Grávida Pode Malhar? Pode Fazer Academia Mesmo? Cuidados e Dicas

Maiores cuidados com a alimentação. Mudanças no corpo. Consultas médicas mais frequentes. Compra de roupinhas. Decoração do quarto. Escolha de nomes. Sonhos e planejamentos. Muita coisa muda e passa a fazer parte da vida de uma mulher quando ela descobre que está esperando um neném, não é mesmo?

Com isso, não é incomum que nessa nova fase a futura mamãe comece a ter uma série de dúvidas a respeito do que pode e do que não pode fazer durante a sua gestação. Por exemplo, será que uma grávida pode malhar mesmo? Ela pode frequentar a academia e fazer que tipo de exercícios?

A grávida pode malhar?

A gestação não acontece da mesma maneira para todas as mulheres, por isso, o que funciona para uma pode não ser aconselhável para a outra. Com isso, a maneira ideal para qualquer mulher saber se estando grávida pode malhar é consultar o médico que acompanha a sua gestação a respeito da prática de atividades físicas.

O ideal é que essa conversa aconteça no primeiro trimestre da gravidez, pois a mulher poderá contar maiores detalhes sobre a sua rotina de malhação antes de engravidar ao profissional e ouvir dele as orientações a respeito de como o seu treinamento poderá ocorrer ao longo dos nove meses.

O médico não indicará somente que tipo de exercício poderá ser feito, mas também em que intensidade e frequência, tendo em vista não só o histórico e o condicionamento físico da grávida, mas também as condições de sua gestação, os cuidados que a gravidez em questão exige e o estado de seu bebê. Vale lembrar que algumas gestações são mais de risco do que outras.

Por mais que você conheça pessoas que tenham sido autorizadas a fazer determinado tipo de atividade física durante a gravidez, tenha em mente que cada gestação tem a suas exigências e características e que a pessoa mais indicada para dar a palavra final se você enquanto grávida pode malhar é o médico que acompanha a gestação.

Da mesma forma, é mais seguro ter o auxílio de um educador físico especializado ou com experiência no treinamento de mulheres grávidas durante a realização dos exercícios.

Isso é importante para que a gestante malhe com segurança, tendo uma orientação profissional a respeito de quais exercícios podem ser feitos, de como cada movimento deve ser executado e da quantidade de séries e repetições que é segura para ela.

Dito isso

É importante saber que a prática de exercícios físicos é uma coisa que definitivamente vale a pena ser discutida com o médico porque pode trazer benefícios para a futura mamãe.

De acordo com o National Health Service (Serviço Nacional de Saúde, NHS, sigla em inglês) do Reino Unido, quanto mais ativa e em forma a mulher estiver durante a gravidez, mais fácil será para que ela se adapte à sua mudança física e ao aumento de peso na gravidez.

A prática de atividade física também ajuda a lidar com o parto e a entrar em forma depois que o bebê nascer. Segundo a organização, existem alguma evidências de que as mulheres ativas têm menos propensão de sofrer com problemas mais para a frente na gestação e no parto.

O NHS aconselha que a grávida mantenha a sua atividade física diária enquanto se sentir confortável, desde que haja a autorização médica e dentro dos parâmetros e restrições que o médico colocar.

E se eu não malhava antes de ficar grávida?

A gestante que não era ativa antes de engravidar não deve começar repentinamente a fazer exercícios intensos.

Se a futura mamãe começar um programa de exercícios aeróbicos como corrida, natação, ciclismo ou caminhada, precisa informar ao instrutor que está grávida e deve começar com não mais de 15 minutos de exercícios contínuos, três vezes por semana.

Isso pode aumentar gradualmente para sessões de 30 minutos – mas sempre com a autorização do médico e o acompanhamento e instrução de um educador físico qualificado para treinar gestantes.

Não pode se exaurir

Ainda que o médico afirme que sua paciente grávida pode malhar, isso não significa que ela deve se exercitar até a exaustão.

Um exercício não precisa ser extenuante para ser benéfico e a grávida não pode ficar exausta durante seus treinamentos. A futura mamãe pode precisar dar uma desacelerada conforme a gestação avança ou se houver a recomendação médica.

A regra geral é que a futura mamãe deve conseguir manter uma conversa enquanto se exercita; se ela fica sem fôlego enquanto fala, provavelmente está malhando de maneira muito extenuante.

Sempre que tiver dúvidas, deve-se consultar o médico que acompanha a sua gravidez.

Outras dicas

Especialistas também recomendam que, ao praticar atividades físicas, a grávida:

  • Sempre faça aquecimento antes de começar e realize exercícios de esfriamento ou resfriamento ao terminar;
  • Tente se manter ativa diariamente: meia hora de caminhada por dia pode ser o suficiente, mas se a mulher não der conta, qualquer quantidade já é melhor que nada;
  • Evite qualquer tipo de atividade física intensa no clima quente;
  • Beba muita água e outros líquidos;
  • Certifique-se de que o instrutor é adequadamente qualificado, sabe que ela está grávida e tem a informação de quantas semanas é a gestação;
  • Faça exercícios que têm o risco de queda como hipismo, esqui, hóquei no gelo, ginástica e ciclismo com extrema cautela, já que as quedas podem provocar danos ao neném (ou evite todos esses exercícios para não arriscar machucar a si mesma e ao seu bebê);
  • Dê uma chance à natação, em aulas com instrutores qualificados em natação para gestantes, tendo em vista que a água oferece suporte ao peso aumentado da grávida.

Os tipos de exercícios a serem evitados na gestação

A gestante não deve praticar:

  • Exercícios que exijam deitar de costas durante períodos prolongados, especialmente depois das 16 semanas de gravidez, pois ocorre uma pressão nos principais vasos sanguíneos, levando sangue de volta ao coração, o que pode fazer com que a mulher tenha sensação de desmaio;
  • Esportes de contato em que há o risco de chute como judô ou kickboxing;
  • Mergulho, porque o bebê não tem proteção contra a doença descompressiva (provocada pela expansão de bolhas de nitrogênio no sangue ou tecidos do corpo, resultando em lesões de graus variáveis) e o embolia gasoso (bolhas de gás na corrente sanguínea);
  • Exercícios em alturas de mais de 2,5 mil m acima do nível do mar até que tenha se aclimatado – tanto a futura mamãe quanto o neném têm risco de sofrer com a doença de altitude;
  • Qualquer movimento, exercício ou treino que tenha sido proibido pelo médico.

Referências Adicionais: https://www.nhs.uk/conditions/pregnancy-and-baby/pregnancy-exercise/

Você já tinha ouvido falar que toda mulher grávida pode malhar? Fez que tipo de exercício durante sua gestação? Como foi o resultado? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário