Musculação Atrapalha o Crescimento?

Especialista:
atualizado em 14/01/2020

Os exercícios físicos são apontados com benéficos não só para a manutenção da boa forma, como também para auxiliar na saúde e bom funcionamento do organismo. Há pessoas que não lidam com tantas dúvidas, pois praticam esportes desde a infância, mas o início da prática de musculação gera diversos questionamentos entre os mitos e especulações que envolvem o levantamento de carga por jovens.

A vaidade leva muitos jovens, no fim da infância e adolescência, a começarem a frequentar a academia, mas muitas pessoas afirmam que a musculação atrapalha o crescimento. Por isso, vale a pena conhecer um pouco mais sobre as reais contribuições e interferências que o levantamento de peso pode gerar ao corpo em sua fase de desenvolvimento. Será que isso é verdade mesmo?

Qual é o momento certo de começar a prática?

Os hábitos dos jovens têm sido substituídos por práticas pouco saudáveis, como ficar em frente ao computador, jogando vídeo game, ou até mesmo utilizando tablets e celulares. O fato é que o estilo de vida predominante é sedentário, o que aumenta o número de jovens com sobrepeso e demais problemas de saúde, por isso, a musculação pode ser uma excelente alternativa para eles se exercitarem.

Não há uma idade específica para iniciar a prática de musculação, mas é fundamental realizar uma avaliação antes do início da prática, para que assim, com o acompanhamento de um médico e educador físico, sejam respeitados os limites e resistência física de cada jovem.

Os exercícios cardiovasculares são recomendados para auxiliar no aquecimento para o treino de levantamento de peso, tornando menos provável a ocorrência de lesões musculoesqueléticas. Pode-se praticar futebol, ciclismo, corridas, e até mesmo artes marciais. Ao praticar os exercícios cardiovasculares, pode-se notar melhora na aptidão física, ajudando assim nas demais atividades.

Alguns médicos recomendam a musculação a partir dos 12 anos, mas essa não é uma regra. Essa sugestão é justificada pelo fato de crianças sempre se interessarem por algo novo, ou seja, para elas, seriam adequadas as atividades físicas dinâmicas, que misturam diversão e bem estar.

Para teste de aptidão, é sugerido que jovens comecem a prática de musculação em dois ou três dias por semana, em dias não consecutivos, com 1 a 3 séries e repetições de 6 a 15.

Veja algumas dicas para que você preserve o seu corpo, e note que a afirmativa de que a musculação atrapalha o crescimento é falsa:

  • Siga um programa adaptado às suas características pessoais;
  • Conte com a orientação de um profissional qualificado;
  • Comece em nível básico, aumentando a dificuldade progressivamente;
  • Compreenda bem sobre os movimentos e técnicas apropriadas para os exercícios;
  • Varie o treino;
  • Determine metas.

Duração do treino

Muitos jovens se determinam a praticar musculação, e acabam exagerando na intensidade dos treinos e duração. Para crianças e adolescentes iniciantes, recomenda-se apenas 30 minutos de atividade física diária, com intensidade moderada, respeitando os seus limites particulares.

Malhar atrapalha o crescimento quando os treinos interferem na rotina. Se o treino se estender, pode ocasionar fadigas e induzir a queda de rendimento na vida acadêmica, que não é crescimento físico, mas intelectual, o que não é desejado. Por isso, é necessário controlar a rotina de exercícios, a sua duração, e adequá-la às demais responsabilidades.

Adolescência

Justificando que o início da prática da musculação é mais adequado para a adolescência, fala-se que é possível obter ainda mais benefícios nas habilidades motoras, aptidão cardiorrespiratória, flexibilidade, agilidade, equilíbrio e coordenação dos grupos musculares utilizados nos exercícios.

Não podemos dizer que a musculação atrapalha o crescimento pois sua contribuição para a saúde fica evidente na melhora do humor, no controle dos níveis de colesterol, no aumento da resistência óssea, e principalmente, na redução do percentual de gordura.

Na adolescência, a musculação pode ser associada ao aumento de massa magra, e isso ocorre com o apoio das influências hormonais, principalmente testosterona. No caso de meninas, o desenvolvimento muscular é mais limitado, já que conta com níveis mais baixos de andrógenos.

Além dos benefícios para a saúde e boa forma, a musculação, com sua contribuição nas mudanças corporais, ainda pode tornar os adolescentes mais seguros, aumentando a autoestima, o que ainda interfere na melhora do desempenho atlético.

Ainda há diversos estudos sobre os exercícios de resistência para crianças e adolescentes, e a aceitação e prática de musculação tem sido aprovada quase que universalmente por médicos e educadores físicos, pois essa é uma forma de prevenir ou reduzir os casos de obesidade.

Força

Os praticantes de musculação não só desejam hipertrofia, mas também ganho de força, e para isso, indica-se alguns exercícios que são funcionais, pois atingem múltiplas fibras musculares, como os agachamentos e levantamento terra.

O principal objetivo dos jovens não deve ser ganho de força ou hipertrofia, na verdade, a principal vitória é superar o sedentarismo e seguir uma rotina ativa, rotina essa que pode ser adotada não só para a fase inicial da vida, mas por ela toda, estando no caminho certo para se tornar um adulto saudável e com uma terceira idade sem tantas consequências.

Eles cresceram

Provando que o pensamento que a musculação atrapalha o crescimento não é verdade, lembramos que alguns dos principais atletas e inspirações para os admiradores do fisiculturismo começaram a praticar o esporte ainda na adolescência.

Quem olha para Arnold Schwarzenegger não pode pensar que ele começou a praticar musculação apenas após a sua formação corporal. Na verdade, ele iniciou aos 15 anos, e ainda assim atingiu os 1,87 m de altura. Veja a evolução do atleta.

musculaá∆o -01

Lesões

Há diversos especialistas que realmente afirmam que malhar atrapalha o crescimento, mas essa especulação está ligada apenas à probabilidade de ocorrência de levantamento de peso com técnica inadequada, ou excesso de carga. Na verdade, o treinamento de força é recomendado para a juventude desde que o treino seja planejado com exercícios e movimentos adequados para a faixa etária.

Os exercícios livres são interessantes para o desenvolvimento corporal. No caso de crianças, deve-se atentar para o uso das máquinas, pois elas podem forçar os trabalhos de movimentos não naturais. O levantamento equivocado da carga, ou o excesso são razões para muitas crianças que se ferem nos treinos. Uma vez dominada a técnica de levantamento, fica mais simples obter plenos benefícios das atividades.

É indispensável que um educador físico se responsabilize pela orientação dos exercícios de crianças e adolescentes. Se você deseja começar a praticar musculação, ou se seu filho está se interessando pela atividade, busque mais informações, a fim de garantir a segurança e saúde.

Incentivo

É importante que os pais incentivem as crianças a manterem uma rotina com atividades físicas, e acreditar que a musculação atrapalha o crescimento pode privar os filhos de uma melhor qualidade de vida. As crianças que praticam exercícios podem lidar melhor com desafios físicos e emocionais, além de contribuir com o sono, melhor se recuperando para as demais responsabilidades como o estudo.

É importante que o incentivo não só parta dos pais, mas também de seus orientadores, a fim de conscientizar os jovens de sua responsabilidade diante do uso das máquinas e os possíveis riscos. Para preservar o corpo e reduzir a possibilidade de lesões, os educadores físicos devem orientar para que seja realizado um alongamento antes das atividades, que pode ajudar a aprimorar a flexibilidade, o que permite que os músculos e articulações se comportem melhor durante o treino.

Você acreditava que a musculação atrapalha o crescimento? Já privou filhos ou outros parentes de malharem por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (7 votos, média: 4,14 de 5)
Loading...
Sobre Francisco Santana

Francisco José Santana é personal trainer, formado pela Univer Cidade RJ 2007, com certificação CORE360º treinamento funcional, Certificação Internacional FNS I e II em avaliação funcional, especializações em suplementação nutricional esportiva, Crosstraining - Scientific Sport, Cineantropometria aplicada, Primeiras ações em emergência, Prevenção de Doenças Laborais, Musculação, Ginástica Corretiva, Spinning (Johnny G), Técnica de Tecidos Moles - Miofacial, e Inteligência Emocional - ASICC

Deixe um comentário