Telômero

Telômero – A Chave Contra o Envelhecimento?

O processo de envelhecimento é um dos grandes desafios da saúde pública, considerando que uma boa parcela da população é composta por idosos. No Brasil, os índices de aumento da população idosa são maiores do que os índices de aumento da população como um todo. Durante muitos anos, a ciência buscou respostas sobre como ocorria o processo de envelhecimento no corpo humano e como era possível retardar esse processo inevitável.

Na busca incessante por tratamentos, produtos cosméticos e novas tecnologias que pudessem auxiliar no prolongamento da vida de forma saudável, pesquisadores encontraram novas respostas dentro do DNA (ácido desoxirribonucleico) sobre este processo tão complexo que é o envelhecimento.

Vamos entender o que é o telômero e conhecer mais sobre esta estrutura que pode ser a chave contra o envelhecimento do organismo.

O que é um telômero?

Na década de 30, os cientistas Barbara McClintock e Hermann Muller reconheceram pela primeira vez que os cromossomos terminavam com um pequeno pedaço diferente, chamado de telômero. Em 1961, outro pesquisador, Leonard Hayflick verificou que as células humanas são capazes de apenas um número limitado de divisões em cultura e conseguiu verificar o papel dos telômeros neste processo de divisão.

Os telômeros são estruturas de proteínas e DNA que estão situadas nas extremidades dos cromossomos. Estas estruturas são compostas por sequências bastante simples e são caracterizadas por regiões de heterocromatina, ou seja, regiões de sequências de bases não codificantes e que estão inativas. O telômero tem a função de manter a integridade dos cromossomos, garantir a replicação completa das extremidades dos mesmos e também estabelecer a estrutura tridimensional do núcleo celular.

O telômero tem como principal função impedir o desgaste do material genético. Cada vez que ocorre a divisão celular, estas estruturas são ligeiramente reduzidas. Como esta parte não se regenera, depois de algumas divisões, os telômeros não permitem mais a correta replicação dos cromossomos e a célula irá perder a sua capacidade de divisão de forma completa ou parcial. O encurtamento destas estruturas também pode causar a eliminação de certos genes que são considerados indispensáveis à sobrevivência da célula ou até mesmo inativar genes próximos.

Em função da sua grande participação do processo de proteção e de duplicação do DNA, o telômero passou a ser considerado a grande descoberta para evitar o processo de envelhecimento e também a chave para uma vida mais longa e saudável. A relação entre envelhecimento e o encurtamento dos telômeros está cada vez mais clara em inúmeras pesquisas, mostrando que esta estrutura protege o organismo contra divisões sem controle, como acontece nos casos de tumores.

As células somáticas, que são aquelas encontradas em maior número no organismo, são as responsáveis pelo crescimento do corpo, pela reposição dos tecidos e também pela realização das funções do metabolismo como um todo. Nestas células, ocorre a perda de telômeros com o passar do tempo, devido à replicação celular, causando, assim, o envelhecimento do corpo humano.

Já nas células germinativas, que são células em menor quantidade no organismo, presentes nos testículos e nos ovários, e que dão origem aos gametas femininos e masculinos, não ocorre o encurtamento do telômero, pois estas células possuem uma enzima chamada de telomerase. Esta enzima não está presente nas células somáticas e ela tem a capacidade de produzir telômeros a partir de um molde de RNA (ácido ribonucleico). As células trono também possuem a enzima telomerase.

Por que o telômero pode afetar o envelhecimento?

O aumento da longevidade da população mundial e a redução da fertilidade estão aumentando o número de pessoas mais velhas na sociedade. Projeções realizadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) indicam que em 2050 haverá cerca de 2 bilhões de pessoas com 60 anos ou mais no planeta, totalizando cerca de 22% da população. Isto é um aumento considerável, pois em 2005 este número era de 670 milhões de pessoas, ou seja, 10% da população.

