Dicas de Exercícios de Yoga Para Iniciantes

Especialista:
atualizado em 16/01/2020

Falando-se de bem-estar, controle do estresse, autoconhecimento, melhora da flexibilidade, força e respiração, concentração e equilíbrio, o yoga é a melhor e mais completa opção. Possui inúmeros benefícios e só quem o pratica sabe ao certo o quanto essa prática milenar tem a oferecer.

Para quem está começando, é importante entender o que é o yoga e quais suas principais linhagens, já que cada uma possui peculiaridades e objetivos diferentes entre si. Depois disso, iremos conhecer alguns tipos básicos de exercícios de yoga para iniciantes, pois é assim que deve-se começar nessa prática, sem demandar muito do corpo.

  Continua Depois da Publicidade  

O que é Yoga?

O yoga, traduzido do sânscrito (língua origem indiana) para o português, significa união, integração, integridade. Na Índia, berço da prática, o homem é visto como um todo – corpo, mente e espírito –, sendo o yoga a prática que irá unir e manter em harmonia cada uma dessas partes. Para isso, requer exercícios que irão alongar, fortalecer, descongestionar, equilibrar e limpar o corpo como um todo.

O yoga, no entanto, possui diversas linhagens, que muito diferem entre si. Por ter diversas ramificações, a palavra yoga pode ser escrita e pronunciada de diversas maneiras: ioga, ióga, yoga, yôga. Cabe à escola ou à academia deixar claro para o praticante qual o tipo de yoga que é ensinado naquela instituição, pois nem todos poderão alcançar os objetivos e percepções que o aluno iniciante teve ao procurar essa prática.

Preparativos

Antes do início formal da prática do yoga para iniciantes, eles devem procurar um local que seja limpo, arejado, com luz natural e silencioso. É recomendável a utilização de tapetes de yoga para que o praticante não se machuque. Incenso e música, preferencialmente os mantras, ajudam na concentração; utilizar roupas confortáveis é essencial.

Há linhagens do yoga, como o SwáSthya Yôga, que são praticados em diversas partes. O SwáSthya, por exemplo, é praticado em oito partes, que vão desde técnicas de purificação e respiração a exercícios e meditação. Porém, os iniciantes não irão realizar todas essas partes, pois ainda estão preparando o corpo para tais práticas mais avançadas. Então, tomando o SwáSthya como exemplo, o yoga para iniciantes deve voltar-se apenas para a respiração, exercícios e descontração.

Respiração

A respiração, também chamada de pránayáma, funciona como meio de expansão da bioenergia. Prána é o nome genérico pelo qual o yoga designa qualquer tipo de energia manifestada biologicamente. Energia de origem solar, podendo manifestar-se após a metabolização, ou seja, está presente no ar, água ou nos alimentos.

A respiração deve ser sempre nasal, silenciosa e completa: com participação da musculatura abdominal, intercostal e torácica. O ar entra pelas narinas, o abdômen dilata-se, em seguida a caixa torácica e por último a parte do peito. Para exalar, o percurso é inverso, mas sempre pelo nariz: peito, tórax e abdômen voltam a relaxar.

É comum as pessoas respirarem apenas pelo peito, pois assim a respiração torna-se mais rápida. No entanto, a quantidade de oxigênio que circula pelo corpo nesse tipo de respiração é muito pouca; o peito tem apenas 10% de capacidade respiratória. O abdômen, por exemplo, detém 60% dessa capacidade; a caixa torácica, 30%. Por isso devemos reeducar nossa respiração para exigirmos mais da parte baixa, que é o abdômen. Quando somos crianças, nossa respiração é exclusivamente abdominal. Quando crescemos, com a correria da rotina, a respiração passa a ser peitoral e ficamos comumente estressados e cansados, pois a quantidade de oxigênio circulando é insuficiente.

Sendo assim, em todo o início da prática do yoga, deve-se treinar a respiração e tentar aplicá-la no decorrer da prática e dos dias que se seguem. Uma dica de yoga para iniciantes é deitar-se no chão de barriga pra cima. Coloque a mão no abdômen e sinta seu movimento de contração e relaxamento enquanto respira; tente respirar apenas pelo abdômen. Faça a mesma coisa com o tórax e com o peito, um por um, sentindo o movimento que cada área faz com as mãos, de olhos fechados.

