Menstruação

Fluxo Menstrual Intenso – O Que Pode Ser e Como Diminuir

O fluxo menstrual intenso é algo que pode atrapalhar a vida de muitas mulheres, ou ao menos assustá-las quando não estão acostumadas. Por isso, é muito importante saber o que isso significa.

Qual é o fluxo menstrual normal?

Em um grupo selecionado aleatoriamente de mulheres na pré-menopausa, de acordo com o CEMCOR – Centre for Menstrual Cycle and Ovulation Research (Centro para Pesquisa do Ciclo Menstrual e Ovulação), a quantidade mais comum de fluxo menstrual (medida em um laboratório através de absorventes e tampões coletados) foi de cerca de duas colheres de sopa (30 ml) em todo o período. No entanto, a quantidade de fluxo era altamente variável – variava até cerca de duas xícaras (540ml) em uma única menstruação.

As mulheres que são mais altas, tiveram filhos e estão na perimenopausa possuíam um fluxo maior. A duração normal do sangramento menstrual é de quatro a seis dias e a quantidade habitual de perda de sangue por ciclo é de 10 a 35 ml.

Cada absorvente de tamanho normal embebido continha uma colher de chá (5 ml) de sangue, o que significa que é normal “encher” de um a sete absorventes de tamanho normal em todo um ciclo.

Como o fluxo menstrual intenso ou a menorragia são definidos

Oficialmente, o fluxo de mais de 80 ml (ou 16 absorventes encharcados) por período menstrual é considerado menorragia. A maioria das mulheres que passam por sangramentos intensos terá uma contagem sanguínea baixa (anemia) ou evidência de deficiência de ferro.

Na prática, apenas cerca de um terço das mulheres tem anemia, de modo que a definição de fluxo menstrual intenso pode ser ajustada para se aproximar de nove a doze absorventes de tamanho normal embebidos em um período.

O que causa fluxo intenso?

Ainda não está muito claro o que pode ser a causa. O fluxo intenso é mais comum em adolescentes e mulheres na perimenopausa – ambos são momentos do ciclo de vida em que os níveis de estrogênio tendem a ser mais altos e os níveis de progesterona mais baixos.

A progesterona é produzida pelos ovários após a ovulação, porém, mesmo que você tenha ciclos regulares, isso não significa que está ovulando, pois, o revestimento do útero ou endométrio é eliminado através da menstruação. A função do estrogênio é tornar o endométrio mais espesso (e mais propenso a sair através da menstruação) e a progesterona o torna mais fino. Portanto, é provável que o fluxo intenso seja causado por excesso de estrogênio e pouca progesterona, embora isso ainda não tenha sido muito bem comprovado.

A boa notícia é que em um grande estudo realizado com mulheres na pré-perimenopausa, o fluxo intenso não foi causado por câncer endometrial, o que significa que um teste de diagnóstico para câncer chamado D&C (procedimento cirúrgico no qual o endométrio é raspado) não é necessário.

O fluxo intenso mostrou ser mais comum e ocorreu em 20% das mulheres com idades entre 40 e 44 anos. Em mulheres com idades entre 40 e 50 anos, aquelas que apresentavam um fluxo intenso normalmente também apresentavam miomas. No entanto, níveis mais altos de estrogênio com níveis mais baixos de progesterona causam sangramento intenso e crescimento de miomas.

Miomas são tumores benignos de tecido fibroso e muscular que crescem no músculo da parede uterina; menos de 10% chegam perto do endométrio e são chamados de miomas submucosos. Somente esses miomas raros podem influenciar o fluxo, portanto, eles raramente são a causa real do fluxo intenso e não são o motivo para tratar o fluxo intenso de forma diferente.

No início da perimenopausa, quando os ciclos são regulares, aproximadamente 25% das mulheres terão pelo menos um ciclo intenso. Os níveis de estrogênio na perimenopausa são mais altos e os de progesterona mais baixos. Os níveis de progesterona são menores porque a ovulação é menos consistente e as fases lúteas (a porção do ciclo menstrual normal da ovulação até o dia anterior próximo ao fluxo) são curtas. Menos de 10 dias de progesterona são comuns na perimenopausa.

Algumas razões raras para o fluxo menstrual intenso são um problema hereditário com sangramento (como hemofilia), infecção ou sangramento intenso de um aborto precoce.

