Cirurgia para curar diástase abdominal – Como é, cuidados e dicas

Especialista da área:
atualizado em 14/12/2021

A diástase abdominal é um problema que atinge muitas mulheres, principalmente no período pós parto. Ela pode ocorrer por vários motivos, que fazem com que a musculatura não suporte a pressão intra-abdominal, levando ao afastamento dos músculos. 

Associado a isso, a diástase abdominal pode causar também outros problemas, como dor e distúrbios gástricos. 

  Continua Depois da Publicidade  

Então, a seguir vamos entender melhor como a diástase abdominal se desenvolve e quais são as formas de tratamento que existem.

O que é diástase abdominal?

A diástase abdominal é o afastamento dos músculos retos abdominais (os responsáveis pelo que muitos chamam de “tanquinho”).

Esse problema é mais comum durante a gravidez e após o parto, devido ao crescimento do útero para acomodar o bebê.

Mas é importante lembrar que o problema, apesar de ser mais comum em mulheres, também pode atingir homens e até mesmo crianças, dependendo das características físicas e da saúde de cada um.

Sintomas

Diástase abdominal

A diástase abdominal pode causar o aparecimento de alguns sintomas bastante desconfortáveis, e a severidade pode variar de pessoa para pessoa. Os mais comuns são:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Aparecimento de uma saliência no estômago quando se faz algum esforço com a barriga
  • Dor lombar
  • Má postura
  • Problemas gástricos, como distensão abdominal e constipação.

Tratamento

Existem tratamentos para corrigir a diástase abdominal, que envolvem exercícios, fisioterapia ou cirurgia. 

Mas, tanto os exercícios quanto a fisioterapia devem contar com a supervisão de um profissional qualificado, pois a execução errada dos movimentos pode agravar ainda mais a diástase.

Assim, através do fortalecimento da parede abdominal e da musculatura vizinha, é possível estabilizar e prevenir a piora, além de reverter o afastamento do músculo reto abdominal.

Entretanto, quando a diástase é severa, na qual o afastamento dos músculos é maior do que 5 cm, geralmente não é possível revertê-la com exercícios e fisioterapia, sendo necessária a cirurgia.

Como é a cirurgia para corrigir a diástase abdominal?

Após o diagnóstico da diástase abdominal, feito através do exame físico e de exames de imagem, o médico pode indicar a cirurgia.

A seguir vamos detalhar melhor como a correção cirúrgica poder ser realizada:

  Continua Depois da Publicidade  

1. Videolaparoscopia

A videolaparoscopia é uma técnica cirúrgica que deixa poucas cicatrizes no abdômen e resulta em uma recuperação mais rápida. Isso ocorre porque o cirurgião realiza pequenos cortes no abdômen, por onde ele insere instrumentos (pinças, câmeras e bisturis) e realiza o procedimento.  

Assim que o cirurgião identifica a região com diástase abdominal, ele aproxima os músculos afastados, em direção ao centro do abdômen e fecha com vários pontos internos. 

Além disso, outros procedimentos com fins estéticos podem ser feitos em conjunto com a videolaparoscopia, como a lipoaspiração.  

Mas é importante ressaltar que a indicação dessa cirurgia é para pessoas que apresentam a diástase sem excesso de pele, que é a flacidez no abdômen, ou de gordura. 

2. Abdominoplastia

A abdominoplastia é uma cirurgia plástica com um caráter primariamente estético, pois o objetivo mais comum de quem faz esse procedimento cirúrgico é o de remover o excesso de gordura e pele na região do abdômen. 

Mas, no caso da diástase abdominal, também há um caráter funcional, uma vez que os músculos abdominais não servem apenas para mostrar uma boa forma, mas sustentam as vísceras e mantêm uma boa postura, prevenindo problemas como incontinência urinária, hérnias de disco e dor nas costas. 

  Continua Depois da Publicidade  

Nesta cirurgia, o cirurgião faz uma incisão abaixo do umbigo, bem semelhante a cesárea, e “descola” a pele até a região próxima às costelas. Então, ele localiza o ponto da diástase e fecha com amarração ou sutura, aproximando os músculos afastados. 

Após a junção dos músculos, pode ser feita a remoção do excesso de pele e de gordura local, promovendo uma melhor modelagem do abdômen. Há casos em que o umbigo também precisa ser remodelado. 

Abdominoplastia

Cuidados com a cirurgia para diástase abdominal

Antes de decidir pela cirurgia

Independentemente da técnica escolhida, a cirurgia só deve ser feita quando a mulher decidir não ter mais filhos, já que é normal os músculos do abdômen se afastarem com o crescimento do útero. Assim, deve-se esperar ao menos um ano após o parto para a realização da cirurgia.

Mas, se a gestação ocorrer sem planejamento após a cirurgia de diástase ter sido feita, a gestante deve cuidar bem da alimentação, para que não ganhe muito peso, pois isso agrava a diástase. 

Já os pacientes que fizeram cirurgia bariátrica devem esperar 2 anos e estar com peso estável por pelo menos 2 meses. 

Pós-operatório

Após a cirurgia alguns cuidados são necessários, para facilitar a recuperação e melhorar o resultado do tratamento. Por isso, seu médico irá passar uma lista de recomendações, como:

  • Uso de cinta abdominal logo após a cirurgia, que normalmente é mantido por pelo menos um mês
  • Sessões de drenagem linfática, para evitar o acúmulo de líquido no local da cicatriz, e para ajudar na eliminação do excesso de fluidos.
  • Evitar esforço físico por pelo menos 40 dias. Além disso, é aconselhável que se trabalhe sempre sentado, evite-se levantar objetos pesados, subir ou descer escadas e dirigir.
  • Evitar a exposição ao sol.
  • Ao retornar à prática de exercícios físicos, quando o médico autorizar, opte por exercícios aeróbicos leves, como caminhada, natação e bicicleta. Evite a musculação.
  • Dormir de barriga para cima.
  • Manter os curativos sempre limpos.
  • Usar roupas leves e folgadas.
  • Mastigar bem os alimentos, comer devagar, não ingerir líquidos enquanto come e aumentar a ingestão de fibras são ações que ajudam a evitar a formação de gases e a prisão de ventre, para que a barriga não fique inchada.
  • Ingerir alimentos que ajudam na cicatrização, como carnes brancas e ovos. 
  • O banho deve ser de chuveiro e sentado em um banquinho, de preferência, com ajuda de uma outra pessoa, para que não haja a necessidade de curvar a barriga.
  • Por fim, caso note sinais de infecção, como febre, vazamento de líquido ou sangue no curativo e mau cheiro na cicatriz, procure atendimento médico. 

Dicas e cuidados

O tratamento da diástase abdominal deve sempre ser orientado por um profissional habilitado para tal. Mas existem algumas dicas que podem ajudar a prevenir ou a amenizar o problema, como veremos a seguir:

  • Fique atenta à postura, pois geralmente ficamos com os músculos das costas, peito e abdômen muito relaxados.
  • Adote uma alimentação balanceada, para evitar e mesmo reverter o ganho de peso.
  • Inclua exercícios de fortalecimento da musculatura abdominal em sua rotina. Para isso, converse com um profissional de educação física.
  • Durante a gestação, procure por academias que ofereçam atividades físicas próprias para gestantes, como pilates, yoga e natação.
  • Por fim, siga corretamente as orientações médicas após a cirurgia, para acelerar o processo de cura e garantir uma cicatrização adequada.
Fontes e referências adicionais

Você tem ou teve diástase abdominal? Conseguiu tratar com exercícios e fisioterapia, ou teve que fazer cirurgia? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

Deixe um comentário