  Continua Depois da Publicidade  

Depois que passar por esse primeiro contato com cada área, tente respirar de forma completa, englobando cada área: o ar entra pelas narinas, o abdômen dilata-se, em seguida a caixa torácica e por último a parte do peito. Para exalar, o percurso é inverso, mas sempre pelo nariz: peito, tórax e abdômen voltam a relaxar-se. Respire lentamente. Caso tenha dúvidas, pesquise vídeos na internet sobre respiração completa.

Dica de exercícios

Passando pela respiração, o yoga para iniciantes irá voltar-se para os exercícios, ou ásanas, em sânscrito. Os ásanas, que são posições firmes e agradáveis, devem ser sempre executados com a respiração completa ou, no mínimo, a abdominal. Para que a prática seja realmente eficaz, o ásana deve ser estável, confortável e estético; a respiração, consciente, profunda e pausada.

Quando um ásana for realizado para um lado, deve-se repeti-lo para o outro, buscando sempre o equilíbrio. Se exigir muito de determinada parte do corpo, deve-se compensá-lo para que não ocorram lesões na região. A permanência deve ser máxima, o tanto que a pessoa conseguir ficar; a repetição deve ser mínima, apenas quando realmente for preciso.

Exercício de equilíbrio

Comece em pé. O primeiro ásana é de equilíbrio; fixe os olhos em determinado ponto, com os pés juntos e uma as palmas em frente ao peito; erga o joelho esquerdo e permaneça assim por dois minutos. Repita com o outro joelho. Se cair, deve-se recomeçar do início.

Relaxe o pescoço, jogando-o para trás e girando-o devagar para ambos os lados. Depois disso, abra as pernas com uma distância de cinco palmos, ainda de pé, e toque com a mão esquerda no pé esquerdo; a mão direita deve estar apontada para o teto; os ombros, os quadris e a coluna, alinhados. Repita para o outro lado; o tempo de permanência será avaliado pelo praticante.

Exercício de flexibilidade e torção

Ainda de pé, com os pés separados a uma distância de 5 palmos, dobre o joelho direito para que a coxa fique paralela ao solo; a mão direita toca no solo, ao lado do pé direito, e a mão esquerda aponta para o teto. Ombros alinhados, olhe para a mão que está em direção ao teto. Repita para o outro lado.

Respire erguendo a coluna e levantes os dois braços, tracionando a coluna. Estique-se. Na expiração, toque as mãos nos pés ou onde alcançar. Descanse a coluna nessa posição.

No solo

Sente-se com as pernas esticadas e abertas e as mãos apoiadas sobre elas. Force para que a coluna continue bem esticada. Em seguida, dobre uma das pernas para que o pé fique próximo da região pélvica. Deite sobre a perna que está esticada. Permaneça por dois minutos e repita para o outro lado.

  Continua Depois da Publicidade  

Deite de barriga para baixo, com os pés juntos. Empurre o chão com ambas as mãos, mantendo o braço esticado. A coluna irá dobrar-se na antiflexão. Tombe a cabeça para trás. Permaneça o tempo que conseguir e volte a deitar no solo. Erga o corpo, empurrando o solo com os braços; nada fica no solo, exceto mãos e as pontas dos pés. Olhe para a frente e mantenha a coluna reta. Permaneça o quanto conseguir.

Deite no solo de barriga para cima, abrace os joelhos e permaneça por alguns instantes assim. Em seguida, descanse o corpo no solo e relaxe.

Os benefícios do Yoga

O yoga é uma prática que irá trazer inúmeros benefícios para seus praticantes, de pontos físicos a mentais e emocionais. O yoga alivia doenças respiratórias, dores em geral, auxilia na perda de peso e no funcionamento do intestino, melhora a circulação e o funcionamento de glândulas. Possibilita, ainda, melhoras na condição estética e definição corporal.

Outros benefícios do yoga, mais voltados para o campo mental, são o aprimoramento da concentração e da memória. Além disso, o yoga ainda proporciona o alívio de estresse, autoconhecimento e relaxamento.

Que parte dessas dicas de yoga para iniciantes você precisa aprimorar? Já começou a praticá-lo? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 3,50 de 5)
Loading...
Sobre Francisco Santana

Francisco José Santana é Personal Trainer - CREF 1859 G/SE. Formado pela Univer Cidade RJ 2007, com certificação CORE360º treinamento funcional, Certificação Internacional FNS I e II em avaliação funcional, especializações em suplementação nutricional esportiva, Crosstraining - Scientific Sport, Cineantropometria aplicada, Primeiras ações em emergência, Prevenção de Doenças Laborais, Musculação, Ginástica Corretiva, Spinning (Johnny G), Técnica de Tecidos Moles - Miofacial, e Inteligência Emocional - ASICC

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário