Dieta de Modelo – Riscos e Dicas

Especialista:
atualizado em 16/04/2020

Que imagem aparece na sua cabeça quando alguém fala sobre a profissão de modelo para você? Provavelmente a figura de uma mulher jovem, bonita, alta, trajando roupas elegantes e com um corpo bem magro, não é mesmo?

Pois bem, não é novidade para ninguém que as profissionais desse ramo precisam estar sempre com a forma esbelta, sem uma gordurinha sequer ressaltando, o que indica que a dieta de modelo não seja muito fácil de ser seguida, especialmente de maneira saudável.

Isso traz uma preocupação com o estado da saúde dessas mulheres e a mensagem que elas transmitem a garotas mais novas que sonham em desfilar nas passarelas e estrelar propagandas de revista e televisão como elas e acabam se submetendo a planos alimentares restritivos para adquirir um corpo igual ao de uma top.

O assunto se tornou tão sério que no começo de abril de 2015 os deputados da Assembleia Nacional da França aprovaram a proibição do emprego de modelos exageradamente magras, de acordo com critérios estabelecidos por autoridades francesas de saúde. O descumprimento da regra pode acarretar multas de 75 mil euros e seis meses de prisão aos administradores de agências de modelos.

A medida é uma tática do governo francês para combater a anorexia e é parecida com atitudes tomadas por autoridades de outros países como Israel, Itália e Espanha.

Mas será que o fato de uma mulher que trabalha como modelo ser bem magra quer dizer necessariamente que ela não se alimenta bem e sofre com problemas de saúde? Vamos tentar responder essa pergunta ao verificar como funciona uma dieta de modelo.

Os truques das modelos famosas 

Obviamente manter uma barriga chapada, com tudo no lugar, não é tarefa das mais fáceis e exige alguns sacrifícios. Para a modelo brasileira Adriana Lima, o segredo é restringir o tamanho das porções nas refeições que ingere. Ela consome bastante frutas e vegetais frescos e controla a quantidade de sementes e grãos que come. Além disso, a moça pratica capoeira.

Já a alemã Heidi Klum seguiu um plano específico depois que engravidou. Essa dieta, que promete trazer resultados positivos em duas semanas, determina que a pessoa não coma pães, doces, produtos laticínios e nem tome bebidas alcoólicas. Quem segue esse programa, também não pode ingerir mais de 1200 calorias diariamente.

Outros truques revelados por Heidi são fazer pequenas refeições a cada três horas para estimular o metabolismo, não comer nada depois das 20h e fazer lanchinhos somente com frutas, como a maçã.

Por sua vez, a top australiana Miranda Kerr afirma manter o corpo esbelto ao comer fontes de carboidratos saudáveis e proteínas magras, em uma dieta que inclui aveia, vegetais, iogurtes com baixo teor de gordura, frutas, clara de ovo. Os cardápios de seu almoço e jantar costumam trazer saladas com peixe, frango, peru e vegetais.

As loucuras que as modelos cometem

No tópico anterior, nós vimos alguns exemplos de dieta de modelo que, apesar de indicarem restrição, não trazem hábitos ilegais ou que causam graves danos à saúde. Entretanto, essa regra não se aplica a todas as profissionais do ramo e existem relatos de modelos que cometem loucuras para estar sempre com a barriga fininha.

Em um depoimento dado à Fox News, a modelo russa Kira Dikhtyar revelou que já experimentou e presenciou colegas de profissão aderindo a técnicas malucas para perder peso e manter a magreza. De acordo com a moça, cigarros, comprimidos para perda de peso, laxantes e medicamentos que só podem ser vendidos com prescrição médica são utilizados para diminuir o apetite.

Além disso, Kira também confessou ter ouvido história de agentes de modelos que incentivam meninas a usarem drogas ilegais como a cocaína para acelerar o metabolismo e ajudar a comer em menores quantidades.

Pensa que parou por aí? Calma que tem mais absurdos. Segundo a russa, outras táticas usadas para manter a magreza incluem dietas que determinam a ingestão de somente 500 calorias por dia e injeções de hormônio da tireoide em moças saudáveis, também com o objetivo de deixar o metabolismo mais rápido, o que traz uma eficácia maior na queima de gorduras.

Conforme a moça contou, existem ainda as modelos que comem chumaços de algodão para se livrar de fortes sensações de fome.

Outra profissional do mundo da moda que revelou os absurdos cometidos por modelos para emagrecer foi a ex-editora da Vogue Austrália, Kirstie Clements, em seu livro chamado The Vogue Factor (O Fator Vogue, tradução livre).

Ela, que trabalhou durante 25 anos na publicação e saiu de lá em 2012, afirmou que já dividiu o almoço com uma modelo que somente beliscou uma salada ao longo da refeição e que contou a ela que uma de suas colegas de quarto vivia no hospital em decorrência de uma dieta de modelo extrema.

Clements também disse ter presenciado moças que desmaiavam por estarem desnutridas e que nem conseguiam trabalhar direito por estarem muito famintas. Ela ainda revelou conhecer casos de meninas que comiam tecidos para matar a fome e que se submetiam a cirurgias de redução dos seios.

Onde mora o perigo 

Atitudes como essa que acabamos de conhecer são completamente inaceitáveis para manter um organismo saudável. Para você ter uma ideia do perigo, a recomendação é que uma pessoa não consuma menos de 1000 calorias diárias – uma dieta de modelo restrita que vimos acima permite apenas a ingestão de metade desse valor.

É preciso ter em mente que o alimento é o combustível que o nosso corpo precisa para funcionar direito. Se não oferecemos isso a ele, uma hora ou outra ele irá reclamar, por meio de sinais como desmaios e dores, e não funcionará do modo adequado. E caso não seja dada a devida importância a esses sintomas, o risco que se corre é que ele pare de funcionar de vez.

Além disso, vale destacar o perigo da utilização da cocaína, que uma droga ilícita. A pessoa põe o seu corpo em risco de sofrer com graves problemas como deformações na pele e doenças no coração sem que haja a apresentação de sintomas. 

Considerações finais 

Se por um lado não podemos ser levianos a ponto de afirmar que toda dieta de modelo não é adequada e toda modelo tem um corpo doente, não podemos negar que a partir dos relatos mostrados, algumas delas realmente colocam o seu organismo em graves riscos, inclusive de morte.

Para quem está do lado de fora do mundo da moda e sonha em se tornar uma modelo de sucesso um dia, a impressão que pode ficar é que para dar certo na profissão é necessário correr esses riscos. E é justamente aí que se encontra um dos maiores perigos desse mal exemplo: além de se colocarem em perigo de adoecer ou morrer, as modelos que se submetem a loucuras podem deixar a mensagem para as meninas mais novas que vale a pena fazer de tudo com o seu organismo, maltratando-o, para ter um corpo esbelto e excessivamente magro, contanto que ganhe contratos e trabalhos como modelo. Não entre nessa fria!

Você exporia seu corpo aos riscos de enfrentar uma dieta de modelo para seguir uma carreira no ramo? Conhece alguém que entrou nessa e acabou doente? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário