Após vacinação, Israel vê queda de 60% em internação por COVID-19

Especialista da área:
atualizado em 27/01/2021

A vacinação contra a COVID-19 já iniciou no Brasil e em diversos lugares do mundo. Entre eles, está Israel, um dos países que mais imunizou até agora. Conforme a publicação Our World in Data, até 26 de janeiro administrou-se 4,04 milhões vacinas em Israel.

  Continua Depois da Publicidade  

Inclusive, o país é dono da maior proporção de vacinados do mundo: 46,7 doses a cada 100 habitantes. A informação também é referente ao dia 26 de janeiro.

Enquanto chega perto de uma taxa de 30% da população imunizada e um mês após ter dado início ao processo de vacinação, Israel registra uma redução de 60% nas hospitalizações de pacientes com mais 60 anos devido à COVID-19.

Notou-se essa queda dois dias após o início da administração da segunda dose da vacina da Pfizer contra o novo coronavírus no país. No entanto, não se sabe se o efeito positivo está se repetindo entre os pacientes com sintomas leves da COVID-19.

Eficácia da vacina da Pfizer poderia ser maior que o esperado

Vacina para coronavírus

Testes clínicos do imunizante da Pfizer indicaram que ele começa a ter efeitos no corpo um mês após a primeira dose.

Mas, segundo a provedora de saúde israelense, Maccabi Healthcare Services, a vacina já rendeu uma queda nas hospitalizações três semanas após a primeira fase de vacinação.

Aliás, em meados de janeiro o Ministério da Saúde de Israel chegou a anunciar uma redução de 50% no registro de infecções 14 dias após a aplicação da primeira dose da vacina, informou o jornal Times of Israel.

Além disso, dados iniciais de um estudo clínico em Israel apontam inclusive que o nível de eficácia da vacina da Pfizer poderia ser maior do que se esperava.

Conforme a Maccabi Healthcare Services, somente 0,015% das pessoas que receberam a segunda dose da vacina da Pfizer contraíram a COVID-19. Entre 128,6 mil vacinados que o estudo analisou, apenas 20 pegaram o novo coronavírus.

De acordo com o que a responsável pelo estudo, Anat Ekka Zohar, disse ao Times of Israel, se a tendência se mantiver, pode ser que o imunizante tenha mais eficácia do que a Pfizer concluiu em seus estudos.

  Continua Depois da Publicidade  

Entretanto, embora considere os dados do estudo importantes, Zohar ressaltou que essas informações ainda são muito iniciais. Portanto, é preciso aguardar novos estudos e novos informações para que a hipótese se confirme.

Lockdown também pode ter ajudado

De acordo com a diretora de doenças infecciosas do hospital israelense Sheba Medical Center, Galia Rahav, o fato de muitos recém-vacinados aderirem ao lockdown que o país estabeleceu também pode ter contribuído com a queda que se observou no país.

Enquanto aguarda a sua vez de se vacinar aqui no Brasil, conheça o que fazer e o que não fazer antes e depois de tomar a vacina da COVID-19.

Além disso, não perca as dicas de cuidado e prevenção contra o novo coronavírus que a nossa nutricionista ensina no vídeo a seguir:

Fontes e Referências Adicionais

Você já tomou a vacina da COVID-19? Conhece alguém que tomou? Conte para nós nos comentários!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Equipe MundoBoaForma

Quando o assunto é saúde, você tem que saber em quem confiar. Sua qualidade de vida e bem-estar devem ser uma prioridade para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada e altamente qualificada, composta por médicos, nutricionistas, educadores físicos. Nosso objetivo é garantir a qualidade do conteúdo que publicamos, que é também baseado nas mais confiáveis fontes de informação. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados à saúde, boa forma e qualidade de vida.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário