5 Sintomas de Gastrite Nervosa e Melhor Tratamento

As dores de estômago são bastante comuns para muitas pessoas, assim como as dores de cabeça, e estas nem sempre causam tanta preocupação, parecendo ser problemas corriqueiros.

Muitos médicos avisam que a dor no estômago é um sinal de alerta do organismo e que os pacientes devem buscar ajuda para que seja feito um diagnóstico preciso, podendo ser um indicativo de um problema mais grave ou uma doença como a úlcera ou a gastrite.

Vamos conhecer os 5 principais sintomas de gastrite nervosa, entender o que é este problema e qual é o melhor tratamento para ele?

O que é a gastrite nervosa? 

A gastrite é um problema caracterizado por uma inflamação que ocorre nas paredes do estômago, sendo dividida em gastrite aguda e crônica. A gastrite pode ser gerada por diversas causas, como o uso constante de medicamentos anti-inflamatórios, antibióticos e de aspirinas que podem irritar a mucosa estomacal, o excesso de ingestão de álcool, que diminui a barreira da mucosa do estômago, os hábitos alimentares ruins, como jejuns prolongados ou refeições muito rápidas, a gastrite autoimune, além de uma possível infecção pela bactéria Heliobacter pylori.

Além destes fatores, os aspectos emocionais e psicológicos, entre eles o aumento expressivo da ansiedade e do estresse, também podem contribuir para a formação de lesões na mucosa gástrica, devido às mudanças na produção da secreção ácida. Neste caso, ocorre o desenvolvimento da gastrite nervosa, também conhecida como dispepsia funcional e que, apesar de não causar uma inflamação no estômago como a gastrite tradicional, ela também promove os mesmos sintomas.

O estômago é repleto de células secretoras de muco e estas revestem toda a superfície do mesmo. Existem dois tipos de glândulas na mucosa estomacal que são responsáveis pela liberação de ácido clorídrico: as glândulas oxínticas e as glândulas pilóricas. Este sistema, por sua vez, é formado por diversos neurônios que estão diretamente conectados ao sistema nervoso central e, por este motivo, quando ocorrem grandes mudanças emocionais, existem interferências na estimulação destas glândulas secretoras de muco do estômago.

Na gastrite nervosa, há uma estimulação das glândulas devido aos problemas emocionais e estas aumentam a síntese de ácido, acidificando de forma drástica toda a mucosa interna do estômago e causando grandes danos internos. Com o aumento dos índices de ansiedade, nervosismo e estresse, também houve um aumento expressivo de pacientes com gastrite nervosa. Este tipo de gastrite é bastante comum e seu tratamento é simples e feito com mudanças nos hábitos alimentares, uso de medicamentos, além de um trabalho no controle emocional.

Quais os sintomas de gastrite nervosa?

Os sintomas de gastrite nervosa são bastante parecidos com os sintomas da gastrite tradicional. Estes podem surgir a qualquer momento, mas são mais intensos nos períodos em que ocorre um aumento dos níveis de estresse ou ansiedade.

Os principais sintomas são dor ou queimação no estômago em região epigástrica (na boca do estômago), sensação de estômago cheio mesmo quando se come pouco, presença de náuseas, enjoos e vômitos, azia, perda de apetite, má digestão, entre outros.

Na presença de um ou mais destes, é importante que se busque a orientação de um médico para se realizar o correto diagnóstico, já que os sintomas de gastrite nervosa também são parecidos com os sintomas de outros tipos de gastrite e de outras doenças. A endoscopia é o principal exame realizado para diagnosticar tanto os problemas de gastrite quanto os problemas de úlceras.

Veja, a seguir, detalhados alguns dos sintomas de gastrite nervosa mais comuns:

1. Dores abdominais

Pessoas com gastrite normalmente apresentam muitas dores agudas e recorrentes na região da parte de cima do estômago, podendo apresentar certa queimação. As pessoas com gastrite nervosa também sofrem com desconforto na hora das refeições, inchaço estomacal e sensação de estufamento, principalmente após comer.

2. Sensação de mal-estar

Entre os muitos sintomas de gastrite nervosa, está a sensação de mal-estar, incluindo as náuseas, vômitos, gases, além de muitos soluços e arrotos. Em função destes sintomas, muitos dos pacientes acabam perdendo o apetite e não se alimentando corretamente.

3. Alterações intestinais

A gastrite pode gerar sintomas de alteração nos movimentos intestinais e na aparência das fezes, que podem ficar mais escuras do que o normal. Algumas pessoas podem ter constipação ou mesmo quadros de diarreia.

4. Alterações emocionais

Um dos principais causadores da gastrite nervosa é o estresse que pode causar o aumento da produção de ácido no estômago. Com o aumento das lesões na parede estomacal, pode ocorre um quadro de má absorção de nutrientes, gerando diversos outros sintomas e também provocando cansaço, fadiga, inquietação, nervosismo, ansiedade, entre muitos outros.

5. Perda de peso

Os sintomas de mal estar causados pela gastrite nervosa como enjoos, vômitos e náuseas deixam o paciente com apetite menor e isto pode acarretar na redução de peso. Quando ocorrem alterações intestinais consideráveis, esta perda de peso pode ser ainda maior.

Como é realizado o tratamento da gastrite nervosa?

O tratamento da gastrite nervosa é simples, recomendando-se primeiramente o uso de medicamentos antiácidos para auxiliar na redução dos sintomas, entre eles o Pepsamar, ou medicamentos que ajudem na redução da produção de acidez do estômago, como os medicamentos Omeprazol ou Pantoprazol.

É sempre importante lembrar que nunca se deve fazer uso de remédios sem a orientação ou recomendação de um médico, pois estes podem piorar o problema se mal utilizados.

Em geral, o uso de medicamentos é feito somente para aliviar os sintomas de gastrite nervosa, pois o seu uso prolongado não é recomendado. Desta forma, é importante que sejam utilizados recursos para tratar os aspectos psicológicos e emocionais envolvidos e que estão desencadeando o problema.

Os principais tratamentos utilizados são a psicoterapia, a meditação, as técnicas de relaxamento, assim como a prática de atividade física, que ajuda bastante na redução dos quadros de estresse e ansiedade. Em conjunto com estas técnicas, o paciente deve adotar uma alimentação equilibrada e correta para ajudar no controle dos sintomas e no tratamento.

Veja, a seguir, alguns dos principais cuidados em relação à alimentação para o tratamento e redução dos sintomas de gastrite nervosa:

1. Evite ficar muitas horas sem comer

É importante que se mantenha uma regularidade nas refeições, evitando longos períodos de jejum. Coma a cada 3 horas, procurando fazer uma refeição mais leve e tente mastigar bem os alimentos, comendo de forma mais calma e controlada. Divida suas refeições em pequenas porções e leve algum alimento na bolsa para evitar ficar sem comer.

2. Não coma alimentos que possam agravar o problema

Os alimentos que devem ser evitados são aqueles que podem promover uma irritação no estômago. Existem diversos alimentos que podem contribuir para o agravamento dos sintomas de gastrite nervosa.

Evite, ao máximo, alimentos que sejam muito gordurosos, como as carnes gordurosas, a linguiça, o bacon, a salsicha e as frituras em geral, as frutas ácidas, tais como a laranja, o limão, o kiwi, a cereja, o damasco, o abacaxi, o morango, entre outros. Reduza também o consumo de temperos como vinagre, molho inglês, pimenta, molho ou massa de tomate, ketchup, mostarda, caldos concentrados, molho tártaro e outros molhos industrializados.

Alguns alimentos e bebidas também devem ter seu consumo reduzido, como o chocolate, o café, o chá-mate, o chá preto, as bebidas alcoólicas, as bebidas gasosas como refrigerantes e água com gás, doces concentrados, frutas cristalizadas, alguns vegetais como pepino, tomate, brócolis, repolho, pimentão, rabanete, nabo, couve, couve-flor, assim como o feijão e as oleaginosas, entre elas as castanhas, as nozes, amêndoas, amendoim, pistache, entre outros.

3. Coma alimentos com efeito calmante

Alguns alimentos possuem uma digestão mais fácil e também ajudam a promover um efeito calmante. Acrescente nas suas refeições as carnes magras cozidas ou grelhadas, os peixes, os vegetais cozidos com baixa acidez, frutas sem casca com baixa acidez, além dos temperos naturais e caseiros. É importante também que se aumente a ingestão de água durante o dia, melhorando a hidratação da mucosa.

Existem também algumas receitas caseiras para ajudar na redução dos sintomas. O suco de batata, por exemplo, ajuda bastante na redução da acidez do estômago, diminuindo os sintomas de dor e de queimação. Descasque uma batata e passe no ralador. Depois esprema a mesma num pano limpo, retirando toda a água numa tigela. Este caldo da batata deve ser bebido puro e em jejum, 30 minutos antes das refeições ou sempre que tiver algum sintoma de gastrite nervosa.

Conclusão

A gastrite é um problema caracterizado por uma inflamação que ocorre nas paredes do estômago, podendo ser gerada por diversas causas, como o uso constante de medicamentos que podem irritar a mucosa estomacal, o excesso de ingestão de álcool, os hábitos alimentares ruins como jejuns prolongados ou refeições muito rápidas, a gastrite autoimune, além de uma possível infecção pela bactéria Heliobacter pylori.

Além destes fatores, os aspectos emocionais e psicológicos, entre eles o aumento expressivo da ansiedade e do estresse também podem contribuir para a formação de lesões na mucosa gástrica.

Vídeos:

Gostou das dicas?

Referências adicionais:

Você já percebeu em si alguns estes sintomas da gastrite nervosa? Acredita que possa sofrer com esta condição? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (10 votos, média: 4,30 de 5)
Loading...

8 comentários em “5 Sintomas de Gastrite Nervosa e Melhor Tratamento”

  1. Excelente o conteúdo deste site um dos mais completos que vi..artigos com muita autoridade..me ajudou muito parabéns e obrigada.

  2. Nessa matéria diz para evitar a Couve e em outra matéria sobre gastrite diz para tomar suco de couve de manhã em jejum. Não entendo…

  3. Boa noite!? Todas as vezes que sinto esse mal está no estômago meu corpo começa uma coceira, porque dessa coceira? Alguém sabe explicar? Agradeço.

  4. Sofro muito com esse problema, isso tem afetado a minha vida em tdos os sentidos, fico mal o tempo todo,vivo bem 3 dias da semana e o resto é agonia , angústia, mal estar….Essa doença é horrível.

Deixe um comentário