Xefo Engorda? Para Que Serve, Como Tomar e Efeitos Colaterais

Especialista:
atualizado em 04/12/2019

Você já ouviu falar de um medicamento chamado Xefo? Sabe dizer para que serve esse remédio? Pois bem, de acordo com informações da bula disponibilizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ele é um medicamento anti-inflamatório não hormonal e antirreumático.

Segundo o documento, ele é indicado para o tratamento da dor lombar aguda e crônica, da dor pós-operatória e da dor e inflamação nas articulações, o que envolve os quadros de doenças como artrite  reumatoide e osteoartrite.

A sua comercialização é permitida somente mediante a apresentação da receita médica.

Xefo engorda? 

Para entendermos se Xefo engorda ou não, precisamos recorres primeiramente às informações contidas em sua bula. E, de acordo com o documento, não podemos afirmar que isso acontece, pelo menos não de maneira direta, já que a parte que lista os efeitos colaterais do medicamento não menciona nada como aumento ou ganho de peso ou elevação do apetite.

O que aparece entre as reações adversas comuns, ou seja, observadas entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam o medicamento, são o inchaço e a retenção de líquido, uma condição conhecida por provocar o inchaço.

Quando o corpo fica inchado, ele aparenta ser mais cheinho e pode ter-se a impressão do aumento de peso. Mas isso não significa que houve uma elevação da gordura no corpo. Além disso, o que a bula indica é que esses efeitos não são observados por todos – somente por uma parcela dos usuários.

Assim, o que podemos afirmar não é que Xefo engorda, mas que pode deixar o corpo inchado. Porém, caso você perceba que ganhou peso ao utilizar o medicamento, procure o médico responsável pelo seu tratamento para que ele determine se é apenas ou inchaço ou houve mesmo o ganho de peso, o que pode ter causado o problema e como proceder para lidar com isso.

Efeitos colaterais de Xefo

De acordo com a bula disponibilizada pela Anvisa, o medicamento pode provocar os seguintes efeitos colaterais:

  • Pequeno aumento do risco de ataque cardíaco ou derrame cerebral, que é mais alto com doses maiores e tratamentos prolongados;
  • Dificuldade de engravidar;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Fadiga;
  • Distúrbios visuais como visão turva, visão alterada de cores, campo visual defeituoso, pontos pretos no campo de visão, redução da visão, visão dupla, inflamação da iris e inflamação do nervo visual;
  • Dor de cabeça leve e transitória;
  • Zumbido
  • Retenção de líquido;
  • Inchaço;
  • Náusea;
  • Dor abdominal;
  • Indigestão;
  • Estomatite – inflamação na boca;
  • Diarreia;
  • Vômitos, inclusive com sangue;
  • Insônia;
  • Depressão;
  • Nervosismo;
  • Vertigem;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Dor no peito;
  • Hipertensão;
  • Vasculite – inflamação da parede vascular;
  • Ataque de asma;
  • Prisão de ventre;
  • Flatulência;
  • Gastrite;
  • Úlcera gástrica;
  • Úlcera duodenal;
  • Úlcera na boca;
  • Alteração significativa de exames do fígado;
  • Erupção cutânea (rash);
  • Coceira;
  • Eritema – vermelhidão na pele;
  • Sensibilidade à luz;
  • Dor nas articulações;
  • Indisposição;
  • Febre;
  • Meningite asséptica – meningite provocada por vírus, principalmente em pacientes com doença autoimune como lúpus eritematoso sistêmico;
  • Torcicolo;
  • Desorientação;
  • Anemia hemolítica (destruição anormal de glóbulos vermelhos) e aplástica (diminuição na produção de células do sangue);
  • Redução na contagem de células sanguíneas;
  • Arrepios;
  • Anafilaxia;
  • Broncoespasmo – dificuldade de respirar por conta da contração dos brônquios;
  • Reação anafilactoide;
  • Hiponatremia – diminuição dos níveis de sódio;
  • Confusão;
  • Incapacidade de concentração;
  • Disfunção cognitiva;
  • Alucinações;
  • Parestesia – sensação de formigamento;
  • Sensação anormal de gosto;
  • Tremor;
  • Enxaqueca;
  • Distúrbio de atenção;
  • Hipercinesia – movimentos anormais excessivos;
  • Hipoestesia – diminuição da sensibilidade ao toque;
  • Fezes pretas;
  • Inflamação do esôfago – esofagite;
  • Refluxo gastroesofageal;
  • Dificuldade em engolir;
  • Úlcera péptica;
  • Sangramento gastrintestinal;
  • Sangramento da gengiva;
  • Hemorroidas;
  • Inflamação na pele;
  • Transtorno da pele;
  • Rash com pequenas manchas e caroços;
  • Urticária;
  • Hiperidrose – transpiração excessiva;
  • Dor óssea;
  • Dor nas costas;
  • Cãibra muscular;
  • Fraqueza muscular;
  • Sinovite – inflamação do tecido de revestimento articular;
  • Insuficiência renal em pacientes não dependentes da prostaglandina renal para manter o fluxo renal;
  • Síndrome nefrótica – doença severa nos rins com liberação de proteína na urina;
  • Nefrite intersticial – inflamação dos rins;
  • Necrose papilar – doença nos rins com morte de tecido;
  • Nefropatia membranosa – doença nos rins;
  • Fraqueza;
  • Rinite;
  • Tosse;
  • Reações severas no fígado, como icterícia e casos fatais de hepatite;
  • Eczema – inflamação aguda ou crônica da pele;
  • Alterações na pele;
  • Psoríase – doença inflamatória da pele;
  • Púrpura – pequenas manchas vermelhas na pele;
  • Doenças severas na pele, como eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica;
  • Perda de cabelo.

