Sensação de déjà vu – Possíveis causas

Especialista da área:
atualizado em 29/06/2021

Provavelmente você já teve a sensação de ter vivido algo antes, mesmo sabendo que aquilo nunca aconteceu. Saiba quais as possíveis causas da sensação de déjà vu.

  Continua Depois da Publicidade  

Essa expressão em francês significa “já visto”. Por isso, o déjà vu é uma sensação esquisita que você sente quando pensa já ter vivido uma experiência antes.

É como se você estivesse tendo uma memória de que já esteve naquele lugar ou já viveu aquela situação na sua vida. Aliás, se você anda mal de memória, não deixe de conferir como melhorar.

Um bom exemplo de déjà vu é quando você está caminhando pela primeira vez em uma trilha, mas tem a sensação de que já andou por aquele caminho anteriormente – mesmo esta sendo a sua primeira visita ao local. Estranho, não?

Mas não se assuste. Estimativas indicam que algo entre 60 e 80% da população já teve a sensação de déjà vu e que não é nada sério.

Possíveis causas de déjà vu

mulher confusa

Antes de mais nada, é preciso entender que não existe uma única explicação para o déjà vu, pois os cientistas ainda trabalham com várias teorias sobre as causas mais prováveis de déjà vu.

Assim, a ciência tenta explicar o déjà vu das seguintes formas:

1. Percepção dividida 

Essa teoria mostra que o déjà vu é apenas uma percepção dividida. Isto é, imagine que você está entrando em uma loja que acabou de inaugurar e de repente avista um amigo. 

Você provavelmente olhou brevemente o ambiente da loja e seus produtos, mas por ver seu amigo, sua atenção é totalmente voltada para ele.

Então, alguns minutos depois, seu amigo vai embora e você fica na loja. Nesse momento, você foca toda sua atenção na loja que você entrou e tem a sensação de déjà vu.

  Continua Depois da Publicidade  

O que realmente aconteceu foi que o seu cérebro começou a formar uma memória do que você viu brevemente e quando você conseguiu focar toda a sua atenção naquilo, você teve a impressão que já esteve ali antes.  

2. Falha no circuito elétrico do cérebro

Outra teoria acredita que uma falha elétrica no nosso cérebro pode causar uma certa confusão entre o presente e as memórias. Ou seja, você fica brevemente confuso e acredita que o que você está vivendo agora é na verdade uma memória de algo que você já viveu. 

Porém, os cientistas explicam que o cérebro absorve informações rapidamente para armazenar memórias de curto prazo (ou seja, do agora). Mas, quando há uma falha no circuito elétrico, uma memória de curto prazo pode parar no mesmo lugar onde estão as memórias de longo prazo. 

Por isso, você tem a sensação de que aquilo que o seu cérebro acabou de registrar aconteceu há mais tempo.

3. Processamento duplo

Mais uma teoria bem parecida com a anterior é a do processamento duplo de memórias. Quando o cérebro processa uma experiência para armazená-la na memória de curto prazo, a informação vai para o cérebro por meio de duas rotas. 

Assim, quando uma dessas rotas é mais rápida do que a outra, ocorre um atraso no registro da informação. Como resultado, quando a informação que veio da outra rota finalmente chega, você fica com a impressão de que teve um déjà vu.

4. Recuperação de memórias

Todas as nossas memórias ficam armazenadas no lobo temporal do cérebro. Aliás, é essa parte do cérebro que é responsável por ajudar a reconhecer situações familiares.

Assim, uma das teorias é que o déjà vu tem a ver com as memórias armazenadas. Ou seja, uma situação pode gerar uma espécie de gatilho que leva ao déjà vu – justamente por ser algo muito parecido com uma experiência passada.

  Continua Depois da Publicidade  

Pode ser algo muito parecido com o que você viveu na infância, por exemplo, que causa o déjà vu. 

Devo me preocupar com um déjà vu?

Geralmente, o déjà vu é apenas uma sensação passageira que pode te deixar intrigado, mas que não é motivo para preocupação.

Mas, é importante observar que algumas pessoas que sofrem crises epiléticas podem ter a sensação de déjà vu momentos antes das crises. Nesse caso, vale a pena uma avaliação médica e o uso de medicamentos para controlar as convulsões.

Além disso, em pessoas mais velhas, o déjà vu pode ser um sinal de demência. Por isso, é preciso que os familiares estejam atentos à frequência dos episódios de déjà vu e também à presença de outros sintomas que podem indicar degeneração dos neurônios.

No entanto, o mais provável é que seu déjà vu seja apenas uma sensação esquisita relacionada à memória. Dessa forma, se a sensação aparece só de vez em quando, não há com o que se preocupar. 

Porém, se a sensação de familiaridade em situações nunca antes vividas está acontecendo com frequência, procure seu médico e observe como anda a sua rotina – já que problemas na memória têm muito a ver com o estresse, o cansaço e a privação de sono, por exemplo.

Fontes e referências adicionais

E aí, você também já teve um déjà vu? Comente abaixo como foi a sensação!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Rafael Ferreira de Moraes

Dr. Rafael Moraes é Psiquiatria - CRM 52.98866-9. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy em 2013. Pós-graduado em Psiquiatria pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde atuou nos atendimentos ambulatoriais da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e Casa de Medicina da PUC-Rio. Atualmente, exerce sua especialidade em três municípios do estado do Rio de Janeiro: Teresópolis, Magé e Rio de Janeiro, capital. Dr. Rafael é a promessa da Psiquiatria atual, jovem, que preza pelo acolhimento ao paciente unido ao que há de mais recente nesta área em constante evolução. Para mais informações, entre em contato com ele em sua conta oficial no Instagram (@rafafmoraes)

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário