Óleo de peixe

Vale Mais a Pena Tomar Suplementos de Ômega 3 ou Comer Peixes?

Médicos e autoridades ligadas à saúde têm recomendado há anos o consumo de mais peixe, já que as gorduras saudáveis presentes nestes animais – principalmente as da família do ômega-3 – tendem a diminuir o risco de ataques cardíacos e outros problemas cardíacos.

Mas ultimamente, houve uma confusão sobre se os benefícios dos ácidos graxos ômega-3 advindos tanto de alimentos quanto de suplementos realmente elevam a saúde do coração e diminuem os riscos de doença cardíaca.

Por exemplo, alguns estudos sugerem que os suplementos de óleo de peixe, que contêm os ingredientes ativos ácido eicosapentaenóico (EPA) e ácido docosahexaenóicos (DHA), não podem diminuir o risco ataque cardíaco, apesar de poderem levar a menos ataques fatais.

Em um estudo publicado na Mayo Clinic Proceedings, pesquisadores que analisaram 34 estudos sobre o consumo de EPA e DHA por alimentos e suplementos, bem como o risco de doença cardíaca, encontraram evidências dos benefícios dos ácidos graxos ômega-3 na redução de problemas cardíacos.

Há uma ressalva, no entanto: o estudo foi financiado pela Organização Mundial para a EPA e DHA Omega-3 (GOED), um grupo de fabricantes e comerciantes de produtos de óleo de peixe. De acordo com os autores do estudo, a GOED não influenciou na concepção ou interpretação dos resultados do estudo.

A análise incluiu ensaios clínicos em que participantes foram aleatoriamente designados a tomar ômega-3 ou não e o acompanhamento de seus resultados de doença cardíaca, bem como estudos populacionais que procuraram as tendências entre as pessoas que consomem peixes ou tomam suplementos de ômega-3 e aqueles que não, durante períodos mais longos de tempo.

Em geral, aqueles que consomem mais óleo de peixe nos estudos populacionais reduziram seu risco de doença cardíaca em 18%.

Entre os participantes dos ensaios clínicos, aqueles com maior risco de desenvolver doença cardíaca pareciam se beneficiar mais com o óleo de peixe. Em pessoas com níveis elevados de triglicerídeos, o risco de doença coronariana caiu 16%, e 14% em pessoas com colesterol LDL alto.

Enquanto os resultados sugerem que EPA e DHA podem ajudar a reduzir o risco de doenças cardíacas, os especialistas apontam que os estudos populacionais podem ser tendenciosos em direção a encontrar benefícios, uma vez que as pessoas que tomam suplementos ácidos graxos ômega-3 também podem ter hábitos mais saudáveis como se exercitar regularmente e comer dietas saudáveis, evitando alimentos com alto teor de sódio, por exemplo.

Os ensaios clínicos em curso que analisam o efeito dos suplementos de ômega-3 sobre o risco de doença cardíaca – tendo em conta os efeitos potenciais dos exercício e da dieta – podem fornecer uma resposta mais definitiva sobre o consumo dos suplementos de ácidos graxos ômega 3.

Até então, os especialistas dizem que é melhor ficar com as fontes naturais, comendo pelo menos duas porções de salmão, atum ou outros peixes ricos em ômega 3 por semana.

Você tem o costume de consumir estes peixes quantas vezes por semana? Prefere consumi-los ou tomar os suplementos de ômega 3? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 3,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Um comentário

  1. Eu prefiro comer o peixe so que os peixes no Brasil não tem ômega três pq são criados em cativeiros,pelo aumenos foi oque ouvi médicos falarem,se estiver errada me corrige pf.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*