A bula informa que se o usuário experimentar qualquer sintoma abdominal não usual como sangramento abdominal, reações na pele como rash cutâneo (ferida na pele), lesão na mucosa ou outros sinais de hipersensibilidade/reação alérgica, ele deve parar de usar o remédio e buscar imediatamente a ajuda de seu médico.

A mesma orientação serve para os casos em que o paciente experimentar falta de ar, dor no peito, inchaço, aumento do inchaço no tornozelo, dor estomacal severa ou contínua, fezes pretas, amarelamento da pele e dos olhos (icterícia), síndrome de Stevens-Johnson (febre, erupção de bolhas ou inflamação especialmente nos pés, nas mãos e na área da boca) e, excepcionalmente, infecção séria da pele em casos que ele tiver varicela.

No mesmo sentido, o documento alerta que ao sofrer outras reações indesejáveis com Xefo, o paciente deve procurar rapidamente o médico responsável pelo seu tratamento para saber como proceder.

Contraindicações e cuidados com Xefo

O remédio não pode ser utilizado por pessoas que sofrem com hipersensibilidade ao lornoxicam ou qualquer um dos componentes da fórmula do medicamento e que sejam hipersensíveis, apresentando sintomas como asma, rinite, angioedema (inchaço na camada mais profunda da pele), ou urticária, a remédios anti-inflamatórios não esteroides, inclusive o ácido acetilsaicílico.

Quem sofre com hemorragia gastrintestinal, hemorragia cerebrovascular (derrame hemorrágico) e outras doenças hemorrágicas também não deve fazer uso do medicamento. Xefo está contraindicado ainda para as pessoas com histórico de hemorragia gastrintestinal ou perfuração associada a um uso anterior de anti-inflamatório não esteroide.

Crianças e adolescentes com menos de 18 anos de idade e mulheres que se encontrem nos últimos três meses da gestação não devem usar Xefo. O mesmo serve para as que estejam nos primeiros seis meses de gravidez ou em período de amamentação, a não ser que haja orientação médica.

Pessoas com úlcera péptica ou histórico de úlcera péptica recorrente e indivíduos com trombocitopenia (diminuição do número de elementos no sangue, ligados à coagulação sanguínea) são outros grupos que não podem utilizar o remédio.

Pacientes com insuficiência renal, histórico de hipertensão e/ou insuficiência cardíaca com retenção de líquido e edema (inchaço), colite ulcerativa (inflamação do cólon intestinal) ou doença de Chron (condição inflamatória intestinal) exigem cuidados especiais ao serem tratados com Xefo e o uso do medicamento só deve acontecer depois de uma avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios, feita pelo médico.

Os usuários que sofrem com desordem da coagulação sanguínea, são idosos, têm insuficiência hepática ou que farão um tratamento com o remédio por mais de três meses precisam ser monitorados pelo médico por meio de testes laboratoriais frequentes.

Quem tem ou já teve asma brônquica deve informar ao seu médico a respeito disso ao receber a indicação do medicamento. A mesma recomendação serve para quem sofre com intolerância a alguns açúcares.

As pessoas com problemas cardíacos, derrame anterior ou condições que podem levar a esses problemas – como hipertensão, diabetes, colesterol alto ou o fato de ser fumante – também devem relatar a questão ao médico para que o tratamento com Xefo seja discutido.

Aconselha-se evitar o remédio durante um quadro de varicela e, como ele pode comprometer a fertilidade, mulheres que estejam tentando engravidar ou tenham problemas para engravidar devem informar o médico sobre a situação ao receberem a prescrição de Xefo.

Os usuários que experimentarem efeitos colaterais como tontura, sonolência, distúrbios visuais e fadiga ao usar o remédio não podem dirigir veículos ou operar máquinas.

Caso o paciente esteja fazendo tratamento com qualquer outro tipo de substância ou medicamento, ele também deve informar o médico a respeito disso para que o profissional verifique se existem riscos de interações.

As informações são da bula disponibilizada pela Anvisa.

Como tomar – Posologia 

Antes de tudo, quem deve definir a dosagem do medicamento, a duração do tratamento e quantas vezes ele deve ser tomado por dia é o médico. A automedicação traz sérios riscos e, como esclarece a bula de Xefo trazida pela Anvisa, doses maiores e períodos mais prolongados do tratamento elevam o pequeno aumento risco de ataque cardíaco e infarto miocárdio que o remédio pode trazer.

Assim, nada de tomar uma dosagem mais alta do que a recomendada pelo médico ou por um tempo maior.

A bula ainda alerta que o remédio deve ser tomado acompanhado de um copo de água antes, durante ou depois das refeições, conforme orientado pelo médico. Entretanto, o documento também afirma que o uso do medicamento concomitante ao consumo de alimentos pode fazer com que a absorção do remédio seja diminuída.

De acordo com a bula, a dose costuma ser de 8 mg até, no máximo, 16 mg, divididas em duas doses ao dia, porém, você não deve “escolher” sua dosagem, mas tomar de acordo com o que o seu médico determinou.

Nos casos em que houver o esquecimento de tomar o remédio, o documente determina que não deve ser tomada uma dose dupla para compensar o comprimido que foi esquecido.

Preço de Xefo

É possível encontrar o medicamento à venda por uma faixa de preço que vai de R$ 23,90 até R$ 30,82 – no caso da embalagem com 30 comprimidos revestidos – ou de R$ 15,97 até R$ 20,60 – se for a embalagem com 20 comprimidos revestidos.

Entretanto, tenha em mente que você ainda pode encontrar valores diferentes, de acordo com o estabelecimento e a cidade na qual o medicamento for adquirido.

Você já tinha ouvido falar que o medicamento Xefo engorda? Tem receio de tomá-lo por conta desses efeitos colaterais? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (18 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário