns incluem alergias a alimentos como:

  1. Lactose: A alergia à lactose se dá devido à incapacidade do organismo de digerir o açúcar presente no leite em outros derivados lácteos.
  2. Caseína: Algumas pessoas têm alergia à caseína, que é a proteína encontrada no leite e em seus derivados. Essas pessoas podem ter intolerância maior ao whey protein, por exemplo, que é composto pela proteína isolada do leite.
  3. Ovos: Alérgicos a ovos costumam ser em sua maioria crianças. Quem possui alergia ao ovo precisa estar atento às vacinações, já que algumas vacinas podem desencadear reações alérgicas.
  4. Trigo: Alguns indivíduos são alérgicos ao trigo e precisam buscar outros tipos de farinhas, por exemplo, para compor sua dieta.
  5. Soja: A alergia à soja é bem comum e produtos que contêm a soja em sua composição devem ser evitados pelos alérgicos.
  6. Castanhas ou amendoim: A ingestão de castanhas, nozes e amendoim deve ser feita com muita cautela nos primeiros anos de vida, já que muita gente tem alergia a esses alimentos.
  7. Peixes e frutos do mar: Peixes e frutos do mar costumam ser o último tipo de alimentos introduzido na dieta de um bebê devido ao grande risco de a criança desenvolver uma reação alérgica a esses alimentos.
  8. Glúten: A alergia ao glúten muitas vezes é confundida com a alergia ao trigo. No entanto, são coisas diferentes. O glúten é uma proteína encontrada não só no trigo, mas em vários outros grãos e em produtos industrializados e é preciso ter muito cuidado com a sua ingestão acidental.

Alergias na pele e nos olhos

Reações alérgicas na pele também são tipos de alergia muito comuns e são as que mais atingem os bebês. Os sintomas alérgicos na pele de bebês podem indicar uma alergia à fralda, ao tecido das roupinhas, ao perfume ou até mesmo a algum alimento que foi recentemente introduzido em sua alimentação.

Os principais tipos de alergia na pele incluem a dermatite de contato, o eczema e a urticária.

1. Dermatite de contato

A dermatite de contato é uma reação alérgica causada pelo contato direto com um alérgeno. Esse contato causa sintomas de inflamação na pele que podem resultar em uma vermelhidão ou até em feridas abertas no corpo. Normalmente, produtos cosméticos, sabonetes, detergentes, joias, perfumes, tecidos específicos e outros produtos que têm contato direto com a pele são os responsáveis pela reação alérgica.

2. Eczema

O eczema, conhecido também como dermatite atópica, é um tipo de irritação na pele cuja causa não é bem definida. Os sintomas da alergia incluem pele seca, vermelhidão, coceira, queimação e inflamação na pele.

3. Urticária

A urticária é caracterizada pela ocorrência de sintomas como vermelhidão e vergões que surgem na pele e que podem ser causados por uma infecção ou pela exposição à uma substância alérgena.

4. Conjuntivite alérgica

Assim como a pele, os olhos também podem sofrer alergia. A conjuntivite alérgica, por exemplo, é um tipo de alergia que atinge o tecido presente no interior da pálpebra. Ao contrário da conjuntivite comum causada por bactérias, a conjuntivite alérgica pode ser causada pelo contato direto dos olhos com substâncias como shampoos, cremes, cosméticos, fumaça, sujeira ou cloro da piscina, por exemplo.

Alergia à poeira, ao mofo e ao ácaro

Estar em um ambiente sujo não só é ruim para a saúde respiratória como pode desencadear sintomas alérgicos. Os principais incluem:

  • Espirros;
  • Nariz escorrendo;
  • Nariz estupido;
  • Comichão;
  • Problemas respiratórios como tosse, chiado ou aperto no peito e até falta de ar;
  • Olhos vermelhos e irritados.

Esses tipos de alergia podem ser agravados pela presença de ácaros, mofo ou pelos de animais no ambiente. Assim, é importante manter o ambiente limpo e livre de umidade para evitar o acúmulo desses alérgenos.

Alergias a animais de estimação 

Algumas pessoas têm alergia ao pelo ou a saliva de animais. A mais comum é a alergia a gatos. A alergia a cachorros é menos comum, mas também pode ocorrer.

Os principais sintomas de alergias a pets incluem:

  • Espirros;
  • Nariz escorrendo ou entupido;
  • Tosse;
  • Erupções cutâneas ou urticárias;
  • Irritação nos olhos;
  • Congestão nasal;
  • Dificuldade para respirar.

Para evitar os sintomas desses tipos de alergia, mantenha a casa limpa e livre de pelos, limite o seu convívio com o animal evitando que ele te lamba ou que ele fique em locais em que você fica bastante tempo, como o sofá ou sua cama. Se você tiver um quintal ou lavanderia grande, reserve esses locais para o animal e evite que ele entre dentro de casa.