Como saber se você tem fluxo menstrual intenso ou normal

A maneira mais fácil é sabendo que um absorvente encharcado e de tamanho normal contém cerca de uma colher de chá de sangue, cerca de 5ml, e assim marcar a quantidade que absorve a cada dia do seu fluxo. Outra maneira muito fácil é usando os coletores menstruais que vêm com marcadores de 15 e 30ml.

Manter um diário do ciclo menstrual é uma maneira conveniente de avaliar a quantidade e o momento do fluxo. Para registrar com precisão o número de absorventes ou tampões encharcados a cada dia, é necessário lembrar a quantidade (número) que você usou que estava pela metade (por exemplo, digamos que três tampões e um absorvente) e multiplicá-los (4 x 0,5 = 2) para obter a quantia de quanto estava realmente encharcado. Um absorvente ou tampão grande retém cerca de duas colheres de chá ou 10ml de sangue, portanto, registre cada produto sanitário grande encharcado como 2.

Além disso, registre a quantidade de fluxo analisando da melhor maneira, como que “1” está manchado, “2” significa fluxo normal, “3” é um pouco intenso e “4” muito intenso com vazamentos ou coágulos. Se o número de produtos encharcados totalizar 16 ou mais, ou se você estiver anotando muitos “4”, terá um fluxo pesado.

O que fazer no caso de um fluxo menstrual intenso e como diminuir

  1. Manter um registro: Faça um registro cuidadoso (como explicado acima) do seu fluxo durante um ou dois ciclos. Lembre-se: se o fluxo é tão intenso que você começa a se sentir fraca ou tonta quando se levanta, deverá fazer uma consulta médica de emergência.
  2. Tome ibuprofeno: Sempre que o fluxo for intenso, comece a tomar ibuprofeno, o antiprostaglandina vendido sem receita. Uma dose de um comprimido de 200 mg a cada 4-6 horas enquanto estiver acordada irá diminuir o fluxo em 25-30% além de ajudar com as cólicas menstruais.
  3. Trate a perda de sangue ingerindo mais água e sal: Se sentir tonta ou seu coração bater mais forte ao se levantar da cama, essa é uma evidência de que a quantidade do volume de sangue no seu sistema é muito baixa. Para ajudar, beba mais água e aumente os líquidos salgados que você toma, como sucos de vegetais ou caldos salgados. Você provavelmente precisará de pelo menos quatro a seis xícaras (1-1,5 litro) de líquido extra naquele dia.
  4. Coma alimentos ou suplementos com ferro para substituir o que é perdido com o sangramento intenso: Se você ainda não consultou o seu médico ou percebeu que teve um fluxo intenso durante vários ciclos, comece a tomar um suplemento de ferro (como por exemplo, 35 mg de gluconato ferroso) por dia ou aumente a quantidade de ferro que obtém através dos alimentos, como por exemplo carne vermelha, fígado, gemas de ovos, verduras escuras e frutas secas como passas e ameixas, que são boas fontes de ferro.

Seu médico provavelmente medirá a sua contagem de sangue através de um exame chamado “ferritina”, que informa a quantidade de ferro que você armazenou em sua medula óssea. Se a sua ferritina estiver baixa, ou se já teve um baixo nível de hemograma, continue diariamente ingerindo ferro por um ano inteiro para levar as suas reservas de ferro ao nível normal.

O que um médico pode fazer para avaliar o fluxo?

Depois de fazer perguntas (e olhar o seu diário ou registros de fluxo), o médico deve fazer o exame pélvico. Se isso for muito doloroso, deve-se fazer um exame para saber se há uma infecção, que é uma causa rara, porém séria de fluxo menstrual intenso. Com o espéculo, o médico vê que o sangramento está vindo do útero e não de outro lugar.

Quais exames laboratoriais o médico pode fazer para avaliar o fluxo?

Uma das consequências do fluxo menstrual intenso é a perda de ferro que é necessário para a hemoglobina transportar oxigênio para as células vermelhas do sangue – níveis baixos de ferro causam anemia (hematócrito baixo ou hemoglobina, que são comumente chamados de “hemograma baixo”).

A ferritina pode ser solicitada se o fluxo intenso estiver ocorrendo por certo tempo, se tiver iniciado o tratamento com ferro ou se você mantém uma dieta vegetariana que tende a ser baixa em ferro. A ferritina pode ser baixa mesmo que a hemoglobina e o hematócrito estejam normais. Às vezes, o sangramento intenso significa um aborto espontâneo e por isso o seu médico pode pedir um teste de gravidez.