As doenças relacionadas ao envelhecimento estão mais comuns e, por este motivo, houve um aumento grande no número de pesquisas nesta área com o objetivo de buscar uma compreensão maior sobre as causas deste processo no organismo. Diversos estudos atuam para desvendar os mecanismos celulares e moleculares envolvidos no processo de envelhecimento, incluindo pesquisas que, através da alteração de alguns genes, já puderam comprovar o aumento da longevidade em algumas espécies estudadas. Em muitas destas pesquisas, foi possível identificar o papel crucial do telômero neste processo.

Conforme os telômeros vão sendo encurtados ao longo da vida através da divisão celular e como estes não podem ser recuperados nas células do corpo, eles vão perdendo sua funcionalidade. Quando isto acontece, ocorre o processo de envelhecimento, pois as células contendo telômeros muito curtos acabam morrendo ou ficam mais vulneráveis a qualquer tipo de instabilidade genética. Esta perda de células é clara quando se verifica o tecido de uma pessoa mais velha, onde há uma grande perda celular.

O processo de envelhecimento é um novo desafio para a saúde pública e também um fator de risco para o desenvolvimento de muitas doenças, entre elas o câncer, devido às alterações funcionais no organismo.

Durante o processo de envelhecimento, ocorre uma queda imunológica grande, além do desenvolvimento de alterações morfológicas celulares determinantes de irregularidade nuclear como nas alterações dos telômeros e na síntese de telomerase.

A bióloga Elizabeth Blackburn foi uma das ganhadoras do Prêmio Nobel de fisiologia e medicina no ano de 2009 em função das suas descobertas sobre a ação dos telômeros no organismo e a sua relação com o envelhecimento. Ela comparou esta estrutura à ponta de metal ou plástico que é colocada no final do cadarço, dizendo que sem esta peça fundamental o cadarço iria se desgastar mais rapidamente. Logo, a presença do telômero no final da fita de DNA irá ter a mesma função, evitar o desgaste do DNA, criando uma pequena proteção.

Como manter a vida do telômero?

Muitas pessoas perguntam o que deve ser feito para aumentar o tempo de vida destas estruturas dentro das células. Pesquisadores afirmam que mudanças no estilo de vida podem ajudar a manter estas estruturas, através da adoção de uma alimentação saudável e também com a adequada prática de exercícios.

Muitos estudos mostram que o surgimento de diversas doenças na sociedade como a diabetes, as doenças cardiovasculares, os diversos tipos de câncer e alguns problemas neurológicos podem estar associados ao desgaste destas estruturas.

O processo de desgaste irá variar de acordo com cada indivíduo, já que algumas pessoas são mais resistentes a situações de estresse. À medida que os telômeros vão se encurtando, o organismo irá ficar mais propenso a desenvolver determinadas doenças.

Algumas dicas dadas pela pesquisadora incluem dormir corretamente e pelo menos sete horas por noite, criar uma rotina leves de exercícios e com frequência, diminuir o consumo de açúcar na alimentação, adotar uma dieta rica em alimentos saudáveis e completos em nutrientes, além de criar um hábito de ter um momento de relaxamento ao longo do dia.

Conclusão

O telômero é uma estrutura de proteína e DNA que está situada nas extremidades dos cromossomos e que tem como principal função impedir o desgaste do material genético. Cada vez que ocorre a divisão celular, estas estruturas são ligeiramente reduzidas, participando do processo de proteção e de duplicação do DNA.

Assim, o telômero passou a ser considerado fundamental para evitar o processo de envelhecimento e também a chave para uma vida mais longa e saudável. A relação entre envelhecimento e o encurtamento dos telômeros está cada vez mais clara em inúmeras pesquisas, mostrando que esta estrutura protege o organismo contra divisões sem controle, como acontece nos casos de tumores. 

Referências adicionais:

Você já tinha ouvido falar da relação entre o telômero e o envelhecimento? Pretende seguir as dicas dadas acima para retardar o desgaste dessas estruturas? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*