Se você tem animais em casa e perceber que não vai conseguir controlar a alergia e conviver com o animal, procure alguém de confiança que goste de animais para cuidar dele. Abandonar um animal de estimação é desumano, não faça isso. 

Alergias a insetos 

Muitas pessoas têm alergia a picadas de insetos, especialmente de abelhas. Insetos menores como pernilongos também podem causar sintomas de alergia. Os principais sintomas desses tipos de alergia costumam ocorrer logo após uma picada e incluem:

  • Coceira ou urticária no corpo;
  • Inchaço ou edema no local da picada;
  • Tosse;
  • Aperto ou chiado no peito;
  • Falta de ar;
  • Reação anafilática em reações alérgicas graves.

Sempre use repelentes e roupas que protejam a pele quando for viajar para um lugar com grande incidência de insetos em geral.

Alergias a medicamentos

Alguns medicamentos como a penicilina ou a aspirina, por exemplo, podem causar reações alérgicas em alguns pacientes. Se um medicamento for o responsável por uma reação alérgica, é provável que os seguintes sintomas sejam observados:

  • Erupção cutânea;
  • Edema facial;
  • Comichão na pele;
  • Urticária;
  • Chiado no peito;
  • Anafilaxia.

Ao sofrer uma reação alérgica por causa de um medicamento, procure um médico imediatamente e anote o nome do remédio para informar o médico ou o farmacêutico toda vez que precisar se medicar, evitando contato com o princípio ativo responsável pela alergia que pode estar presente em outros fármacos.

Alergias respiratórias 

As alergias respiratórias são os tipos de alergia mais difíceis de serem diagnosticados, já que as pessoas costumam confundir os sintomas com uma gripe ou um resfriado. Para dificultar ainda mais, existem vários tipos de alergias que afetam o sistema respiratório, como a rinite e a asma.

1. Rinite alérgica

Os principais sintomas de rinite, conhecida também como febre do feno, são:

  • Espirros;
  • Inchaço e inflamação das vias nasais;
  • Congestão nasal;
  • Coceira no nariz, olhos ou no céu da boca;
  • Olhos lacrimejantes, inchados ou vermelhos;
  • Nariz escorrendo ou entupido.

Se não tratada, a rinite pode evoluir para uma sinusite, em que ocorre acúmulo de muco e uma infecção nos seios paranasais.

2. Asma

A asma é uma inflamação nos pulmões e nas vias respiratórias que pode ser desencadeada por alérgenos, resultando em sintomas como:

  • Chiado no peito;
  • Falta de ar;
  • Aperto no peito
  • Tosse forte.

Alergia ao látex 

A alergia ao látex é uma reação alérgica em resposta a algumas proteínas encontradas no látex derivado de borrachas naturais. Se você tem esse tipo de alergia, é importante evitar usar luvas compostas de látex.

Os principais sintomas dessa alergia incluem:

  • Erupções na pele;
  • Vermelhidão no local;
  • Coceira;
  • Irritação na garganta ou nos olhos;
  • Inchaço.

Alergia ao pólen 

A alergia ao pólen é um tipo de alergia sazonal que afeta mais as pessoas em certas épocas do ano como o outono e a primavera em que a contagem de pólen é mais alta.

Os sintomas dessa alergia costumam incluir:

  • Espirros;
  • Tosses;
  • Irritação ou dor na garganta;
  • Nariz escorrendo ou entupido;
  • Olhos lacrimejantes.

Complicações

Apresentar algum tipo de alergia pode aumentar o risco de apresentar outros tipos de alergia como a asma e a sinusite.

A anafilaxia é uma complicação muito grave a um alérgeno que representa um risco de morte. Em episódios de anafilaxia, o indivíduo sofre uma reação alérgica tão grave que ele pode sofrer sintomas como náuseas, vômitos, alterações no batimento cardíaco, erupções cutâneas severas, queda brusca na pressão arterial, tontura, inchaço na região da face e falta de ar e até perda de consciência.

Hora de procurar um médico!

Se complicações surgirem ou se os medicamentos antialérgicos vendidos sem prescrição médica não aliviarem seus sintomas, é essencial consultar um médico. Além disso, se você sempre se sente mal após as refeições, isso pode ser um sinal de alergia a algum alimento e é indicado procurar um profissional para diagnosticar o problema.

A anafilaxia é uma emergência médica e ao sentir algum de seus sintomas, é importante buscar ajuda médica o mais rápido possível ou pedir que alguém chame uma ambulância.

Diagnóstico

Para verificar se você sofre de uma alergia, o diagnóstico médico é essencial. Ele começa com uma análise dos seus sintomas e exames de rotina.

Exames cutâneos também podem ser feitos através da exposição da pele a pequenas quantidades de alérgenos para ver como o seu corpo reage. Se você for alérgico à substância, alterações na pele vão surgir no local da aplicação do alérgeno. Alguns exames de sangue também podem ser úteis para avaliar a quantidade de anticorpos que o corpo está liberando em resposta a uma reação alérgica.