O que o médico pode receitar para tratar fluxo intenso?

1. Progesterona

O tratamento com progesterona faz sentido porque um fluxo muito intenso está associado a muito estrogênio para a quantidade de progesterona. O trabalho da progesterona é tornar o endométrio fino e maduro – ele antagoniza a ação do estrogênio que o torna espesso e frágil. No entanto, doses baixas administradas por duas semanas ou menos a cada ciclo não são efetivas. Um estudo mostra que doses muito altas de progestogênio forte desde o 22º dia do ciclo fazem com que o sangramento diminua em 87%.

O recomendado é iniciar o tratamento com progesterona micronizada oral – 300mg ao dormir, ou medroxiprogesterona (10 mg) entre o 12º e 27º do ciclo. Sempre tome progesterona por 16 dias sempre que um ciclo intenso começar. Se necessário, a progestina pode ser iniciada imediatamente, a qualquer momento do ciclo, e retardará ou interromperá o sangramento.

Sangramento intenso é muito comum na perimenopausa, por isso, quando uma mulher com mais de 40 anos estiver viajando ou em um lugar remoto, ela deve pedir ao seu médico 16 dias de administração de 300 mg de progesterona micronizada oral (ou 10mg de comprimidos de medroxiprogesterona).

A progesterona precisa ser tomada diariamente por três meses se a mulher entrar na perimenopausa muito cedo, se tiver anemia ou ocorrer fluxo intenso por muito tempo. Tome 300mg de progesterona via oral micronizada diariamente antes de dormir e de maneira contínua, todos os dias, durante três meses. O fluxo se tornará irregular, mas diminuirá ao longo do tempo.

Depois disso, poderá tomar progesterona cíclica por mais alguns meses. Lembre-se também de tomar o ibuprofeno todos os dias que tiver fluxo intenso.

À medida que o fluxo se torna mais leve, a terapia com progesterona pode ser diminuída para uma dose normal e tomada entre o 14º ao 27º dia do ciclo. Na perimenopausa, especialmente em mulheres com histórico de acne e pelos faciais indesejados (excesso de andrógenos anovulatórios), muitas vezes é necessário tratar com a terapia diária de progesterona por três meses para diminuir também os riscos de câncer endometrial. Depois disso, é aconselhável usar um tratamento cíclico entre o 12º ao 27º dia do ciclo por mais seis meses.

2. Pílulas anticoncepcionais orais

Embora os contraceptivos orais sejam comumente usados para fluxo intenso, eles não são muito eficazes, especialmente na perimenopausa, pois os contraceptivos orais atuais de “baixa dosagem” contêm níveis de estrogênio que, em média, são cinco vezes mais naturais do que os níveis normais de progesterona, chamados progestágenos.

Os contraceptivos hormonais combinados não se mostram eficazes para o fluxo intenso devido à perimenopausa; além disso, parecem impedir o importante ganho de massa óssea durante a adolescência, portanto, devem ser evitados. Os contraceptivos hormonais combinados só devem ser tomados se você não estiver na perimenopausa ou adolescência e para contracepção.

3. Outras terapias que podem ser adicionadas à progesterona

Felizmente, existem dois tratamentos médicos para o fluxo menstrual intenso que em pesquisas e ensaios controlados demonstraram ser seguros e eficazes. O primeiro é o uso de ácido tranexâmico, um medicamento que age aumentando o sistema de coagulação do sangue e diminui o fluxo em cerca de 50%.

O segundo é um DIU que libera progestina e diminui o fluxo em cerca de 85-90%. Ambos foram estudados ao longo dos anos e são quase tão eficazes quanto a ablação endometrial, cirurgia ou a destruição do revestimento uterino, de acordo com os resultados dos ensaios controlados.

Qualquer uma das terapias de emergência deve ser usada como progesterona de dose normal cíclica, ibuprofeno e líquido extra salgado caso necessário.

Porém, é sempre necessário que mantenha em dia as consultas com o seu ginecologista e sempre que sentir qualquer sintoma, deverá consultá-lo.

Referências adicionais:

Você possui fluxo menstrual intenso? Já foi diagnosticado por um médico? Que tratamento ou substância foi receitada? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*