Neosaldina

Neosaldina Faz Mal? Dá Sono? Para Que Serve, Composição, Posologia e Efeitos Colaterais

A Neosaldina é um remédio com ação analgésica (de diminuição da dor) e antiespasmódica (de diminuição da contração involuntária). Ela pode ser indicada para o tratamento de diversos tipos de dor de cabeça, incluindo a enxaqueca.

Além disso, o medicamento também pode ser utilizado para o tratamento de cólicas. O seu uso é oral, adulto e pediátrico acima dos 12 anos de idade. As informações são da bula de Neosaldina.

Abaixo, analisaremos se o uso da Neosaldina faz mal em determinadas circunstâncias, se ele dá sono e outros possíveis efeitos colaterais, além de entender para que serve.

Composição de Neosaldina

A bula do medicamento, disponibilizada pela Anvisa, informa que a composição de Neosaldina é a seguinte:

“Cada drágea contém 300 mg de dipirona, 30 mg de mucato de isometepteno e 30 mg de cafeína anidra. Excipientes: amido, carbonato de cálcio, carmelose sódica, celulose microcristalina, cera branca de abelha, cera de carnaúba, dióxido de silício, estearato de magnésio, goma arábica, lactose, metilparabeno, povidona, propilparabeno, sacarose, talco, dióxido de titânio, laca vermelha e pigmento marrom”.

Neosaldina faz mal?

Agora que já vimos para que serve o medicamento e conhecemos a sua composição, vamos finalmente discutir se Neosaldina faz mal.

Bem, como acontece com qualquer remédio, a Neosaldina pode prejudicar a saúde quando for utilizada de maneira indevida, por um tempo maior que o recomendado e/ou uma dosagem exagerada para o caso do paciente em questão. Por isso, consulte um médico e leia atentamente a bula antes de usar o medicamento para ter certeza de que você realmente pode usar o remédio.

O remédio é composto pela dipirona, que pode provocar tremores, náuseas e reações alérgicas ao ser ingerida de maneira exagerada. A dipirona também pode causar a agranulocitose, que é uma grande diminuição do número de glóbulos brancos no sangue, que são as células responsáveis pelo combate a infecções bacterianas, e que pode ser fatal.

O uso excessivo de analgésicos – como é o caso de Neosaldina – pode provocar danos nos rins, no fígado e no sistema gastrointestinal, além de esconder problemas graves como um tumor cerebral.

A Sociedade Brasileira de Estudo da Dor (Sbed) afirma que não é tão raro receber pacientes em hospitais apresentando hemorragia digestiva ou correndo risco de vida por conta do uso excessivo de analgésicos e anti-inflamatórios. Ocorrem ainda casos de cefaleia (dor de cabeça) por conta do abuso do remédio. Medicamentos do tipo podem causar a dependência, fazendo com que o paciente funcione como uma pessoa drogada.

O neurologista Ariovaldo Alberto da Silva Júnior concluiu em sua tese de doutorado que o abuso de analgésicos foi a principal causa de dor de cabeça crônica das pessoas avaliadas em sua pesquisa, realizada em Minas Gerais.

O neurologista alertou ainda que o limite do consumo de analgésicos, quando eles são tomados na medida certa, é de 15 dias por mês e que toda dor de cabeça inédita deve ser investigada, já que pode ser sintoma de um tumor cerebral ou de outra doença.

O Jornal Hoje também abordou o uso constante de analgésicos e informou que a utilização diária desses remédios pode causar problemas renais, acidentes vasculares cerebrais (AVCs) e disfarçar os sintomas de doenças graves.

A equipe do jornal falou com o neurologista João José Carvalho, que alertou que o uso de analgésicos durante mais de 15 dias por mês pode provocar reações simples e passageiras, como azia ou mal-estar abdominal ou problemas sérios como a insuficiência renal, trazendo a necessidade de fazer hemodiálises.

Estudos afirmam que um pequeno exagerar na dosagem de Neosaldina faz mal trazer correr o risco de sofrer com dois de seus efeitos colaterais graves, porém fatais: a diminuição da quantidade de células sanguíneas e o choque anafilático, especialmente para os asmáticos, que pode atingir mesmo quem está acostumado ao remédio.

Foram esses riscos que levaram países como a Austrália e os Estados Unidos a proibir a dipirona (presente na Neosaldina). Os medicamentos contra a dor de cabeça podem diminuir ainda a capacidade de liberação de endorfinas por parte do organismo, que são os analgésicos interiores do corpo.

Contraindicações de Neosaldina

Neosaldina faz mal também especificamente para alguns grupos de pessoas para os quais o medicamento é contraindicado. A lista de pessoas e situações em que (ou quem) o remédio não pode ser usado abrange:

  • Quem tem alergia ou intolerância a qualquer componente da sua fórmula;
  • Quando houver crises de hipertensão arterial;
  • Quem tem menos de 12 anos de idade;
  • Quando houver alteração nas qualidades no sangue;
  • Quando houver alteração na proporção dos elementos que constituem o sangue;
  • Quem tem doenças metabólicas como porfiria ou a deficiência congênita da glicose-6-fosfato-desidrogenase;
  • Mulheres que estejam amamentando os seus bebês.

O medicamento também pode fazer mal ao ser utilizado junto com o consumo de bebidas alcoólicas ou com remédios que contenham clorpromazina (usada no tratamento de doenças psiquiátricas) e ciclosporina (usada em pacientes que passaram por transplantes), tanto que seu uso é contraindicado ao mesmo tempo do que essas substâncias.

Neosaldina pode prejudicar ainda quem faz uso de medicamentos ansiolíticos ou benzodiazepínicos (utilizados para dormir ou tratar a ansiedade) porque a cafeína encontrada na sua composição pode reduzir o efeito sedativo desses medicamentos.

Portanto, caso você utilize qualquer tipo de remédio, suplemento ou planta medicinal, informe ao médico antes de começar a usar a Neosaldina para se certificar de que usar as substâncias ao mesmo tempo não pode fazer mal para o seu organismo. Com informações da bula do medicamento, disponibilizada pela Anvisa.

Os efeitos colaterais de Neosaldina

De acordo com a bula de Neosaldina, o remédio pode trazer os seguintes efeitos colaterais:

Reação comum – observada entre 1% e 10% dos pacientes:

  • Reações na pele (alergia).

Reações raras – observadas entre 0,01% e 0,1% dos pacientes:

  • Reação alérgica grave acompanhada da queda da pressão sanguínea (pode ocorrer mesmo se a dipirona tiver sido utilizada antes sem efeito colateral);
  • Alterações nas células do sangue – que podem provocar pequenas hemorragias na pele e nas mucosas como boca, nariz, ânus, genitais e olhos, febre alta, dificuldade de engolir e feridas na boca, no nariz, na garganta, na região genital e na região anal. Nesses casos, a orientação é interromper a medicação imediatamente. (Pode ocorrer mesmo se a dipirona tiver sido utilizada antes sem efeito colateral);
  • Aumento dos batimentos do coração;
  • Irritabilidade.

Reações com frequência desconhecida ou não informada:

  • Queda da temperatura do corpo;
  • Alterações na pele – vermelhidão, coceira ou urticária;
  • Alterações na boca;
  • Alterações na garganta;
  • Náusea;
  • Vermelhidão;
  • Suor;
  • Dor de cabeça;
  • Alteração na coloração da urina, que fica avermelhada, porém, isso não representa danos para a saúde;
  • Reações de elevação da pressão arterial quando o uso de Neosaldina ocorre juntamente com os antidepressivos inibidores da monoaminoxidase (IMAOs, medicamentos que podem ser utilizados para o tratamento da depressão).

Reações com frequência desconhecida em grupos especiais de paciente:

  • Diminuição temporária das funções dos rins, em pacientes com histórico de doença nos rins ou em casos de superdosagem;
  • Inflamação dos rins, em pacientes com histórico de doença nos rins ou em casos de superdosagem;
  • Crises de asma, em pacientes propensos a esse tipo de problema.

Caso experimente qualquer um dos efeitos colaterais mencionados acima ou algum outro tipo de reação adversa, busque a ajuda do médico (mesmo que o sintoma não pareça grave) para checar a gravidade do problema e saber o que deve fazer a partir de então.

Neosaldina dá sono?

Quando um medicamento provoca o sono, diversas atividades do nosso dia a dia como a prática de exercícios físicos, o trabalho, o estudo e até mesmo a disposição para cozinhar e organizar refeições saudáveis podem ser prejudicadas.

Por isso, vale a pena saber se determinado remédio nos deixa sonolento ou não para nos preparamos para lidar com o efeito quando tivermos que usar o medicamento em questão.

Entretanto, não existem informações na bula que nos permitam concluir que a Neosaldina dá sono como um de seus possíveis efeitos colaterais.

Pelo contrário, a bula do remédio alerta que os pacientes extremamente sensíveis à cafeína – presente na composição do medicamento – não devem tomar Neosaldina à noite para que o seu sono não seja prejudicado.

O documento também orienta os pacientes idosos e/ou debilitados a tomarem dosagens menores do medicamento e a não utilizarem o remédio no período noturno justamente para evitar ter problemas com o sono.

Se ao utilizar o medicamento, você notar que está com falta de sono ou com sonolência, busque a ajuda do médico para verificar o que pode ter provocado o problema e como você deve proceder para combatê-lo.

Outros cuidados com Neosaldina

Se os sintomas não passarem ou piorarem durante o tratamento com Neosaldina e/ou se aparecerem novos sinais, o médico deverá ser consultado rapidamente porque isso pode ser indício de doenças graves.

Nos casos em que o paciente sofrer com sintomas como agitação e/ou aumento dos batimentos cardíacos (palpitação), a dosagem diária de Neosaldina deverá ser diminuída, o que é mais seguro quando feito pelo médico.

A utilização do medicamento exige cautela com os seguintes grupos de pessoas:

  • Que têm asma brônquica (bronquite);
  • Que sofrem com infecções respiratórias crônicas;
  • Que são alérgicos a anti-inflamatórios e analgésicos.

Pacientes que têm amigdalite ou qualquer outro tipo de condição que atinge a boca e a garganta devem usar Neosaldina somente com a orientação médica e com cuidados especiais.

As mulheres que estiverem grávidas também só podem utilizar o medicamento nos casos em que houver a orientação do médico. O remédio não pode ser usado em doses altas por muito tempo por pessoas com problemas nos rins ou no fígado. As informações são da bula de Neosaldina.

Posologia de Neosaldina

Para que o uso do medicamento seja seguro para você, o ideal é que você consulte o médico para saber qual a dosagem, os horários de uso e a duração do tratamento com Neosaldina, indicados para o seu caso.

Além disso, leia atentamente a bula antes de começar a utilizar o medicamento.

A bula recomenda tomar de uma a duas drágeas (em dose única) de Neosaldina a cada seis horas ou quatro vezes ao dia. Não se pode tomar mais do que oito drágeas do remédio por dia (duas drágeas de uma vez quatro vezes ao dia), informa o documento.

Entretanto, para os pacientes idosos, a dosagem deve ser menor, ressalta a bula. O documento também alerta que o uso por período prolongado ou em dosagens mais altas de Neosaldina deve acontecer somente quanto o médico autorizar.

O medicamento deve ser ingerido via oral e não pode ser partido ou mastigado, completa a bula do medicamento.

Referências adicionais:http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=10738362013&pIdAnexo=1910667

Você já tinha ouvido falar que a Neosaldina faz mal se usada em exagero e em determinadas circunstâncias? Tem costume de tomar esse analgésico quando sente dor de cabeça? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*