Se a suspeita for de alergia alimentar, o médico pode pedir que você crie um diário detalhado dos alimentos que você ingere diariamente e como você se sente naquele dia. Isso ajuda a diagnosticar quais tipos de alimentos são um gatilho para sintomas alérgicos, ajudando a identificar a alergia.

Outros cuidados no diagnóstico

Ao realizar testes específicos para identificar alergias, é importante que você não esteja fazendo uso de anti-histamínicos que podem interferir nos resultados.

É importante relatar todos os sintomas e informar seu médico sobre histórico de asma e de outras alergias na família.

Prevenção

A prevenção contra alergias depende muito dos tipos de alergia que você tem. O importante é evitar ao máximo o contato com o alérgeno. Se você não sabe a que você é alérgico, tente manter seu ambiente sempre limpo e livre de pó, escovar os pelos dos animais domésticos para evitar que eles caiam descontroladamente pela casa e evitar o acúmulo de ácaro e mofo.

Se você também apresenta sintomas gastrointestinais, é essencial prestar atenção a quais tipos de alimentos você come nos dias em que passa mal.

De um modo geral, as medidas preventivas são:

1. Evitar gatilhos conhecidos

É bastante óbvio. Se você espirra quando está perto de locais empoeirados, evite a poeira. Se você sente irritação nas vias respiratórias quando anda por lugares arborizados na primavera, tente evitar sair ao ar livre em estações como outono e primavera, pois você deve ser alérgico ao pólen. Se você fica incomodado com o ácaro, lave suas roupas de cama com frequência.

Uma vez que você identifique o que te faz mal, evite o contato com o composto alérgeno.

2. Manter um diário

Se você ainda não conseguiu identificar a sua alergia, você pode fazer um diário não só para anotar hábitos alimentares, mas também para monitorar as atividades que você faz no dia a dia e relacioná-las com sintomas alérgicos. Assim, fica bem mais fácil associar, por exemplo, que você se sentiu mal exatamente no dia em que visitou um parque, o que pode indicar alergia ao pólen.

3. Usar uma pulseira com um alerta médico

Em casos em que a pessoa já sofreu uma reação alérgica grave, é interessante usar uma pulseira ou algo que alerte pessoas ao seu redor de que você sofre de uma alergia grave em casos em que ela sofra uma anafilaxia, por exemplo, e não consiga se comunicar para procurar ou pedir ajuda. Através da adoção dessa simples medida, é possível que alguém entenda o que está acontecendo e peça ajuda médica.

Tratamento

Além de evitar o contato com o alérgeno, o tratamento de alergia envolve o uso de medicamentos ou de terapias alternativos para reduzir os sintomas.

  • Medicamentos: O uso de medicamentos como anti-histamínicos pode ajudar a diminuir a reação do sistema imune ao alérgeno, reduzindo assim a incidência de sintomas. Esses medicamentos geralmente estão disponíveis em diversas formas como comprimidos, sprays para a garganta, sprays nasais, colírios para os olhos e xaropes.
  • Imunoterapia: A imunoterapia é uma terapia alternativa que vem ganhando adeptos em que o sistema imune é estimulado a se acostumar com o alérgeno e deixar de reconhecer a substância como algo estranho ao corpo. Assim, o paciente é submetido a injeções contendo o alérgeno que são administrados em concentrações e frequências específicas. É um tratamento demorado, mas que pode trazer resultados bons e duradouros.
  • Epinefrina: Por fim, pessoas que sofrem de alergias graves podem ter acesso à epinefrina de emergência. Trata-se de uma injeção que deve ser usada apenas em casos emergenciais em que a pessoa sofre uma reação alérgica muito grave. A epinefrina é capaz de reduzir significativamente os sintomas até que o indivíduo consiga chegar até uma clínica médica, por exemplo.
  • Soluções caseiras: Há também tratamentos caseiros que podem ajudar a aliviar os sintomas dos mais diversos tipos de alergia. O uso de irrigações nasais com solução de sal e água, por exemplo, pode ajudar a aliviar a coriza e a congestão nasal através de uma lavagem nas narinas. Reduzir a umidade de locais como banheiros e cozinhas também costuma ajudar a aliviar sintomas respiratórios.

Existem vários tipos de alergia que são muito comuns. O importante é saber lidar com elas inclusive quando não for possível evitar o contato com o alérgeno. Se você fizer um diagnóstico e souber exatamente qual a substâncias que desencadeia a alergia, sua vida se tornará muito mais fácil. Assim, se ainda houver dúvidas, vá ao médico e cuide da sua saúde.

Referências adicionais:

Você sofre com quais tipos de alergia que citamos acima? Com que frequência os sintomas aparecem? Que tipo de tratamento já realizou? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário