Corticoide Engorda? Efeitos Colaterais e Dicas

Especialista:
atualizado em 12/02/2019

Também conhecido como corticosteroide, o corticoide é um medicamento derivado do hormônio cortisol, um tipo de hormônio produzido naturalmente pelo nosso corpo. Os medicamentos corticoides são em geral utilizados no tratamento de alergias, inflamações crônicas, lesões esportivas e também para suprimir o sistema imunológico.

Embora seja muito útil para tratar condições médicas graves, o uso de medicamento corticoide por períodos prolongados costuma estar associado a alguns efeitos colaterais. Acne, calvície e dificuldade para dormir são alguns deles.

E além desses efeitos colaterais, será que corticoide engorda? Primeiramente, vamos entender como atuam os medicamentos corticoides.

O que é corticoide?

Atualmente, os medicamentos corticoides à venda são versões sintéticas do hormônio cortisol, mas atuam no organismo de maneira semelhante ao hormônio natural, só que com uma potência maior.

O cortisol também é conhecido como o “hormônio do estresse”, e é secretado pelas glândulas suprarrenais (ou adrenais). Em termos evolutivos, o cortisol sempre foi um hormônio essencial para a sobrevivência humana, pois permitia que nosso corpo estivesse pronto para reagir a situações estressantes, como o ataque de um animal, por exemplo.

Além de atuar na nossa resposta ao estresse, o cortisol também é responsável por regular nosso metabolismo, a nossa função imune e também por reduzir inflamações.

Como o corticoide sintético exerce no nosso corpo a mesma função do hormônio natural, ele também oferece os mesmos efeitos colaterais do cortisol, os quais veremos logo mais.

Tipos

Existe atualmente disponível uma grande quantidade de corticoides sintéticos, sendo os mais comuns a cortisona, hidrocortisona, prednisona, prednisolona, betametasona, dexametasona.

Com a exceção da hidrocortisona, todos os demais corticoides sintéticos são mais potentes que o cortisol naturalmente produzido pelo nosso corpo. Enquanto a prednisolona é de 4 a 5 vezes mais potente que o cortisol, a betametasona chega a ser até 30 vezes mais eficiente que nosso hormônio natural.

Os medicamentos corticoides podem ser apresentados na forma de comprimidos, pomadas, colírios, cremes e também sob a forma de injeção ou inalação. Seu uso pode ser tópico, oral, intramuscular, inalatório ou intravenoso.

Principais indicações para uso de corticoide

Devido à sua grande capacidade anti-inflamatória, o corticoide pode ser utilizado para evitar ou tratar processos inflamatórios graves, como algumas lesões esportivas (fraturas e tendinites, por exemplo).

Além disso, sua atuação no sistema imunológico também permite que o corticoide seja utilizado para combater doenças autoimunes.

Condições que podem necessitar do uso de corticoide:

  • Asma;
  • Lúpus;
  • Enfisema e bronquite crônica;
  • Alergias;
  • Artrite reumatoide;
  • Psoríase;
  • Gota;
  • Eczema;
  • Esclerose múltipla.

Quem está com deficiência na produção de cortisol pela glândula suprarrenal também pode receber uma indicação médica para utilizar corticoide a fim de restaurar os níveis normais do hormônio.

Corticoide Engorda?

Infelizmente, sim, o uso prolongado de corticoide engorda, sobretudo em doses maiores. E isso ocorre principalmente por cinco motivos:

– Acúmulo de gordura

Em situações de estresse, nosso corpo entende que estamos passando por um período difícil, e que talvez não tenhamos novamente alimento disponível para nos fornecer energia. O cortisol liberado nessas situações é responsável então por acumular gordura, para garantir que não falte energia para nossas funções. Dessa maneira, na presença de cortisol nosso metabolismo diminui e passamos a acumular quase tudo que comemos sob a forma de gordura.

Quando passamos a fazer uso de corticoide em maiores quantidades, como é o caso na utilização de medicamentos corticoides, nosso organismo passa a reagir da mesma maneira, aumentando nosso estoque de gordura e alterando sua distribuição pelo nosso corpo. 

– Aumento das taxas de açúcar no sangue

O corticoide tem a capacidade de elevar os níveis de glicose no sangue, o que pode alterar o apetite. Quando as taxas de glicose no sangue estão altas, há uma maior liberação de insulina, que por sua vez retira rapidamente todo o excesso de açúcar em circulação. Quando há um excesso de insulina e não há mais açúcar para ser enviado para as células, o cérebro recebe uma mensagem para comer mais, para que a insulina possa trabalhar. Na prática, isso significa mais fome, e mais fome= mais comida=mais peso.

– Aumento da insulina

A insulina é um hormônio secretado pelo pâncreas, e sua principal função é tirar o açúcar do sangue e “jogar” para dentro das células, onde ele se transformará em energia. O excesso de energia que não for utilizado pelas células será estocado, principalmente, na forma de gordura. E quanto mais insulina houver, maior será o acúmulo de gordura.

Ou seja, o corticoide engorda também por aumentar a liberação de insulina, que por sua vez passa a estocar mais gordura. Outro efeito colateral da insulina é bloquear a sinalização da leptina, o hormônio que avisa para o cérebro que já estamos satisfeitos após uma refeição. Quando o cérebro não recebe corretamente o sinal da leptina, você demora a se sentir saciado e continua comendo.

– Retenção de líquidos

O corticoide está envolvido no mecanismo de regulação de água, sódio e outros eletrólitos em nosso corpo, e por isso o uso prolongado de medicamentos à base de corticoides pode causar retenção de líquidos.

Segundo uma pesquisa divulgada pela Universidade da Califórnia, o uso de corticoide engorda se em grande parte por causa da retenção de líquidos e aumento no consumo de calorias.

Fatores que influenciam

Além do ganho de peso, pode haver outros efeitos colaterais do corticoide associados ao seu uso contínuo. O aparecimento ou intensidade desses efeitos estão relacionados com:

  • Tipo de medicamento: os corticoides ministrados por via oral são mais propensos a causar efeitos colaterais do que aqueles aplicados através de injeções ou inalação;
  • Dosagem: Quanto mais forte for a dose recomendada pelo médico, maior será a probabilidade de aparecerem efeitos colaterais;
  • Duração do tratamento: Em geral, os efeitos colaterais do corticoide agravam-se quando a utilização é contínua e prolongada. O uso esporádico (para tratar crises agudas, por exemplo) oferece menos riscos de efeitos colaterais.

Principais efeitos colaterais do corticoide:

  • Aumento da pressão arterial;
  • Osteoporose;
  • Insuficiência da glândula adrenal;
  • Catarata;
  • Úlcera;
  • Distúrbios de humor;
  • Hiperglicemia;
  • Maior risco de infecções;
  • Insônia;
  • Acne;
  • Síndrome de Cushing (condição que altera a redistribuição de gordura no rosto);
  • Fraqueza muscular.

E embora os corticoides inaláveis costumem ser mais bem tolerados pelo organismo que os outros tipos, seu uso prolongado pode causar infecção por fungos, conhecida popularmente como “sapinho”.

Dicas para evitar os efeitos colaterais

Embora não seja possível evitar todos os efeitos colaterais do corticoide, a boa notícia é que é possível minimizar alguns deles, como o ganho de peso. Veja como:

– Preste atenção na sua fome

Nós já vimos que o corticoide engorda principalmente porque aumenta o apetite, fazendo com que você consuma mais calorias que o normal. Agora que você já sabe disso, comece a prestar atenção no seu apetite e tente fazer escolhas mais conscientes à mesa. Uma dica é evitar alimentos calóricos e pouco nutritivos, como é o caso dos doces e carboidratos refinados.

Dê preferência a alimentos que vão manter você saciado por mais tempo e que são menos calóricos (legumes, frutas, proteína magra).

– Faça atividade física

Como o uso de corticoide engorda ao alterar o metabolismo e aumentar o apetite, é importante você se mexer mais para evitar o ganho de peso. Pode ser caminhada, natação, bicicleta, ioga. Pode ser qualquer atividade, mesmo que seja leve, pois fazer algo é melhor que não fazer nada.

Talvez você tenha precisado fazer uso do corticoide exatamente devido a uma inflamação causada durante a prática de exercícios. Mesmo que esse seja seu caso, tente encontrar outra atividade que não cause impacto à área lesionada, ou que você possa fazer sem maiores riscos à saúde.

Converse com seu médico sobre quais atividades estão liberadas para você.

– Diminua o inchaço

Uma alimentação com pouco sódio e bastante potássio pode ajudar você a diminuir a retenção de líquidos causada pelo uso de corticoide. Tente limitar seu consumo de sódio a no máximo dois gramas por dia, incluindo o sal que já vem junto com alguns alimentos industrializados.

Para obter mais potássio na sua dieta, consuma mais verduras escuras, abóbora, feijão branco, abacate e cogumelos.

– Consuma mais cálcio

É importante aumentar o consumo de cálcio durante um tratamento longo com corticoide, pois ele causa perda de massa óssea. Inclua mais laticínios magros, nozes, sardinha e algas marinhas na sua dieta, a fim de combater o efeito colateral do corticoide sobre os ossos.

– Relaxe

O corticoide pode causar insônia, então é importante você incorporar atividades que te ajudem a se acalmar e também dormir melhor à noite. Alongamento, caminhada moderada, yoga e meditação são alguns exemplos de atividades que acalmam e podem contribuir para uma melhor noite de sono.

E, além de melhorar o sono, essas atividades ajudam a diminuir a ansiedade e podem contribuir para um melhor controle do apetite.

Se você normalmente já apresenta dificuldade para dormir, converse com seu médico sobre a possibilidade de fazer uso do medicamento corticoide na parte da manhã.

Considerações finais

Não é porque você sabe que o corticoide engorda que isso te permite colocar toda a culpa no remédio e lavar as mãos de responsabilidades pessoais e começar a comer de tudo. O que você deve fazer é estar consciente de suas atitudes e procurar modificá-las se você não quer ganhar peso enquanto está utilizando corticoide.

Mantenha um diário com tudo que você come ou bebe durante o dia, pois assim ficará mais fácil identificar exageros. Tente se alimentar a cada três horas, para evitar comer demais na próxima refeição. E cada vez que sentir fome e souber que ela está exagerada, respire fundo, beba um copo de água e vá se distrair fazendo outra coisa. Se a fome for incontrolável, opte por uma fruta ou salada. Se você não quiser nenhum dos dois, então provavelmente não é fome.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já fez o uso de um medicamento desses, e atestou durante o uso que realmente o corticoide engorda? Quanto foi o seu ganho de peso, e como você lidou com isso? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (169 votos, média: 3,96 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário