Anda mal da memória? Descubra como melhorar!

Especialista:
atualizado em 19/11/2020

Você abre a geladeira e não lembra o que ia pegar. Liga o celular, mas se distrai e nem recorda o que ia fazer. Encontra alguém que conhece na rua, mas não lembra o nome da pessoa. Ou então, esquece de fazer o que o chefe pediu. Está precisando melhorar a memória, hein?

É quando a nossa memória falha e nos coloca em situações embaraçosas que vemos como ela é importante. Portanto, vamos aprender o que pode ajudar a melhorar a questão:

1. Reduzir o consumo de açúcar adicionado

Doce

Estudos já mostram que quanto mais açúcar uma pessoa consome, menor é a sua massa cerebral. Ou seja, a quantidade de neurônios no cérebro diminui. Isso ocorre de modo bem significativo na região da memória.

Portanto, para quem anda com a memória ruim, vale muito a pena reduzir tanto o consumo do açúcar de mesa, quanto dos produtos industrializados e guloseimas cheinhos de açúcar. Acha isso muito difícil? Então, conheça os truques para abandonar o vício por doces e açúcar.

2. Ficar de olho na ingestão de ômega-3

O nutriente é uma gordura boa, muito importante para o cérebro. Cada neurônio é envolvido pela chamada bainha de mielina, que é uma capa de gordura. O tipo de gordura que estiver mais presente na alimentação pode alterar a composição da bainha de mielina.

Então, melhor que seja uma gordura saudável, não é mesmo? O ômega-3 é uma gordura anti-inflamatória, que ajuda a proteger o cérebro e a melhorar a memória. Conheça alimentos que contêm ômega-3.

3. Meditar para aliviar o estresse

O estresse piora a memória. Mas sabe algo sem custo e sem esforço que pode ajudar a aliviar o estresse? É a meditação. Aliás, a atividade também tem impactos interessantes para a memória e o cérebro.

A meditação aumenta a quantidade de massa cinzenta do cérebro, justamente a massa que tem uma relação com os neurônios e com boa memória.

Não sabe meditar? Você pode começar com algo simples: sentar-se em uma posição confortável, fechar os olhos para não se distrair e concentrar-se na sua respiração, enquanto expira e inspira o ar.

4. Controlar o peso

Estar acima do peso pode gerar alguma alteração genética relacionada à memória, podendo piorar a memória. O excesso de gordura é pró-inflamatório, portanto, prejudica o bom funcionamento do cérebro.

Estudos apontaram que algumas pessoas acima do peso apresentam uma menor capacidade cognitiva de reter memória. Conheça dicas simples para perder peso com saúde.

5. Dormir o suficiente

Dormir

Dormir bem é muito importante porque o sono tem um papel reparador e regenerador. Ele faz com que se acumule os aprendizados que recebeu ao longo do dia na forma de memória duradoura. Em outras palavras, o sono transforma a memória curta em memória duradoura.

Assim, é fundamental ter um sono de boa qualidade, com duração mínima de sete horas por noite. Ou seja, uma noite de sono em que se acorda muitas vezes durante a noite ou fica revirando na cama de preocupação não resolve.

Você tem tido problemas para dormir? Então, conheça dicas para dormir bem. Se nada disso resolver, procure a ajuda médica.

6. Moderar a ingestão de carboidratos refinados

O consumo excessivo de carboidratos refinados de alto índice glicêmico, como macarrão branco, pão branco, produtos de confeitaria e doces, também é problemático. Estudos mostraram que quanto mais se consome desses carboidratos, pior é a capacidade cognitiva e a memória.

Portanto, o ideal é substituir os carboidratos refinados por carboidratos mais saudáveis. Ou seja, os carboidratos complexos com menor índice glicêmico.

7. Garantir vitamina D ao organismo

Estudos indicaram que níveis muito baixos de vitamina D podem piorar a capacidade cognitiva, prejudicar a memória e o armazenamento de informações no cérebro e facilitar o desenvolvimento de alguns tipos de demência.

É possível fornecer vitamina D ao organismo por meio da exposição ao sol e do consumo de alimentos com vitamina D. Quem acha que tem níveis baixos do nutriente e precisa tomar suplemento de vitamina D, deve consultar o médico.

O profissional indicará um exame de sangue, pois é através desse teste que dá para confirmar se realmente há uma carência do nutriente. Se houver, o médico indicará o suplemento ideal, assim como a dosagem correta para o paciente.

Não tome suplementos de vitamina D sem antes consultar o médico porque o excesso de vitamina D também faz mal.

Atenção

Embora tudo isso possa impactar a memória, existem outros fatores que a prejudicam. Portanto, se nenhuma dessas dicas funcionar ou se você achar que seu problema de memória não tem relação com elas, procure a ajuda médica rapidamente.

Assim, se houver outra questão mais grave por trás dos seus problemas de memória, você já poderá começar a tratá-la de maneira eficiente.

No vídeo a seguir, a nossa nutricionista também apresenta dicas para melhorar a memória:

Gostou das dicas?

E aí, a sua memória anda falhando? Acha que isso pode ter alguma relação com a alimentação? Então, conte para nós nos comentários!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário