Como Fazer Óleo de Orégano Caseiro

Especialista:
atualizado em 03/06/2020

Aprenda como fazer óleo de orégano caseiro em três receitas diferentes, entenda como usar e veja dicas de cuidados, efeitos colaterais e contraindicações.

Nós estamos acostumados a usar uma versão seca do orégano – aquela que vem nos pacotinhos que compramos nos supermercados – como tempero em diversos pratos culinários.

Afinal, quem nunca utilizou o ingrediente para incrementar o sabor de saladas, pizzas, molhos, pães, biscoitos, tortas e sanduíches naturais, por exemplo? Existem, afinal, inúmeros benefícios do orégano para a saúde.

Entretanto, abaixo vamos conversar a respeito de um produto diferente da especiaria: o óleo de orégano, que também tem seus benefícios. Você já ouviu falar sobre ele?

Este produto derivado do orégano é composto por fenóis, terpenos e terpenoides, substâncias conhecidas por possuírem poderosas propriedades antioxidantes.

O óleo de orégano também apresenta ação antifúngica, pode contribuir com a melhora da saúde intestinal, pode conter propriedades anti-inflamatórias e pode colaborar com o alívio da dor.

Como fazer óleo de orégano caseiro?

O óleo de orégano é produzido a partir da secagem ao ar das folhas e dos rebentos da planta do orégano. Uma vez que eles estão secos, o óleo é extraído e concentrado por meio da destilação a vapor.

Isso pode parecer um tanto quanto complicado para fazer em casa, não é mesmo? Mas calmo, vamos tentar dar uma simplificada nisso e aprender como fazer óleo de orégano caseiro.

Entretanto, é nosso dever registrar que não temos como garantir que essas versões mais fáceis que mencionaremos tenham exatamente os mesmos compostos e benefícios que a versão citada acima, já que os métodos de preparo são diferentes.

De qualquer forma, não custa nada dar uma conferida nas receitas para aprender como fazer óleo de orégano caseiro:

Receita 1

Ingredientes:

  • Orégano fresco;
  • 1 garrafa de azeite de oliva.

Modo de preparo:

Picar bem o orégano; Encher a garrafa de azeite de oliva com as folhinhas picadinhas de orégano e deixar macerar no escuro ao longo de alguns dias. Quanto maior for o tempo de maceração, mais princípios ativos aromáticos serão absorvidos.

Receita 2

Ingredientes:

  • 2 colheres de sopa de orégano;
  • 1 xícara de azeite de oliva extra virgem.

Modo de preparo:

Lavar o orégano e esperar secar. Você pode transferir para um papel-toalha ou esperar que a especiaria seque naturalmente. Reservar o orégano; Colocar o azeite de oliva extra virgem em uma panela e levar ao fogo para aquecer levemente; Passar o azeite de oliva extra virgem para um recipiente de vidro esterilizado, adicionar o orégano e tampar.

Agitar o recipiente de modo que o orégano fique coberto – isso serve para dar início ao processo de liberação das substâncias do orégano no azeite de oliva extra virgem.

Levar o recipiente para a geladeira e deixar que ele repouse ali durante três dias para que o óleo do orégano tenha a oportunidade de se misturar bem com o azeite de oliva extra virgem.

Receita 3

Ingredientes:

  • Folhas de orégano amassadas ou picadas;
  • Azeite de oliva – a quantidade que julgar melhor.

Modo de preparo:

Encher uma panela com água, levar ao fogo e desligar assim que começar a ferver; Colocar as folhas de orégano junto com o azeite de oliva dentro de um frasco de vidro esterilizado e tampar.

Levar o frasco com óleo na água que acabou de ferver e deixar descansar em banho-maria ao longo de até 10 minutos – o objetivo desta etapa é proporcionar um leve aquecimento que para ativar as propriedades do orégano e liberar os seus óleos naturais.

Remover o frasco da panela e posicioná-lo em um ambiente sob a luz do sal – pode ser uma janela, por exemplo. O recipiente deverá ficar por ali durante até 15 dias. Ao longo de todo o período, será necessário agitar o frasco diariamente.

Depois desses 15 dias, coar o óleo obtido com o auxílio de uma peneira fina ou de um pano de algodão e transferi-lo para um frasco de vidro escuro esterilizado e tampado. Armazenar em um local longe da luz.

Atenção

Antes de utilizar o óleo de orégano para qualquer finalidade medicinal, consulte um médico para se certificar de que o produto realmente pode ajudar o seu caso sem provocar danos ao seu organismo e entender como pode usá-lo com segurança.

Obviamente, essa é uma orientação que vale para todo mundo, porém, principalmente para as mulheres grávidas ou que se encontram na fase do amamentação, as crianças, os adolescentes, os idosos e as pessoas que sofrem com qualquer doença ou condição específica de saúde.

Caso experimente qualquer reação adversa ao utilizar o óleo de orégano, procure rapidamente o auxílio médico, mesmo que não imagine que se trata de um efeito colateral tão grave assim.

Isso é importante para verificar a real seriedade do problema, receber o tratamento apropriado e saber se pode continuar a usar o óleo de orégano ou não.

Tenha em mente que este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir as orientações qualificadas e profissionais do médico.

Efeitos colaterais, contraindicações e outros cuidados

O óleo de orégano pode provocar perturbação no estômago ou reação alérgica em pessoas que sofrem com alergia às plantas da família Lamiaceae como manjericão, lavanda, hissopo, manjerona, hortelã e salva.

Em pessoas que possuem distúrbios hemorrágicos, o orégano pode aumentar o risco de sangramento. Justamente pela chance de elevar esse risco de sangramento, é recomendado que o uso da especiaria seja interrompido duas semanas antes da data marcada para a realização de um procedimento cirúrgico.

Enquanto existe uma preocupação de que o uso de orégano em quantidades superiores às tipicamente usadas na alimentação possa provocar o aborto, não há informações suficientes a respeito da segurança do orégano em quantidades medicinais durante a amamentação.

Como o orégano pode diminuir os níveis de glicose no sangue, os pacientes que sofrem com a diabetes precisam utilizar o ingrediente com cautela. Isso porque como eles já seguem um tratamento para controlar as taxas sanguíneas de açúcar, ao usar a especiaria, esses níveis podem ficar mais reduzidos do que devem.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia como fazer óleo de orégano caseiro? Pretende experimentar e ter o seu próprio óleo em casa? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário