Jejum intermitente

Como Aproveitar os Benefícios do Jejum Intermitente Sem Precisar Praticá-lo

Os benefícios de uma alimentação saudável todos nós já sabemos bem, mas a realidade para a maioria de nós é mais complicada do que apenas “comer bem”.

Então, quando estrelas esportistas e cientistas renomados começaram a nos dizer que não só deveríamos comer menos alimentos ruins, mas começar a pular o café da manhã para melhorar nossa saúde, muita gente começou a ficar mais confuso do que nunca.

O resultado? O objetivo final parecia muito difícil e muitas pessoas pararam de tentar o sucesso e ouvir conselhos.

É por isso que resolvemos analisar se é possível colher os benefícios do jejum intermitente… sem jejuar.

Acontece que você (teoricamente) pode: na verdade, vários estudos sugeriram que você pode obter os benefícios do jejum por meio de uma “dieta simulando o jejum”.

Então, o que envolve uma “dieta que simula o jejum”? De acordo com o Medical News Today, “Essa dieta é baixa em proteínas, baixa em gorduras não saudáveis e rica em gorduras saudáveis… Além disso, está associada a baixos níveis de glicose e altos níveis de corpos cetônicos, para imitar o efeitos do jejum prolongado”.

Basicamente; é uma versão de proteína-lite da dieta cetogênica.

Os pesquisadores acreditam que a “dieta que simula o jejum” poderia “promover a regeneração celular e a longevidade do sistema imunológico associadas ao jejum sem a necessidade de restrição alimentar e os potenciais efeitos adversos que a acompanham”.

“Embora os resultados clínicos requeiram confirmação por um estudo randomizado maior”, eles qualificaram, poderia valer a pena tentar: afinal de contas – em termos de risco – não é pior do que o jejum real, os perigos (e benefícios) potenciais já descritos.

Você já tinha ouvido falar na dieta que simula o jejum? O que acha dessa tentativa? Já experimentou fazer jejum e não conseguiu ou não gostou? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 3,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*